Homens são os novos consumidores assíduos de make

Esse consumo masculino das maquiagens movimentou muito a indústria, que agora tem campanhas e lançamentos próprios para eles.

Falar que os tempos mudaram é quase superficial para descrever o que vem acontecendo no mundo. Os poderosos millennials (a geração nascida de meados dos anos 1980 aos 1990) vieram para quebrar preconceitos, tabus e desmistificar certos conceitos que antes eram vistos como padrão, a exemplo das definições de gênero. “As classificações que eram entendidas como comuns se tornaram mais fluidas, em um movimento que vem sendo notado desde 2014”, afirma Lívia Nottoli, expert do bureau de tendências WGSN. O que isso quer dizer? Que a divisão entre o que é “coisa de mulher” e o que é “coisa de homem” está caindo por terra. “A autenticidade passou a ter um valor maior e aspectos individuais ganharam força e são mais explorados”, diz ela.

O caminho até a ausência total de definição é longo, mas já está sendo percorrido, em especial na moda e na beleza. Exemplos claros: no ano passado, a Avon lançou um BB cream com a proposta de ser um produto genderless. O convite a uma vaidade sem regras estava na campanha, que trouxe homens e mulheres usando maquiagem. Alguns meses depois, a marca norte-americana de cosméticos Cover Girl convidou o também norte-americano James Charles, 18 anos, um fã confesso de maquiagem e sucesso nas redes sociais, para que fosse seu primeiro garoto-propaganda. Mais recentemente, em fevereiro deste ano, a Natura reinventou a sua linha de make Faces, uma das mais conhecidas, que ganhou embalagens minimalistas e produtos dois em um para atender homens e mulheres. “Queremos nos conectar com pessoas de espírito livre, ligadas a movimentos culturais e sociais e estimular todo mundo a expressar seu estilo, a sua atitude e a sua beleza por meio da maquiagem sem se preocupar com preconceitos”, afirma Maria Paula Fonseca, diretora de cosmética da marca. Outra a entrar nesse jogo foi a Dermage, que acaba de lançar, em parceria com o ator Klebber Toledo, sua primeira linha dedicada a eles.

Essa ruptura encontra nas redes sociais seu palco principal. Foi dividindo técnicas de maquiagem que o norte-americano Jake Warden, de apenas 15 anos, conquistou sucesso no Instagram (em que tem mais de 2 milhões de seguidores) e no YouTube. O mesmo acontece com os brasileiros Luh Sicchierolli, 28, youtuber e fundador do canal Estilo Bifásico, um dos primeiros sobre make para eles, e Rômolo Cricca, 17, maquiador e youtuber, que dominam atualmente um espaço que antes era puramente feminino.

É importante ressaltar que nenhum deles é drag queen ou transformista. Estamos falando de homens que se sentem bem cuidando de si mesmos, seja corrigindo imperfeições discretas, seja arrasando com um esfumado preto. Homens que pararam de olhar para a maquiagem como um artifício só para mulheres e perceberam que bases, corretivos, máscaras de cílios e batons são feitos para peles, olhos e bocas – partes do corpo comuns a todos. “Não fazemos produtos classificados por cromossomos. Todas as pessoas podem usar tudo”, afirma Fabiana Gomes, maquiadora sênior da M.A.C, marca cujo lema é “todas as idades, etnias e gêneros”. A primeira coleção da label com um homem foi em 1994, com a drag queen RuPaul. Duas décadas depois, a postura continuava e, no ano passado, foi a vez de os irmãos nova-iorquinos Peter e Harry Brant criarem uma coleção inteira em parceria com a marca.

Cada um à sua maneira

Existem, no entanto, diferenças nesse universo. Enquanto alguns homens querem usar cílios postiços, outros, como o digital influencer paulistano Gabriel Gontijo, 26 anos, preferem uma produção mais casual. “Não abro mão da base no dia a dia para corrigir o que me incomoda”, diz ele. O apresentador pernambucano Caio Braz, 30, que começou a pintar as unhas há pouco, vai pela mesma linha. “Vi pessoas usando na noite e achei divertido. Tenho pintado sempre, variando entre tons de cinza e preto.” Em entrevista recente ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, Johnny Hooker também falou sobre o assunto. O cantor e ator pernambucano, 29, contou que sempre teve “fixação pela atriz Elizabeth Taylor”, de quem traz a referência do delineado gatinho que usa em suas apresentações.

A mensagem desse movimento é clara: quebrar o paradigma de que a vaidade é coisa de “mulherzinha”. “Quando eu comprei o meu primeiro corretivo, fiquei tímido e preocupado com o que iriam pensar. Mas, hoje, não ligo se vão reparar ou não que estou maquiado”, afirma Sicchierolli.

James Charles, o primeiro homem escolhido pela Cover Girl para estrelar uma campanha de beleza.

Johnny Hooker, cantor pernambucano que tem como uma de suas marcas o delineado gatinho.

O digital influencer Gabriel Gontijo, que usa base no dia a dia para corrigir pequenos incômodos.

Luh Sicchierolli, criador do canal no YouTube Estilo Bifásico, um dos primeiros destinados aos homens.

Portrait by @iude 🤘🏻✨ #gingerboy

A post shared by Luh Sicchierolli (@luhsicchierolli) on

Rômolo Cricca, maquiador e youtuber, que compartilha tutoriais de maquiagem e cabelo em seu canal de vídeos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s