5 dicas para enriquecer seu currículo e encontrar o emprego dos sonhos

Conseguir um bom trabalho não é tarefa simples para ninguém. Então, que tal inverter o jogo fazendo o emprego encontrar você? Confira as nossas dicas e se torne a profissional que todo mundo quer contratar.

Saber valorizar suas qualidades é essencial para ser bem avaliada pelos empregadores
Foto: Getty Images

Conecte-se

Nem só de lazer se faz uma rede social. O LinkedIn que o diga! Para quem ainda não conhece, a prioridade por lá não é encontrar amigos, e sim contatos de trabalho. Para se destacar no site, o coach de carreira Gustavo de Lopes (SP) recomenda preencher o cadastro inteiro e mantê-lo atualizado. “Inclua todos os cursos e seminários dos quais participar. Esses detalhes enriquecem o perfil”, defende. Para aproveitar melhor a rede, você pode pedir para um antigo chefe escrever uma recomendação, seguir empresas do seu interesse e ingressar em grupos de profissionais para trocar experiências. Tudo gratuitamente!
 

Por falar em net…

Você sabia que algumas empresas bisbilhotam a vida dos candidatos nas redes sociais? Por isso, tente ser sincera nas suas colocações. Gustavo de Lopes conta que já entrevistou uma pessoa que disse não fumar nem beber, mas bastou um clique no Facebook para encontrar várias fotos da dita-cuja na balada, fazendo exatamente o contrário. “O problema não é o que se faz nos momentos de lazer, mas a mentira”, explica o coach de carreira. Telma Souza, diretora de RH da Catho (SP), cita outras gafes que devem ser evitadas no mundo virtual: “É péssimo para a imagem do candidato se envolver em polêmicas, tecer comentários maldosos ou preconceituosos, viver reclamando da vida, escrever palavrões ou cometer erros de português”. Outra saída para não queimar o filme é ajustar as configurações de privacidade para que só amigos consigam ver as suas publicações.
 

Você tem QI?

O famoso “Quem Indica” não é motivo para vergonha. Pelo contrário, demonstra capacidade de bom relacionamento com colegas de trabalho. “Existem empresas que só contratam por indicação, pois defendem que é bom trazer para a equipe um profissional com referências”, explica Gustavo. Se você ainda não tem contatos para dar esse empurrãozinho na sua carreira, mais um motivo para correr para o LinkedIn. Entrar em sites que anunciam vagas de emprego também pode ser uma solução. O vagas.com.br e o infojobs.com.br são gratuitos. Já o catho.com.br, apesar de pago, oferece cursos e ajuda a melhorar o currículo. Cadastre-se no maior número de vagas possível (desde que tenham o seu perfil), para aumentar a chance de entrar num processo seletivo.
 

Moleza de entrevista

Para arrasar nesse “bate-papo”, é preciso ter bom senso: ser espontânea sem ser espalhafatosa, ser verdadeira sem contar que você tem um mau humor terrível às segundas-feiras… Outra dica que abre portas é a simpatia. “Converse com os demais candidatos, com a secretária e com a recepcionista; tente descobrir como é trabalhar na empresa. Além de relaxar, você vai colher informações úteis e demonstrar interesse pela vaga”, ensina Gustavo. O look certo também ajuda: camisa, calça ou saia preta e sapato social são peças à prova de erro. Jamais use decote, transparência, roupa justa ou curta demais, pois podem passar uma impressão errada sobre você.
 

Capriche no currículo

Além de incluir dados essenciais, como contato, formação e experiência profissional, veja o que fazer para se valorizar:
 
Defina uma meta: descreva as suas intenções logo no início. Exemplo: “O meu objetivo é trabalhar na área de Recursos Humanos, no setor de recrutamento”. Isso demonstra que você sabe aonde quer chegar.
 
Apresente-se: uma carta de apresentação funciona como um resumo do currículo. Escreva um texto constando o seu nome, a sua idade e formação, lugar de onde você é e onde trabalhou. Aproveite para deixar um número de contato bem visível.
 
Mostre-se: é bacana incluir uma foto 3×4, com fundo branco, para que o recrutador associe as informações descritas a uma pessoa. Aposte num visual discreto.
 
Anexe um portfólio: reúna exemplos do que você já fez em cursos ou trabalhos anteriores. Pode ser em forma de texto, material gráfico, desenho, foto, vídeo etc. Tudo impresso ou reunido num blog.
 
Fique disponível: Gustavo de Lopes conta que o que mais incomoda os recrutadores é não conseguir falar com um candidato pelo telefone indicado no currículo. Por isso, dê o número do seu celular e não desgrude dele enquanto estiver esperando uma resposta.