TCC: como fazer o trabalho de conclusão de curso sem se estressar

Não precisa transformar o trabalho de conclusão de curso em um drama. Siga estas dicas, e boa vida de formada!

Lembre-se: um trabalho bem apresentado será mais bem avaliado
Foto: Getty Images

O projeto final da faculdade é uma espécie de rito de passagem: depois de entregá-lo, você vira uma profissional formada. Ele também pode significar um empurrão para começar a carreira. Por tudo isso, o processo de prepará-lo e apresentá-lo dá certo medo. Mas não precisa ser assim. Em algumas universidades, ele tem outros nomes, como TGI” (trabalho de graduação interdisciplinar), “projeto experimental” ou monografia”. Em qualquer um dos casos, um pouco de organização resolve boa parte do problema: escolhendo bem o tema, o orientador e o grupo, você tira essa fase de letra.

O assunto

Pense que você vai passar entre seis meses e um ano pesquisando o mesmo tema. É tempo de convivência demais para escolher algo que não lhe interesse bastante. Por outro lado, é importante conciliar o seu gosto pessoal com os rumos que você quer dar à sua carreira. “Não faça um trabalho que vai ficar mofando na biblioteca da faculdade. É bem melhor investir em uma pesquisa que possa ser aproveitada pelo mercado”, explica Matheus Marangoni, orientador de TCC. O tema pode ser a solução de um problema do local em que faz estágio, por exemplo.

Ajudinhas

Assim que tiver ideia do assunto, tente “reservar” de uma vez um bom professor. Os melhores geralmente são disputados. Leve em conta o seu relacionamento com ele, mas lembre-se de que o mais importante é que ele consiga, de fato, orientar você – e para isso deve ter afinidade com o tema do seu trabalho. Se não o conhece bem, procure ler projetos que já tenha acompanhado. E cheque desde o começo se ele concorda com o que você se propõe a fazer. Alguns costumam impor que o trabalho seja feito segundo sua linha de pesquisa.

Negócios à parte

Escolha para o seu grupo quem você sabe que trabalha bem com você. Mas evite fazer o TCC com o namorado ou com os melhores amigos. Não é incomum terminar o processo com as relações estremecidas com algum colega. Divida bem as tarefas, mas também não descentralize demais. É preciso fazer várias reuniões para que o grupo mantenha a unidade dos objetivos. Trabalhar sozinho exige mais tempo e concentração, mas pode contar pontos. “No mercado de trabalho você terá de provar a sua competência individual, e não do grupo no qual se inseriu”, diz Francisco Paletta, orientador de TCC.

Sumiço temporário

No último ano da faculdade, todo mundo está sempre muito ocupado – seja com estágios ou com cursos complementares. Conseguir gerenciar o tempo disponível é essencial. Os orientadores sugerem que você reserve pelo menos 2 horas por dia para se dedicar ao trabalho, inclusive nos fins de semana. “Amigos e namorados vão ter de entender o seu sumiço”, diz Eduardo Todt, orientador de TCC. Para se programar, estipule os prazos de trás para a frente a partir do dia em que provavelmente será a apresentação. Leve em conta a data em que o relatório final deve ser entregue aos examinadores e o tempo que será gasto na impressão, na formatação do seu texto e na revisão. Determine também os dias dedicados à leitura de livros e à redação do trabalho. Reserve horários para se reunir com seu orientador e lhe mostrar os resultados parciais da pesquisa para que ele sugira mudanças.

Apresentação

Um trabalho bem apresentado será mais bem avaliado. Teste maneiras diferentes de expor sua pesquisa – usando vídeos, por exemplo. Se for necessário, pague um designer para ajudar (lembre-se de incluir o trabalho dele no seu cronograma e no orçamento, claro).

O valor

Todo o custo do seu TCC (ou parte dele, já que algumas faculdades dão uma ajudinha) sairá do seu bolso. Transporte, aluguel de equipamentos e impressão devem ser previstos antes de começar. Outro gasto que não deve ser dispensado é a revisão. Afinal, pega mal entregar um trabalho com erros de português. Dica para quem tem grana curta: estudantes de letras cobram menos pelo serviço.

A banca

Faça o convite aos integrantes de sua banca examinadora com no mínimo dois meses de antecedência. Dependendo do tema, vale a pena chamar acadêmicos e pessoas do mercado. Mas evite convidar chefes diretos e colegas de trabalho – pois isso pode ser considerado antiético pela universidade. A apresentação deve ser feita no tempo determinado (20 minutos, em geral). Estourá-lo pode diminuir sua nota ou cansar os avaliadores. Ensaie exaustivamente e coloque família e amigos para assistir.

Portfólio

O TCC funciona também como portfólio. Ele é um dos assuntos mais frequentes nas entrevistas de emprego de recém-formados. “Às vezes, mais que o tema em si, é levado em conta como o candidato se portou durante o processo e que tipo de competências pessoais desenvolveu”, diz Luana de Paula, gerente de RH. Pense nisso antes das entrevistas!