Saiba como evitar dívidas no cartão de crédito

Ele é um aliado e tanto na hora das compras. Mas não se iluda: por trás das facilidades se escondem os maiores juros do mercado!

Faça um orçamento de gastos. Inclua todas as despesas. Se a conta não fechar, corte gastos
Foto: Getty Images

Você sabe: com o cartão de crédito dá para parcelar a compra sem burocracia e com ele você arremata aquela bolsa linda da promoção quando não tem dinheiro para pagar à vista. Mas o melhor amigo da mulher no shopping tem lá seus perigos. O maior deles é não quitar a fatura na data de vencimento. Pagar apenas a parcela mínima é uma tentação. O saldo devedor, no entanto, vai crescer assustadoramente no mês seguinte.

Os juros do cartão de crédito são de 238,8% ao ano, de acordo com a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade). E tem mais: existe cobrança de juros sobre o saldo que sobrou no mês anterior. É o tal juros sobre juros. Na prática, isso significa que uma dívida de R$ 1 mil vira R$ 3.400 em 12 meses! Medo!

O consultor de finanças Reinaldo Domingos dá uma sugestão preciosa para quem gasta além da conta: o limite do cartão de crédito deve ser, no máximo, 50% do seu salário. Confira outras dicas para curtir as delícias do cartão e evitar dor no bolso. Com sabedoria, seu cartão só vai dar alegria!

Meu cartão, meu amigo

· Pague sempre o valor total da fatura! Sem desculpas!

· Evite ter limite de crédito acima da metade do seu salário.

· Filie-se a programas de recompensa. A maioria dos cartões oferece pontos que podem ser trocados por passagens aéreas e todo tipo de desconto. Vale a pena!

Sai pra lá, dívida!

· Melhor pegar um empréstimo pessoal, com juros médios de 4,5% ao mês, do que pagar o mínimo do cartão, com juros de mais de 12% ao mês e taxas.

· Se não puder quitar a fatura, compensa telefonar para a operadora ou banco que administra o cartão do que fingir que o problema não existe. Ter a intenção de pagar a dívida conta pontos na renegociação.

· Faça um orçamento de gastos. Inclua todas as despesas. Se a conta não fechar, corte gastos. Não só isso: ter um sonho de consumo ajuda a economizar e a controlar. Quem encontra uma meta para poupar corre menos risco de comprar por impulso no cartão.