theLvibe: conheça a sex shop pensada para lésbicas

Você também já sentiu aquela sensação de que as sex shops não falam a sua língua? Pois seus problemas acabaram!

Siga o mdemulher no Instagram

Assim como tantas outras lésbicas e mulheres bissexuais, a publicitária carioca Marcia Soares estava cansada de passar por péssimas experiências em sex shops. “As lojas online não explicavam bem pra que serviam os produtos (algumas sequer mostravam o tamanho de um vibrador, informação básica) e o atendimento nas lojas físicas foram bem desconfortáveis (produtos de qualidade duvidosa a preços altos…). E, em especial, a gente não se sentia representada ou compreendida, pois toda a comunicação e atendimento eram sempre voltados para heterossexuais”, conta ela.

Foi quando, conversando com uma ex-namorada, surgiu a ideia de criar uma loja pensada com carinho para mulheres que transam com mulheres.

Reprodução Dessa forma nasceu a theLvibe, sex shop virtual sediada no Rio de Janeiro. A ideia começou meio de brincadeira, mas deu tão certo que hoje Marcia se dedica exclusivamente à loja.

Ela conta que cintas penianas são os produtos mais procurados, mas o catálogo também oferece lubrificantes (o destaque vai para os feitos com jambu, a famosa planta “elétrica” do Pará), vibradores (como o famoso rabbit da Charlotte, de Sex and the City) e até produtos masculinos que podem ser adaptados ao prazer das mulheres. “O anel peniano nós indicamos para uso nos dedos e é ótimo. Também tem os masturbadores masculinos, que se usados do lado do avesso são ótimos para estimulação do clitóris”.

“Estou passando a noite com meu vibrador.”

“Estou passando a noite com meu vibrador.” (/)

Mas o rolê é exclusivo para lésbicas e bis? Não. A ideia é falar a língua de mulheres que transam com mulheres, mas garotas heterossexuais também vão encontrar muita coisa bacana e o melhor de tudo: um atendimento feito por quem realmente foca no prazer feminino.

“Não dá pra dizer que um determinado sextoy é para lésbicas ou para heteros, não é mesmo? Cintas penianas, por exemplo, também são muito vendidas para casais heterossexuais. A gente acaba atendendo não somente lésbicas, claro. Mulheres de todos os gostos se sentem à vontade para comprar, porque afinal de contas, somos mulheres falando com outras mulheres, nos entendemos todas”, explica Marcia.

Ela também dá a dica de que sextoys são ótimos presentes para as migas e, na família dela, até a avó já ganhou um vibrador. “Ela riu muito, falou que não ia usar. Aí eu disse que ela podia usá-lo para fazer massagem nas costas (é ótimo!). Não sei o que ela decidiu [risos]”.

Divulgação E o slogan da loja diz tudo: “Os melhores produtos. Escolhidos a dedo”. Marcia explica que, ao invés de ter um catálogo gigantesco, a ideia da theLvibe é vender produtos carinhosamente selecionados e 100% confiáveis.

“Tudo que está na loja tem uma dedicação de muitas horas de testes e de criação de conteúdo para explicar como aquele produto funciona, para que serve, suas medidas, enfim, todo o detalhamento possível que uma loja online pode oferecer para amenizar a inviabilidade de tocar o produto e ter o contato pessoal”.

DivulgaçãoA theLvibe manda encomendas para todo o Brasil e clientes da capital carioca podem, inclusive, fazer pedidos sem taxa de entrega. “Criei um ‘serviço de entrega expressa’ sem custo adicional para regiões próximas. Assim, muitas vezes entrego de bicicleta ou de patins e a cliente pode até receber o pedido no mesmo dia da compra”.

E rola também o serviço de sex shop móvel, que pode ser solicitado para eventos como chás de lingerie e afins. É muita vibração positiva!