Conheça os melhores métodos para aliviar a dor na depilação

Hidratar, esfoliar, gelar e enganar a pele são maneiras não invasivas de evitar o sofrimento para se livrar de pelos indesejados

A depilação faz parte da cultura brasileira. É verdade que muitas mulheres têm optado por não serem tão dependentes da pele lisinha para se sentirem bem, mas não há como negar que tirar os pelos da virilha, das axilas e ao menos da parte inferior das pernas é um hábito feminino já enraizado por aqui.

Leia mais: Tudo sobre depilação

O problema é que, quando se opta pela cera (quente ou fria), depilação pode virar sinônimo de dor e sofrimento. E não precisa ser assim, pois existem vários métodos não invasivos para evitar que esse momento seja tão tenso.

As dermatologistas Caroline Mourão Abdo, da Clínica de Cirurgia Plástica Landecker, e Gladys Mattei indicam, a seguir, as melhores formas de tornar a depilação mais agradável.

 

Hidratar sempre

Pele hidratada é pele protegida. Caroline conta que o trauma da cera puxando os pelos pode levar à dor e também à formação de manchinhas, que tecnicamente se chamam hipercromias pós-inflamatórias e são responsáveis pelas axilas ou virilhas escuras de que tantas mulheres reclamam.

O hábito de passar hidratante diariamente nas áreas que costumam ser depiladas deixa a camada externa da pele mais resistente e menos suscetível à dor dos puxões e ao surgimento dessas lesões. Gladys sugere, inclusive, que de vez em quando sejam usados aqueles hidratantes bem “grossos”, à base de ureia ou de lanolina, para dar um turbo na hidratação.

 (Wavebreakmedia Ltd/Thinkstock)

 

Esfoliar na véspera

Vários pelos menores ou mais ralos ficam “escondidos” sob uma camada fininha da pele, o que torna difícil a tarefa de chegar a um resultado perfeito. Conclusão: a depiladora aplicará a cera mais vezes no local ou apelará para uma pinça para alcançá-los, causando mais dor do que o necessário. Na esfoliação, a tal camada fininha é rompida e esses pelos ficam expostos. Tudo fica muito mais prático e menos dolorido.

A esfoliação pode ser feita no banho um dia antes da depilação, com uma bucha ou um creme esfoliante..

 

“Anestesiar” a pele com cubos ou bolsas de gelo

Aplicado logo antes da cera, o gelo anestesia levemente a pele. Isso, é claro, diminui bastante a dor. Mas Caroline faz uma ressalva: “O gelo pode queimar a pele, então não deve ser colocado diretamente sobre qualquer região a ser depilada. O ideal é embrulhar os cubos em um pano ou toalha, colocá-los em um saquinho ou usar bolsas de gelo”.

 (tab1962/Thinkstock)

 

Recorrer a aparelhos que “enganem” a dor

Sim, é possível enganar a pele para não sentir dor. Gladys explica que funciona assim: a pele tem muitos receptores nervosos, cada um reagindo a um estímulo – dor, coceira, vibração, temperatura e muitos, muitos outros. Quando uma sensação se destaca, as outras são ignoradas.

Para isso ter efeito na depilação, portanto, algo precisa ser mais forte que a dor. Um método bem simples é colocar sobre a pele um aparelho que vibre bastante e faça a atenção se voltar totalmente à vibração, deixando a dor de lado. Neste momento, a cera deve ser puxada.

Existem à venda aparelhos portáteis, em formatos fofos (joaninha, abelha – juro que não estamos falando de vibradores, tá?) (mas super ok usar as joaninhas ou abelhas eróticas nos lugares e momentos certos, claro), adequados para esse fim. Vale o investimento!