Evite roubadas nas compras coletivas

Saiba como fugir de problemas dos sites e, se for o caso, veja como exigir o prometido

Compras coletivas podem ser vantajosas, mas é preciso cuidado antes de fechar a oferta
Foto: Getty Images

Pagar a metade do preço por um super-rodízio naquela churrascaria bacana é o máximo! Mas e se os pratos forem malservidos e você não for bem tratada pelos garçons só porque pagou o banquete com um cupom de desconto de site compras – coletivas, o sonho vira pesadelo! Situações como essa são comuns e é preciso ficar de olho para não cair em furadas.

Preparamos um guia para você evitar problemas ou saber o que fazer se algo der errado. Afinal, seja lá qual for a promoção do site, lembre-se: você pagou com antecedência e merece tratamento especial!

Guia da compra segura

· Antes de comprar, pesquise. Digite o nome do site de compras coletivas no Reclame Aqui ou no Desabafo Urbano para descobrir denúncias ou ver soluções de casos problemáticos.

· “Investigue” a empresa que oferece a promoção. Em geral, há poucos detalhes no sites de compra. Por isso, o jeito é visitar a página da empresa na internet e buscar fotos dos produto ou do lugar onde serviço será prestado (caso seja um restaurante, uma clínica ou um hotel turístico). Vale fuçar no Facebook para checar os comentários de outros consumidores.

· Leia todo o regulamento da promoção. Parece óbvio, mas muita gente fecha a compra sem ler as linhas pequenas do cupom. Se for necessário, ligue para a empresa e tire as dúvidas. Só compre depois de tudo estar bem esclarecido!

Os principais problemas e como resolvê-los:

É comum empresas discriminarem clientes com cupons. Bote a boca no trombone!

· Você chega na churrascaria para desfrutar do seu cupom, mas os garçons não lhe dão atendimento igual ao dispensado aos “clientes normais”.

Reclame do mau atendimento! “Se não melhorar, tire fotos de pratos malservidos, grave a conversa com o garçom e anote os nomes de quem viu a situação para servirem de testemunhas se quiser levar o caso à Justiça”, diz a advogada Rúbia de Araújo, especialista em direito eletrônico.

· Aquele final de semana na praia foi horrível: o hotel era chinfrim e os passeios super-rápidos e sem graça.

Peça seu dinheiro de volta ao site de compras coletivas. “São os admistradores do serviço online que receberam o seu dinheiro e cabe a eles fazer a devolução”, diz a advogada Rúbia Araújo. Se esse dinheiro nunca vier, procure o Procon ou o Juizado Especial Cívil, o antigo Pequenas Causas.

· Você comprou um cupom de escova progressiva. Mas no salão, o cabeleireiro fez uma escova simples.

Converse com o dono do salão, explique que é seu direito ter o serviço pelo qual pagou. Se conseguir alisar seus cabelos, volte para casa e reclame do site e do salão nas redes sociais. Se não conseguir a progressiva, busque o site de compras coletivas e exija seu dinheiro de volta ou a substituição do serviço por outro, de outra empresa.