Psicóloga explica porque a quarentena deve aumentar os casos de depressão

Além do luto, maus hábitos como trocar o dia pela noite e abusar do açúcar podem ser fatores para desenvolver a doença

Mais açúcar na alimentação, menos exercícios físicos, sono desregulado, sobrecarga de serviços domésticos: estes são apenas alguns dos motivos que devem elevar o número de brasileiros com depressão após o período de quarentena – hoje, a doença acomete 12 milhões de pessoas no país, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Tudo isso sem mencionar o luto enfrentado por muitos. “O ser humano precisa de rituais como o velório para conseguir elaborar internamente o falecimento de alguém próximo. Quando não há esta possibilidade, a morte acaba sendo mais difícil de digerir”, afirma Beatriz Brandão, psicóloga clínica mestranda em psicologia clínica junguiana pela PUC-SP

Ela explica que a falta de rotina comum no confinamento, bem como mudanças súbitas no ritmo de vida, abrem espaço para a depressão. “De um dia para o outro, as pessoas se viram obrigadas a trabalhar de casa, conciliando serviços domésticos com os cuidados com as crianças. Este cenário conturbado tornou-se uma queixa frequente no consultório, feitas por pacientes que já apresentam sinais de estafa”, diz a especialista.

A alimentação carregada de açúcar é outro ponto destacado por Beatriz. Conforme ela explica, consumi-lo aumenta o nível de substâncias inflamatórias no organismo, elevando o risco de depressão. “O chocolate pode até aumentar as endorfinas no corpo e proporcionar bem-estar momentâneo, mas seu excesso tem mais efeitos negativos do que o contrário”.

Já a falta de exercícios físicos também traz problemas àqueles que têm propensão a se tornar depressivos, já que os esportes liberam endorfinas em nosso cérebro capazes de propiciar  sensação de paz e de tranqüilidade. Logo, ficar sem praticá-los pode ser mais uma bola fora para a saúde mental.

Para finalizar a lista dos vilões da quarentena, estão as dificuldades financeiras, que literalmente tiram o sono dos brasileiros – uma outra razão para adoecer . “Tanto a insônia quanto o hábito trocar a noite pelo dia prejudicam  à saúde e podem contribuir para um quadro de depressão”, conclui a psicóloga.