Dicas para adotar hábitos simples de consumo consciente de moda

Adotar estes hábitos é um bom passo para impulsionar o movimento – e bem mais simples do que pode parecer. Inspire-se em projetos inovadores.

Coloque suas roupas num app à la Tinder

A plataforma de encontros inspirou a criação do app Roupa Livre, no qual você pode dar nas peças que chamarem sua atenção. Se a dona delas também curtir algum de seus itens, o match é feito e a troca é combinada em um chat.

Investigue os bastidores

Antes de comprar, pesquise se a marca possui políticas sustentáveis. Algumas, como H&M e C&A, as expõem nos próprios sites. Projetos também merecem incentivo: a Farm, por exemplo, lançou uma linha de jaquetas bomber feita apenas com sobras de tecidos do grupo Soma, do qual faz parte, junto com labels como Animale e A.Brand.

Use um closet coletivo

Encare como uma biblioteca de roupas: em vez de comprar uma peça nova, você pode pegar emprestado por tempo determinado. Na Lucidbag (lucidbag.com.br), o esquema é feito com preços fixos de aluguel, enquanto na Roupateca, Entre Nós (aroupateca.com), a retirada é feita de acordo com o plano de assinatura mensal escolhido.

Leia Mais: 17 brechós online para garimpar achados de moda

Faça um filtro

Quer um jeito fácil de escolher labels sustentáveis? Visite o Theconcept.com.br, e-commerce cuja curadoria de marcas se baseia nas causas que elas apoiam (tem etiqueta animal friendly, de produção artesanal e mais).

Venda seus desapegos

Graças a plataformas como o Enjoei.com.br, a proposta do brechó foi modernizada e ficou mais prático se desapegar. Isso favorece a rotatividade de produtos já existentes e desestimula a indústria a fabricar peças do zero (e, com isso, gerar novos resíduos).

Renove suas peças

Em vez de descartar suas roupas, por que não dar vida nova a elas? Com o slogan “devolvo sua roupa em sete dias”, o projeto Re-Roupa (reroupa.com.br) customiza e refaz as peças de acordo com as histórias que carregam. Uma semana depois, eles devolvem o item pelo correio.

Frequente feiras de trocas

Nelas, a ideia é que cada pessoa leve os itens dos quais gostaria de se desfazer para trocar por peças de outros participantes. Algumas para acompanhar: Brick de Desapegos (facebook.com/brickdedesapegos), no Rio Grande do Sul, Trocaderia (trocaderia.com), em São Paulo, e Projeto Gaveta (projetogaveta.com), no eixo Rio-São Paulo. Elas divulgam suas edições online.

Observe o material

Prefira aquele que pode ser reciclado e transformado em outro produto depois. É o caso do plástico usado nos sapatos Melissa e dos tecidos de fibras naturais. As fibras sintéticas contam com poucas tecnologias que focam sua decomposição no meio ambiente e isso torna seu reúso difícil.