Como o cronograma capilar ajuda a recuperar seus fios

E mais: o erro que você com certeza comete quando hidrata o cabelo.

A ideia do cronograma capilar surgiu entre blogueiras de beleza e nada mais é do que uma “agenda de hidratações” para os fios. O propósito é criar uma rotina que intercale diferentes tipos de produtos e máscaras para revitalizar os cabelos em todos os aspectos – ou, melhor dizendo, de dentro para fora.

“A estrutura capilar é formada pela proteína chamada queratina e ao realizar processos químicos pode ocorrer a quebra dessa proteína, que é como um colar de pérolas (os aminoácidos são as bolinhas). Infelizmente não existe uma forma de ‘colar’ definitivamente esse aminoácido no cabelo. Por isso, as máscaras precisam ser aplicadas continuamente, pois são removidas a cada lavagem. A hidratação melhora o volume, a penteabilidade, a resistência e fortalece a cor”, explica a dermatologista especializada em tricologia Dra. Elizete Kaffer.

Por que o cabelo fica tão frágil?

Reprodução/Giphy Reprodução/Giphy

Reprodução/Giphy (/)

O uso de secadores, chapinhas ou babyliss todos os dias, além do hábito de prender os cabelos com elástico e não usar produtos adequados causa a quebra da estrutura e vai enfraquecendo o fio. “A quebra da queratina nos fios causa uma eletricidade estática no cabelo que o fragiliza”, afirma Dra. Elizete. Existem três tipos de ligações químicas na estrutura capilar que podem ser rompidas:

  • Pontes de hidrogênio: são quebradas quando você molha o cabelo, independente da temperatura da água.
  • Pontes salinas: são quebradas pela temperatura da água. Quando quente, a água quebra as pontes salinas e faz com que os fios fiquem mais lisos, mas abre menos a cutícula e consequentemente remove menos sujeiras.
  • Pontes de enxofre: são quebradas com tratamentos químicos como a progressiva, que utiliza formol ou amônia.

Basicamente o cronograma se resume a intercalar a cada 48 horas (dia sim/dia não) as lavagens e combinar com a hidratação, nutrição ou reconstrução. É preciso ficar atenta ao seu tipo de cabelo e também à necessidade dele de cada etapa do processo, criando intervalos maiores ou menores entre cada procedimento.

Os 4 passos para fios perfeitos

Reprodução/Giphy Reprodução/Giphy

Reprodução/Giphy (/)

A tricologista ensina o jeito correto de lavagem para poder sair batendo muito cabelo por aí:

  • Molhe os fios e lave com xampu, removendo bem o produto;
  • Seque levemente com uma toalha e aplique a máscara enluvando bem os fios. Deixe por alguns minutos com o uso de uma touca (ou outro aparato) para penetrar na fibra.
  • Atenção aqui: aplique o condicionar por cima da máscara e antes de enxaguar. “Um dos erros mais comuns é aplicar a máscara após o condicionador, o que não funciona, pois ele serve para fechar a cutícula, impedindo que a máscara se fixe no córtex. Se enxaguar após a aplicação da máscara, você faz o processo inverso e remove todo o produto.”
  • Enxague os produtos dos fios já selados e finalize com um leave-in (ou os selantes à base de silicone). Só fique atenta, pois silicone e altas temperaturas (secador, chapinha e babyliss) não combinam!

Dica: na hora de lavar, use um xampu anti-resíduos ou então o bicarbonato de sódio para abrir a cutícula e permitir que os produtos penetrem bem no cabelo. “Esse tipo de produto eleva o pH do fio, que normalmente é ácido, abrindo a cutícula e expondo o córtex, onde ficam as proteínas, o pigmento, a água e basicamente toda a estrutura do cabelo.” Prefira utilizá-lo apenas uma vez por semana para evitar o ressecamento excessivo dos fios, ok?

Entendendo os procedimentos

Reprodução/Giphy Reprodução/Giphy

Reprodução/Giphy (/)

“Existem dois tipos de produtos: os domiciliares e os profissionais, pois eles têm toxicidades diferentes que precisam seguir orientações específicas para serem utilizados. A linha profissional consegue alterar mais facilmente o pH dos fios – tanto aumentando quanto retornando ao original -, por isso é indicado fazer com o acompanhamento do cabeleireiro. Outra dica é sempre finalizar um tratamento químico com uma hidratação, que indicamos fazer no salão, e fazer a manutenção em casa”, explica a tricologista.

Hidratação

É feita para repor a água dos fios. Indicado para os fios que estão sem brilho e ressecados, que embaraçam com facilidade.

  • Produtos indicados: procure máscaras com silicone, álcool modificado, bases de frutas, vegetais, glicerina e pantenol.

Umectação ou Nutrição

É feita para devolver os lipídios para os fios, nutri-los – devolve também a oleosidade natural dos cabelos. “O óleo consegue fixar a água do banho na fibra capilar, e o que realmente hidrata é a própria água, por isso não adianta passar o óleo no cabelo seco”, ensina a Dra. Elizete. Indicado para cabelos com muito frizz e sem movimento e também como leave-in para os cabelos secos.

  • Produtos indicados: você pode usar as que contêm óleos em suas formulações (que não sejam os minerais) ou então os próprios puros, como o de coco ou argan.
  • Como fazer: “O ideal é usar óleos vegetais, como o de coco, argan ou de amêndoas, e não os sintéticos (que vêm do petróleo). Deve ser aplicado entre o xampu e o condicionador, evitando a raiz do cabelo (aproximadamente 1cm), pois isso poderia causar uma obstrução dos poros, levando a seborreia e descamação.”

Reconstrução

É a etapa que repõe as proteínas dos fios, como a queratina, arginina, cisteína etc. Indicado para cabelos que estão porosos, elásticos, quebradiços, finos. Pode ser feita em casa ou nos salões, principalmente a cauterização (que envolve usar o calor para fixar o produto nos fios).

  • Produtos indicados: são aquelas com base de queratina, creatina, arginina e colágeno por exemplo.

Leia mais: Seu cabelo quase virgem de novo com a reposição de queratina

Sugestão de cronograma

Semana 1

  1. Hidratação
  2. Hidratação
  3. Nutrição

Semana 2

  1. Hidratação
  2. Hidratação
  3. Nutrição

Semana 3

  1. Hidratação
  2. Hidratação
  3. Reconstrução

Semana 4

  1. Hidratação
  2. Hidratação
  3. Nutrição

Cuidado com os excessos

Reprodução/Giphy Reprodução/Giphy

Reprodução/Giphy (/)

O excesso de queratina provoca o efeito contrário de recuperar os fios e pode provocar a queda deles. O indicado é a cada 15 dias enquanto estiver muito danificado e depois uma vez por mês. “Seguindo a ordem das lavagens, não há problemas para os fios. Se o creme for utilizado após o condicionador, aí ele faz uma selagem mecânica do fio, obstruindo os poros. O problema não é a frequência, mas sim o uso incorreto. Cada produto tem sua função: um abre a cutícula e o outro fecha, por isso, substituir a máscara pelo condicionador não funciona. Isso faz com que a cutícula fique aberta e mais suscetível a poeira, sujeira, fungos e esse é o motivo que altera a estrutura capilar”, alerta a dermatologista.