9 cores de esmalte inspiradas no glamour dos anos 20

Leve para as suas unhas todo o brilho e o charme das mulheres que contrariaram as tradições da época com muita atitude e estilo

Ahhh, os loucos anos 20. Para diversas mulheres, essa foi a década da ousadia, da liberdade. Elas deixaram os espartilhos de lado e rechearam seus guarda-roupas com vestidos soltos – e na altura do joelho, ousadíssimos até então – para poderem dançar fervorosamente o jazz. Os cabelos ficaram bem curtinhos, e a maquiagem, em evidência.

Elas quebravam tabus, exigiam ser tratadas de igual para igual e falavam de temas polêmicos sem o menor problema. Usavam colares, joias, paetês e muito brilho. Eram únicas e, por isso, marcaram a história para sempre. Não à toa, a Granado acaba de lançar uma linha com nove esmaltes, cada um homenageando uma personalidade da época. Olha só que máximo!

 

Esmalte Clara

Cor: Rosa nude perolado. Clássico e discreto, o tom combina com qualquer look, principalmente os mais chamativos, já que o contraste fica suave. O acabamento perolado dá um toque charmoso às unhas.

Quem foi Clara: de infância difícil e talento inquestionável, Clara Bow foi uma atriz que ficou eternamente conhecida como a it-girl da época. Com estilo único, não demorou muito para se tornar uma das grandes atrizes da época. 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Esmalte Dorothy

Cor: Rosa cereja. Marcante, intenso e perfeito para produções ousadas ou para tirar o básico do lugar-comum. O fundo rosado garante elegância a qualquer visual.

Quem foi Dorothy: Dorothy Parker foi uma talentosa artista americana que encantava pela inteligentíssima escrita sátira. Aliás, essa virou sua principal característica. Subiu ao topo de Hollywood como roteirista e ficou marcada na história.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Esmalte Josephine

Cor: Rosa queimado. Ideal para quem gosta de esmaltes nude, mas quer variar um pouco. O tom tem tudo para deixar as peças mais fresquinhas ainda mais charmosas. Discreto na medida certa, pode ir do dia para a noite sem problemas. 

Quem foi Josephine: Josephine Baker é considerada a primeira grande estrela negra das artes cênicas. Naturalizada francesa, começou a carreira na infância e despontou com apresentações memoráveis ao longo da carreira.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Esmalte Edna

Cor: Nude acinzentado perolado. A cor veio mesmo para ficar! O motivo? Perolada, ela consegue deixar qualquer look mais elegante, seja um jeans básico, seja um vestido floral.

Quem foi Edna: Edna Purviance foi a atriz favorita de Charles Chaplin e a que mais atuou em seus filmes, sempre como a estrela principal. Edna foi também uma grande pianista.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Esmalte Gabrielle

Cor: Chumbo perolado. Para produções mais refinadas, o tom é a pedida certa. Combine-o com o famoso pretinho básico, com ternos, alfaiataria… Aqui, o esmalte é o acessório ideal.

Quem foi Gabrielle: Gabrielle “Coco” é a criadora da Chanel e a única estilista na lista das pessoas mais importantes da história do século XX. Sua história é tão empolgante e fascinante quanto suas criações.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Esmalte Bessie

Cor: Vinho bordô. A cor é perfeita para produções noturnas. Mais fechada, faz par perfeito com vestidos glamourosos e de tons metálicos.

Quem foi Bessie: Bessie Smith foi a mais popular cantora de blues do século XX – muitos a chamavam de A Imperatriz do Blues –, tendo influenciado quase todos os vocalistas de jazz que surgiram posteriormente.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Trio de Melindrosas

Cores: Rosa prateado, branco metálico e bronze metálico. Os tons, neutros e elegantes, contam com acabamento metalizado, o que garante elegância e modernidade a qualquer produção.  

Quem foram Colleen, Norma e Gilda: Colleen Moore foi uma grande atriz do cinema mudo, responsável por popularizar o chanel curtinho, típico das melindrosas. Já Norma Talmadge foi uma das estrelas melodramáticas mais importantes do cinema mudo, também conhecida pela sua elegância e glamour. Gilda Grey, uma reconhecida dançarina da época, popularizou o ousado passo de dança shimmy, em que o tronco balança de um lado para o outro, evidenciando as franjas típicas dos looks das melindrosas.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s