12 livros incríveis para as mulheres lerem em 2015

Já se foi a época de "50 Tons de Cinza".

 

1. #GirlBoss, de Sophia Amoruso (Editora Seoman)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Trecho: “Acho que parte da razão da Nasty Gal ser tão bem-sucedida é que os meus objetivos nunca foram financeiros. Eu acreditava no que estava fazendo e, felizmente outras pessoas também acreditaram. Eu me impostava tanto com o processo, quanto os resultados […] Em retrospectiva, vejo que são essas pequenas coisas que podem estimular ou acabar com um negócio.

De pequena ladra a CEO e criadora da marca Nasty Gal, Sophia Amoruso tem muito a contar. Em #GirlBoss, ela revela como começou seu próprio negócio, vendendo objetos roubados depois de largar os estudos e ficar sem grana. Depois de passar por muitos perrengues, ela transformou sua lojinha no Ebay em uma marca própria com 350 funcionários e se tornou um símbolo para mulheres aspirantes ao empreendedorismo no mundo todo. A versão traduzida está disponível para compras online no site da editora

2. O Livro do Destino, de Parinoush Saniee (Editora Bertrand Brasil) 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

O Livro do Destino foi banido duas vezes no Irã, país natal da autora Parinoush Saniee, e depois de liberado virou um dos maiores best-sellers de lá. No fim de maio é a vez do Brasil ler a história de Massoumeh, que estará disponível no site da Editora Record

Na trama, Massoumeh é uma adolescente comum que vê sua vida mudar depois de se apaixonar por um homem que sua família desaprova. Considerada uma desonra, ela é obrigada a se casar às pressas com um pretendente que nem conhece. O envolvimento político e social de seu marido faz com que o destino da protagonista, antes tão atrelado ao conservadorismo da família, dependa de mudanças radicais em seu país.

3. Mal-entendido em Moscou, de Simone de Beauvoir (Editora Record)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Com previsão de lançamento para junho, poderemos ler um clássico de Simone de Beauvoir em 2015. Escrito entre 1966 e 1967, Mal-entendido em Moscou teria feito parte da coletânea A mulher desiludida, de 1968, mas acabou ficando de fora mesmo com a qualidade do texto. Agora será publicado pela primeira vez no Brasil e, como a maioria dos livros da autora, é uma leitura com temáticas que continuam atuais.

Na trama, André e Nicole são dois professores franceses aposentados, seguindo viagem rumo a União Soviética para encontrar Macha, a filha do primeiro casamento de André. O encontro provoca sensações nostálgicas em André e inseguranças em Nicole – o que acaba afastando o casal. No meio de tudo isso, Macha quer viver sua militância socialista.

4. Sejamos Todos Feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie (Editora Companhia das Letras)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

“Feminista: a pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos.”

O trecho acima deve ter feito você se lembrar da música FIawless da Beyoncé. Isso porque a cantora usou trechos do discurso da autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie durante o TEDx Euston, no qual ela fala sobre ser feminista depois de ter sido “acusada” disso pela primeira vez. O texto é curto, bem humorado, esclarecedor e bem acessível: custa R$ 11,90 no site da editora e a versão para o Kindle pode ser adquirida de graça.

5. Como Ser Mulher – Um divertido manifesto feminino, de Caitlin Moran (Editora Companhia das Letras) 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Na obra, a jornalista Caitlin Moran transita entre o humor e a militância de causas importantes na luta pela igualdade de gênero, principalmente quando questiona se as mulheres são completamente livres apenas por terem alguns direitos básicos garantidos. A autora começou a escrever o livro quando viu o resultado de uma pesquisa que concluiu que somente 29% das mulheres americanas se consideram feministas. Caitilin não entendeu porque o número era tão baixo. Compre aqui.

6. A Vítima Perfeita, de Sophie Hannah (Editora Rocco)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Medo, obsessão e a perseguição que vivemos na vida online são os temas de mais um romance criminal de Sophie Hannah. Na obra, a aclamada escritora britânica conta a história do perigoso envolvimento entre Naomi Jenkins e Robert Hawort, que é casado e desaparece misteriosamente no dia em que eles iriam se encontrar. O livro aborda a relação complicada entre homens e mulheres, tudo do ponto de vista da forte Naomi. Compre aqui.

7. 8 Segundos, de Camila Moreira (Editora Suma das Letras)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Um conto erótico escrito por diversão, publicado na internet sem grandes pretensões, de repente viraliza e vira livro… Embora pareça, essa não é a história de E.L James, a autora de 50 Tons de Cinza, mas sim de Camila Moreira, funcionária pública do Mato Grosso.

Depois do sucesso de O amor não tem leis e O amor não tem leis – O julgamento final, que juntos venderam mais de 25 mil cópias, a autora lança 8 Segundos, que tem como cenário o mundo dos rodeios e dos peões, para contar a história de Pietra, que se se envolve com Lucas durante uma viagem apaixonante. Este e os outros títulos de Camila estão disponíveis no site da editora Objetiva, nas versões física e digital. 

8. Desperdiçando Rima, de Karina Buhr (Editora Rocco)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Depois de consolidar sua carreira na música, Karina Buhr estreia no mundo editorial mostrando toda sua criatividade em Desperdiçando Rima. Como ela deixa bem claro no prefácio, não há um tema específico no livro – tudo nasceu, na verdade, de uma mistura (que deu certo!) de música, poesia, cartas, recados, bilhetes, crônicas e desenhos. A publicação traz materiais inéditos que agradarão aos fãs, como a letra da música “Falta de sorte”, que faz parte do disco Vou voltar andando, da banda Comadre Fulozinha. As poesias e os belos textos da cantora também vão fisgar a atenção de quem está conhecendo o trabalho dela pela primeira vez, por meio da literatura. Compre aqui

9. Minha Sexlist, de Joanna Bolouri (Editora Rocco) 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Depois de flagrar o ex com outra, a protagonista Phoebe Henderson cria uma resolução um pouco inusitada para si mesma: ela quer cumprir uma lista de desafios sexuais em um ano. As tentativas e erros da personagem criam situações interessantes e descobertas surpreendentes, que fazem com que Phoebe amadureça e se entenda melhor. Tudo isso com o tom sexy e bem-humorado da narrativa de Joanna Bolouri. O livro tem previsão de lançamento para a primeira quinzena de junho. Fique ligada! 

10. Como ser uma parisiense em qualquer lugar do mundo (Editora Objetiva) 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Quatro autoras francesas se uniram para tentar desconstruir o mito da mulher francesa magra, chique e elegante. Na obra, Anne Berest, Audrey Diwan, Caroline De Maigret e Sophie contam histórias pessoais que ensinam a lidar com situações do dia a dia. Elas dão respostas nem um pouco óbvias sobre típicos questionamentos femininos sobre moda, dieta, família e vida social. O livro está disponível também em versão digital no site da editora

11. Do que é feita uma garota, de Caitlin Moran (Editora Companhia das Letras) 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Caitlin Moran nos leva aos anos 90 para acompanhar a trajetória da personagem Dolly Wilde, uma garota de 16 anos que faz todas as escolhas erradas e, a partir delas, começa a se questionar e a se descobrir. A autora reflete: “Será que uma caixa de discos e uma parede de pôsteres bastam para se fazer uma garota?”. O título será lançado pela Companhia das Letras em junho. 

12. Não Sou Uma Dessas, de Lena Dunham (Editora Intrínseca)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

 

Trecho: “Tenho vinte anos e me odeio. Meu cabelo, meu rosto, o formato da minha barriga. A maneira como minha voz soa hesitante e meus poemas soam piegas. A maneira como meus pais falam comigo num tom ligeiramente mais formal do que o que usam com minha irmã, como se eu fosse uma funcionária pública surtada e que, se for pressionada demais, talvez exploda os reféns que deixei amarrados no porão.”

Lena já era conhecida por seu trabalho como criadora, roteirista, atriz da série Girls, da HBO, e por abordar temas polêmicos no roteiro, mas em Não Sou Uma Dessas, ela desabafa um pouco mais sobre temas como amor, sexo, solidão e as lutas para fugir de dietas malucas e se aceitar, contando experiências que a conduziram à vida adulta. Você pode encontrar o livro no site da Editora Intrínseca.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s