Como abrir uma empresa

Saiba exatamente o que fazer para tirar sua ideia do papel e ser dona do próprio negócio

Como abrir uma empresa

Conhecer bem o mercado e a concorrência 
é essencial para o seu negócio ir bem
Foto: Getty Images

Você sonha em ter sua empresa e fazer aquilo que gosta? Então, é hora de tornar isso realidade! Se está cheia de ideias, melhor ainda: ”Pessoas criativas, autônomas e independentes têm mais chances de sucesso”, diz Fernando Dolabela, consultor de empreendedorismo. A seguir, confira as dicas dele e dos especialistas Reinaldo Messias e Sandra Fiorentini, do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

O passo a passo para abrir o seu negócio

1. Identifique o que gosta
Primeiro, defina com o que você mais gostaria de trabalhar – restaurante, salão de cabeleireiro, etc. Afinal, para que o negócio dê certo, é preciso que você goste da atividade. Pesquise também se ela tem clientes potenciais na sua região. E prepare-se para trabalhar muito: ao contrário de um empregado, que tem jornada específica, o empreendedor se dedica 24 horas ao empreendimento.

2. Conheça bem seu futuro negócio
É importante que você domine bem o ramo onde pretende investir. Por isso, vá a lojas similares à sua (em outras regiões), dê uma olhada discreta e tente conversar com dono e funcionários para conhecer as dificuldades da área. Essa pesquisa de mercado também é boa para avaliar quantas pessoas você terá que contratar na sua nova empreitada.

3. O sócio certo
Se você vai montar o negócio com um parceiro, lembre-se: uma sociedade é como um casamento. Você e seu sócio tocarão a empresa e tomarão decisões juntos. Essa pessoa deve ser alguém que, além de investir na empresa, ajudará a geri-la. E vocês precisam ter uma relação de afinidade e confiança, pois, se não gostarem de fazer as mesmas coisas, a empresa não irá para frente.

4. Planeje
Chegou a hora de montar seu plano de negócio. Eis alguns itens que você deve avaliar: ”Quais produtos/serviços vou oferecer?”, ”Quem será meu cliente?”, ”Quanto cobrarei?”, ”Quantos funcionários terei?”.

5. Quanto investir?
Nesse estágio, analise a grana que terá que aplicar na empresa e o quanto tem disponível em caixa. Para isso, elabore um plano de gastos. Pegue papel e caneta (ou abra uma planilha no computador) e calcule toda as despesas do investimento. Anote quanto gastará com: imóvel, instalações, equipamentos, contratações, legalização da empresa e capital de giro – o dinheiro que você utilizará para pagar contas de luz, água, etc., enquanto a empresa ainda não está dando lucro. Com os dados em mãos, você descobre quanto gastará e poderá saber se dará conta sozinha ou se precisará recorrer a empréstimos (veja como conseguir um no quadro sobre crédito fácil).

6. Escolha do imóvel
Na hora de definir onde sua empresa vai se instalar, preste atenção nos seguintes detalhes: o lugar deve ser de fácil acesso, ter infraestrutura de água, luz, esgoto e telefone e não estar próximos a zonas de riscos. Veja também se o imóvel está legalizado e regularizado, exigindo todos documentos, inclusive o IPTU em dia. Se for alugar, o contrato de locação é imprescindível (leia mais sobre o assunto na matéria As novas regras para o aluguel, na pág. 26).

7. Registro da empresa
Escolhido o imóvel e firmado o contrato de locação, você precisa constituir a sua empresa. Esse processo é um pouco complexo, e você pode precisar da ajuda de um contabilista. Se você for mesmo a única dona da empresa, o registro deverá ser feito como ”Empresário”. Se o empreendimento tiver sócios, se transformará em ”Sociedade Empresária” . Dentro dessa categoria há várias opções. A melhor para a pequena empresa é a ”Sociedade Limitada”, pois possui regras mais simples que as demais. Ah, a idade mínima para abrir empresa é 18 anos.

8. Documentos
Definiu o nome da empresa? Então, faça o pedido de busca na Junta Comercial da sua região para verificar se não há outra sociedade com o mesmo nome. Se tudo estiver ok, entregue os seguintes documentos ao órgão: cópia do IPTU do imóvel onde será a empresa; contrato de locação registrado em cartório ou declaração do proprietário; cópia autenticada do RG e CPF/MF dos sócios e do comprovante de endereço de ambos. Para o registro também é preciso elaborar e apresentar o contrato social da empresa: a certidão de nascimento do negócio. Você pode conseguir um modelo com seu contabilista.

9. Registro e tributação
Após conseguir seu registro na Junta, leve a certidão na Receita Federal para dar entrada no CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. Então, cadastre-a na prefeitura da sua cidade (para recolher tributos municipais) e nos órgãos que liberam o alvará de seu negócio, como a Vigilância Sanitária, no caso de empresas que lidam com alimentação. Quanto a tributação e encargos sociais, o programa Simples Nacional é ideal para microempresas, pois a cobrança tributária é recolhida mensalmente em um documento único.

10. Contratação
Precisa contratar? Então, peça ajuda ao contabilista. O profissional vai informar sobre os pisos salariais, tributos empregatícios, direitos dos funcionários, etc. Lembre-se: contratar empregados de forma irregular gera grandes problemas, como possíveis processos trabalhistas que podem até fechar o seu negócio.