13 lições valiosas sobre o amor que as séries nos ensinaram

Para o bem e, principalmente, para o mal...

 

1. Em primeiro lugar, não ter medo de se apaixonar.

. .

. (/)

Em Sex and The City, Carrie sempre quis uma única coisa: amor incondicional. E, sim, nós acompanhamos por incontáveis episódios essa busca incessante dela pela pessoa perfeita. E por mais que, na maioria das vezes, tenha sido bastante irritante assistir a tudo o que essa mulher sofreu na mão do Big, uma coisa não dá para negar: a jornalista sempre esteve aberta para o amor. E esse é meio que o segredo, estar disponível, ter a ciência de que a vida a dois nem sempre vai ser a melhor coisa do mundo, mas, ainda assim, querer dividir um pouquinho de você com outro alguém. Amar é se desapegar, algo que Carrie sabia fazer muito bem – desde que não tocassem na sua coleção de Manolos.

2. Mas não esquecer de algo muito importante: você.

. .

. (/)

Sabe quais são as duas coisas mais importantes na vida da Ilana de Broad City? Uma delas é politicamente incorreta demais para citar aqui, e a outra é ela mesma. Porque, afinal, se a garota não amar a si mesma, como ela vai amar outra pessoa? E como ela poderia construir uma amizade tão incrível com a Abbi? Ou, até mesmo, como ela conseguiria manter um relacionamento tão seguro e livre de rótulos quanto o que ela vive com o Lincoln? O segredo é se amar, hein?! #yasssqueen

3. Assim como ser você mesma na relação!

. .

. (/)

Em New Girl, A Cece pediu para a Jess ter mais atitude com o Nick, mas a Jess sabe muito bem quem é e, principalmente, sabe qual é o seu tempo e disse não. Porque ela se respeita. Ela entende que, diferente de outras pessoas, precisa de um período maior para fazer e assimilar as coisas. Essa é ela, a garota que gosta de ser estranha, bancar a engraçadona, usar tênis em vez de saltos… Para um relacionamento dar certo, a gente precisa estar confortável, precisa ser a gente, precisa ser mais Jess.

4. Existe coisa melhor do que estar do lado de alguém que entende (ou pelo menos procura entender) suas paixões? Por mais estranhas que elas possam ser…

. .

. (/)

Alguém que não se importa, por exemplo, com sua paixão por macarrão instantâneo, certamente é *A* pessoa. Porque, né, amor é isso também: querer entrar na vida do outro, querer amar o que o outro ama. E isso é meio que o começo da relação do Dev com a Rachel, em Master of None. Agora, só não dá para esquecer que isso deve ser um exercício permanente…

5. E se nada der certo, sua melhor amiga sempre vai estar lá…

. .

. (/)

Esqueça Dan e Chuck, a verdadeira relação de amor em Gossip Girl era a de Blair e Serena! Elas brigavam, esperneavam, mas no fim do dia tinham aquela certeza: uma sempre estaria lá pela outra. Assim como você e sua amiga, não? XOXO

6. Aquela taça de vinho e deliciosas batatas fritas também!

. .

. (/)

A Olivia Pope, de Scandal, pode não dominar com maestria a arte do amor, pois não é de hoje que ela sofre na mão daquele homem. Sério, o Fitz, também conhecido como Presidente dos Estados Unidos, é tudo o que um namorado não pode ser: covarde, não é prático, mimado e, além de tudo, um p*ta de um manipulador. É até meio inacreditável como uma mulher como ela – que resolve com os olhos fechados cada situação cabulosa – sempre acaba caindo na lábia dele. Tudo bem, é importante para a narrativa da série e tal, mas que irrita, nossa, irrita MUITO! Mas fato é, Olivia sabe aproveitar as coisas boas da vida e por coisas boas da vida entenda pipoca, batatas fritas e vinho. Então, já sabe, né, não tá muito bem? Se joga na dieta da Rainha Pope porque é a melhor lição que podemos aprender com essa série.

7. Porque existem relações que funcionam muito melhor na nossa cabeça.

. .

. (/)

Em The Good Wife Alicia tinha uma queda pelo Will na faculdade. Já Will sempre foi apaixonado por Alicia… Ela preferiu casar com Peter. Os anos passaram, o casamento dela desmoronou publicamente e o destino (ah, sempre ele!) quis os dois pombinhos juntos de novo e, desta vez, nada poderia detê-los. Quer dizer… Às vezes a gente idealiza tanto alguma coisa que na nossa mente ela é perfeita, é, como dizem, um mar de rosas. Mas a vida real é bem diferente, tem contas pra pagar, tem vontades que não são as suas, tem o banheiro sujo… E foi meio isso que deu errado no relacionamento dos dois: ele era incrível na teoria, mas um desastre na prática.

8. Outras que insistem em voltar…

. .

. (/)

Alguns relacionamentos marcam tanto a gente que sempre rola aquela vontadezinha de voltar? E se… O problema é que, e isso é comprovado pela ciência, voltar com aquela pessoa quase sempre dá errado e, no fundo, bem no fundo, todo mundo sabe disso. Certamente Piper e Alex também. Mas, impulsivas como são, resolveram tentar de novo. E de novo. E de novo… E vão tentar para sempre, né? Vai que um dia elas se acertam de vez! Talvez seja essa a graça de Orange Is The New Black (mentira, a graça mesmo é acompanhar os dramas de todas as outras detentas <3).

9. O importante é pensar sempre nas consequências dos nossos atos.

. .

. (/)

Ross sempre foi muito infantil, carente, impulsivo… E quando a Rachel pede um tempo para ele, obviamente, o cara não sabe como lidar e acaba fazendo “besteira” HORAS depois. “Nós estávamos dando um tempo” é uma das melhores e mais recorrentes piadas de Friends e cada pessoa tem uma opinião sobre. Ele estava errado? Ela quem não deveria cobrar nada? Bem, não tem resposta correta para isso mesmo. A lição que fica? Num relacionamento existem os seus sentimentos e os da pessoa que você ama e agir de forma impensada (como tanto Ross e Rachel agiram) deve ser evitado.

10. E, talvez, aquela pessoa tenha as mesmas dúvidas e dramas que você…

. .

. (/)

Não, Angela Chase, nada disso! Todo mundo, às vezes, tem medo de parecer errado, de não ser bom o suficiente… Você achava que o Jordan Catalano (<3) era areia demais para o seu caminhão, mas quem garante que ele não achava o mesmo? E, em Minha Vida de Cão, depois ficou provado que era exatamente isso! Sofrer por antecipação já virou um dos grandes males modernos, algo bastante conhecido de quem tem vinte e poucos anos atualmente. O que essa galera precisa aprender? Que o “não” ou a derrota nem sempre são ruins, pelo contrário, eles deixam você mais forte. E que, no fim das contas, todos têm as mesmas malditas crises

11. Só não dá para, em hipótese alguma, ficar num relacionamento abusivo.

. .

. (/)

Kilgrave tem o poder de fazer as pessoas obedecerem suas ordens, é como um namorado manipulador. No fundo, você sabe exatamente o que está acontecendo, sabe, também, que isso não é o certo, é, seus amigos também já avisaram, mas, por algum motivo, ainda é difícil sair dessa relação… Jessica Jones é genial por isso: ela traz essa metáfora para o universo dos super-heróis e mais do que isso: alerta que, sim, talvez, você esteja num relacionamento abusivo e é o melhor a fazer é procurar ajuda e se desvencilhar de seu Kilgrave. 

12. A Marnie, de Girls, é um bom exemplo de tudo o que NÃO fazer num relacionamento.

. .

. (/)

A Marnie, só a Marnie? Basicamente não faça nada do que as garotas de Girls fazem, tá? De nada.

13. E lembrar sempre: amor incondicional? Só o de mãe e filha.

. .

. (/)

Porque ela entende, cuida e ama do jeitinho que você é. A relação nem sempre vai ser boa e, sim, vão acontecer MUITAS brigas, discórdias, discussões… Mas, também, vão rolar muitas risadas, confissões e piadas que só as duas irão entender… Ela é seu porto-seguro, ela é quem amava você incondicionalmente. E essa, além de incluir na dieta cinco xícaras de café, é a melhor lição que podemos aprender com Gilmore Girls.

☆ Tudo sobre o misterioso signo de Escorpião ☆