(none)

Selton Mello: "Sou um cara meio complicado"

Selton Mello tem fama de misterioso. Mas, aqui, resolveu deixar de lado todas as máscaras. A surpresa? Ele é o tipo de homem que todas nós sonhamos ter por perto

Publicado em 03/07/2012

Dalila Magarian - Edição: MdeMulher

Selton Mello

Diretor, produtor, dublador, ator premiado e um cara meio complicado
Foto: Reprodução Revista NOVA

O diretor, produtor, dublador e ator premiado Selton Mello se diz em crise. "Não sei bem o que quero fazer agora. Andei meio triste com a profissão, pensei em parar por um tempo. Talvez eu seja um jovem velho", comenta. "Já fiz muita coisa, carreguei muitos personagens e me vi repetindo coisas sem nenhum brilho no olho. Dei uma desencantada."

Selton começou a trabalhar em novelas aos 9 anos. Antes, já fazia comerciais de tevê. Cumpria horário como gente grande, decorava textos complexos. "Eu gostava do negócio. Pedia para minha mãe me levar, era como brincar de fazer televisão. Só que, de repente, deixou de ser."

O currículo de Selton não deixa dúvidas a respeito de sua longa jornada. Por exemplo, depois de filmar A Mulher Invisível, de Claudio Torres, o ator emendou o drama urbano A Erva do Rato, de Júlio Bressane. Na sequência, viveu o imigrante brasileiro Jean Charles de Menezes, morto em Londres em 2005, no filme Jean Charles, de Henrique Goldman (com estreia prevista para junho). Além disso, havia feito Os Desafinados, de Walter Lima Jr., na pele de um cineasta na época da bossa nova. Ele se lançou como diretor com o longa Feliz Natal. "Vivi muito a vida de personagens e menos a minha. Isso pode dar um nó na cabeça da gente", diz. "Estou num momento de cuidar mais da minha vida, esquecer um pouco o trabalho", reforça. Numa tentativa de reencontro consigo mesmo, ele decidiu escrever o roteiro de um filme com algum teor autobiográfico. "Fala, de maneira poética, do momento que passo agora. É a história de um palhaço em crise que descobre motivos para continuar no picadeiro."


Dono do próprio reino
Selton deixa escapar que não aprecia o comportamento de alguns homens e mulheres que não toleram a própria companhia. "Ficam casados por uns cinco anos, separam, passam uma semana e vão para o bar, conhecem o primeiro ou primeira trouxa e se casam de novo. Isso é uma enorme incapacidade de conviver consigo mesmo." O ator acredita que, para ser feliz, é preciso gostar da própria bagagem. Claro que o moço não é nenhum ermitão. Adora ir ao estádio ver os jogos do São Paulo, visitar a casa dos pais, estar com as sobrinhas Luísa e Alice, de 7 e 5 anos, filhas do irmão caçula, o também ator Danton Mello. No dia a dia, tem a amizade de seus dois labradores, Fox e Mel. "Eles são muito companheiros."


Mulheres invisíveis
Selton, que nasceu em Passos (MG), diz ter tido três namoradas sérias. Dessas, a única famosa é a primeira, a atriz Danielle Winits. Pergunto se ele se identifica com o personagem do filme, que idealiza a mulher perfeita. "Não sou tão romântico como o Pedro. Nem pretendo me casar, ou seja, sou um caso perdido." Insisto: como seria a garota nota 10? "Discreta", responde depressa. "Essa é a qualidade principal. Hoje, tudo anda invertido; as pessoas ligam para os paparazzi avisando que estarão beijando não sei quem na pizzaria. Isso me repugna", revela. "Na verdade, sou um cara meio complicado", emenda.

Mas alto lá! Esse rapaz notívago, que curte seriados estrangeiros e não gosta de bagunça dentro de casa, está pronto a dar uma guinada. "Resolvi fazer análise", conta. "Tudo na minha vida está em xeque. Quero rever muita coisa, curtir mais a vida." Numa dessas, pode até mesmo surgir um novo e grande amor, provoco. "Por que não? Tudo é possível", concorda.

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Danielle - Eu te descomplico, te amo!!!! - 17/12/2013 16:35:57

Nati - EU !!!!! To te procurando há tantos anos! - 09/09/2012 15:26:35

Juma - Sentença ou arbítrio? - 07/08/2012 20:48:35

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.