Guerra dos sexos

Até parceiros perfeitos têm manias desagradáveis. Saiba como lidar com as diferenças e evitar brigas desgastantes

Não perca a cabeça! Há maneiras de 
lidar com as manias dele
Foto: Divulgação

Bagunça pela casa toda

Para as mais organizadas, objetos fora do lugar parecem provocar uma coceira que só cessa com a arrumação. E o parceiro sabe disso, embora jure ter “esquecido” aquele casaco sobre o sofá. Assim, mesmo inconscientemente, o bonitão conta com sua irritação para dar um jeito na bagunça dele. Que tal fingir não ter visto? Isso mesmo, mantenha suas coisas arrumadas e as dele uma zona. Acredite: uma hora ele vai sentir falta de tudo no lugar certo. Mas se ainda assim o abusado ousar reclamar, mande um “minhas roupas estão nas gavetas…”

“Tenho razão em tudo!”

Para a maioria dos teimosos, qualquer atitude conciliadora tem tudo para ser um indicativo de fraqueza. O problema é quando os dois acreditam ter razão e disputam para ver quem consegue impor o seu ponto de vista. “Acabar com um impasse exige, acima de tudo, liderança. Afinal, você toma a iniciativa, elabora um plano e executa sua jogada”, aconselha Richard Carlson, autor de Não Faça Tempestade para Casais (Ed. Rocco, R$ 27,50). Se, mesmo depois de você ter deixado o orgulho de lado o moço continuar marrento, problema dele!

Sons constrangedores

Podem ser as caminhadas pela sala completamente nu, os arrotos dignos de concurso, os espirros escandalosos ou os puns freqüentes. Não importa: para uma boa parte dos homens, tais comportamentos são naturais e nada desagradáveis. Alguns até os acham divertidos! Aliás, há casais que compartilham, quase sempre à base de muita risada, tais “escapadas”. Se você, ao contrário, considera tais atitudes um tanto quanto nojentas ou mesmo desrespeitosas, não existe outro jeito a não ser conversar. Quem sabe depois de ouvir os motivos dele você também não vira fã do naturalismo? Ele certamente ficará inspirado…

Grosseria gratuita

Vocês chegam em uma festa e as únicas palavras que ele parece saber são “sim” e “não”. De repente, as pessoas param de tentar conversar com o cidadão e você acaba isolada por tabela. E aí começa a briga… Vamos lá: quando vocês se conheceram, ele já era assim, certo? Ou seja, a falta de talento do indivíduo para comunicar-se sempre foi evidente – e talvez você tenha até se sentido atraída por isso! Que tal gastar menos energia tentando mudar o rapaz? Caso reclame da sua “falta de atenção”, lembre-o que o anti-social é ele. Aproveite para ressaltar que, caso seu amor estivesse disposto a conversar com os outros, o papo certamente ficaria ainda mais interessante.

Falta de parceria na dieta

Não é justo fazer o parceiro deixar de comer o que gosta só porque você está alguns quilos acima do peso. Mas daí o cidadão lhe oferecer de tudo… não dá mesmo! Deixe bem claro o porquê quer emagrecer, enfatizando o quanto essas gordurinhas extras a incomodam. Por fim, peça a ajuda do moço para perder peso. Deixe claro que isso não significa ele ter de acompanhá-la no regime, mas simplesmente incentivá-la nessa – dura! – empreitada.

Celular nunca atendido

Não importa se ele perde ou não recarrega o aparelho, o problema é o mesmo: vocês não conseguem se falar. Resta tomar algumas decisões sozinha. Não conseguiu avisá-lo sobre uma festa? Azar do moço! Espere ele ligar preocupado. Caso o argumento seja “deixe um recado na caixa postal”, mantenha-se firme: “Desculpe, mas me recuso a conversar com uma máquina”. Agora, se você não pára de telefonar, monitorando cada passo do rapaz, talvez ele não esteja esquecendo o celular, mas fugindo desse excesso de zelo!

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆