Nome sujo nunca mais

Se você está com o nome sujo na praça, siga nosso passo a passo para acabar com as dívidas

Nome sujo nunca mais

Organizar uma planilha de custos ajuda 
a cortar os gastos excessivos
Foto: Getty Images

Entenda o que é ficar com o nome sujo 

. Ao fazer uma dívida, o estabelecimento ou a empresa lesada pode incluir o seu nome no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), Serasa, Banco Central e até em cartório (algumas empresas recorrem ao órgão para reclamar contas não pagas).

. É importante saber que você não pode ser incluído nesses órgãos sem aviso prévio”, diz Marcel Solineo, economista chefe da Associação Comercial de São Paulo. “Esse aviso vem através de uma carta e é seu direito ter cerca de dez dias após o recebimento da carta para colocar a situação em ordem”, afirma Solineo.

. Se não conseguir cumprir esse novo prazo, você perderá crédito na praça. Isso significa que terá dificuldade em comprar a prazo, pois, para abrir um crediário, as empresas costumam consultar os bancos de dados com informações de pessoas físicas e jurídicas inadimplentes.

Na ponta do lápis 
Fábio Gallo, professor da FVG, aconselha montar um orçamento para descobrir quanto você pode destinar por mês ao pagamento da dívida. Organize uma planilha em A (alimentação), B (básico, todas as despesas da casa), C (contornáveis, lazer) e D (desnecessárias, coisas que não farão falta). A partir daí, ficará mais fácil cortar os gastos excessivos!

Em quanto tempo limpo meu nome?
Estabelecimentos, empresas, cartórios e bancos tiram seu nome do cadastro negativo logo após a renegociação da dívida. O processo pode levar até uma semana. Se, após o prazo, você estiver na dúvida e quiser conferir se o seu nome está mesmo limpo, é só entrar no site www.facesp.com.br/i.php?u=7, clicar no seu estado (há um menu de federações e associações no alto da página) e descobrir qual o posto de atendimento mais próximo. Leve RG ou carteira de motorista. E para não cair nessa cilada de novo, evite as compras a prazo e nunca gaste mais do que ganha.

Como tirar o nome do cadastro negativo?

Dívida com estabelecimento
Você se enrolou com carnês ou boletos bancários? “Vá ao SAC da empresa, explique a situação e peça um prazo maior para pagar”, diz Bolívar Godinho, professor da FEA. Tente parcelar sem juros e aumentar o número de prestações. Agora, se os juros forem altos, escolha o menor número de parcelas possível.

Cheque sem fundo
Pague a dívida em dinheiro, peça um recibo e pegue o cheque sem fundo de volta. Leve esse cheque junto com o recibo do pagamento até o gerente do seu banco. Tal procedimento terá uma taxa de R$ 25 a R$ 35 por cheque! Por isso, fique atenta aos próximos pré-datados, para não se enrolar novamente…

Cartão de crédito e cheque especial
São os grandes vilões, pois cada um tem juros de 7 a 8% ao mês. Para pagar a dívida, peça um empréstimo no banco (os juros são menores, de 2 a 3%). Vá ao seu banco com RG e CPF e escolha entre crédito consignado (as parcelas são descontadas do holerite) e crédito pessoal (pagamento normal parcelado).

Títulos protestados
Quando a empresa recorre ao cartório para reclamar uma dívida, ela passa a ser chamada de título protestado e deve ser paga no próprio cartório (o nome dele constará na carta que a empresa deve mandar a você). Esse serviço é tarifado e varia de acordo com o valor da dívida. Ex: para cheque de R$ 50, a taxa será de R$ 12.