5 razões que fazem o novo ‘As Panteras’ ser tão bom quanto o 1º filme

Preparem-se, Angels! Novo longa inova em alguns quesitos que farão valer a pena a sua ida aos cinemas.

As Panteras‘ finalmente chega aos cinemas nesta quinta-feira (14) e muitos fãs estão animadíssimos – inclusive nós. Estrelado por Kristen Stewart, Naomi Scott e Ella Balinska, o novo reboot dessa franquia tão popular promete conquistar a geração que cresceu com a versão protagonizada por Lucy Liu, Drew Barrymore e Cameron Diaz – e também tem tudo para agradar quem não conhece as personagens.

Afinal, vale lembrar que o longa de 2000 foi capaz de conquistar quem nunca havia assistido à série original dos anos 1970. E agora, a franquia consegue se reinventar mais uma vez.

Nesse novo filme dirigido e produzido por Elizabeth Banks (que também atua), o sistema de espiãs criado por Charlie se expandiu a nível mundial e agora possui vários representantes em diversos países. Jane e Sabina (Ella e Kristen) trabalham juntam para a Bosley (papel de Elizabeth), isto é, uma das chefes da organização secreta. Ao saberem de um possível crime hediondo envolvendo um novo produto tecnológico, elas procuram a cientista Elena (Naomi), que se alia à trupe para combater o crime.

O MdeMulher já assistiu ao longa e adorou! Agora, contaremos para você cinco motivos que fazem esse novo filme ser tão empolgante quanto o anterior. A grande maioria do que iremos falar aqui é sem spoiler, mas aquilo que acharmos que pode comprometer a sua experiência nas telonas estará sinalizado com 🚨. Portanto, fique tranquila!

1- O filme é dirigido por uma mulher

Os dois primeiros filmes da saga de ‘As Panteras’, lançados em 2000 e 2003, respectivamente, foram dirigidos por McG, também responsável por ‘O Exterminador do Futuro: A Salvação‘. Neste novo filme, assim como dissemos, Elizabeth Banks assume o cargo e dá um show.

É importante lembrar que, mesmo com um trio de protagonistas mulheres, a visão de um diretor homem sobre a narrativa de uma trama feminina nunca será a mesma do que se o mesmo fosse feito por uma mulher. Neste quesito, ter Elizabeth como diretora não poderia ter sido melhor.

Elizabeth Banks, 'As Panteras' Além de atuar, Elizabeth Banks produz e comanda novo filme de ‘As Panteras’.

Além de atuar, Elizabeth Banks produz e comanda novo filme de ‘As Panteras’. (Sony Pictures/Divulgação)

Segundo a própria, em vídeo exclusivo concedido ao MdeMulher, a ideia era produzir algo que servisse de inspiração para meninas e mulheres e, de fato, isso é perceptível.

O modo como a diretora escolhe falar sutilmente de temas importantes e como enaltece a figura da mulher independente e poderosa é, com certeza, uma das melhores qualidades do longa.

2- É uma produção mais consciente com temas importantes 🚨 (possível spoiler)

No decorrer da trama, percebemos várias problemáticas, levantadas pelos diálogos, que se mostram importantes para a construção das personagens. Elena, por exemplo, é uma cientista que muitas vezes foi subestimada por homens ao seu redor, como seu chefe e o investidor do novo produto lançado pela empresa em que ela trabalha. Eles não a reconhecem como uma mente brilhante mesmo, após ela ter desenvolvido uma tecnologia de ponta.

São nesses momentos que a diretora deixa bem claro, em cena, a intenção de mostrar algo que, infelizmente, é muito comum no dia a dia das mulheres.

'As Panteras' Naomi Scott vive Elena, uma cientista que monta um produto super tecnológico e é invisibilizada pelo próprio chefe.

Naomi Scott vive Elena, uma cientista que monta um produto super tecnológico e é invisibilizada pelo próprio chefe. (Sony Pictures/Divulgação)

Um outro exemplo é a parte em que as próprias Panteras entram em conflito entre si para tentar identificar quem é realmente o vilão da história. Isso pode ser interpretado como a atitude que a sociedade, no geral, costuma ter com as mulheres, incentivando a rivalidade entre elas. E essa prática não é de hoje.

Com um viés feminista e empoderador, o novo ‘As Panteras’ demonstra que grande parte dos preconceitos difundidos contra as mulheres – como o machismo e a misoginia – vem dos homens.

3- A organização secreta de Charlie é mais bem trabalhada 🚨 (possível spoiler)

Se você não se lembra, as Panteras fazem parte de um grupo que possui um rigoroso treinamento comandado pela organização secreta fundada por Charlie. Conforme os anos se passaram, o filme mostra que a rede de espiãs se expandiu a nível mundial e está muito mais tecnológica.

Isso é melhor explicado quando John Bosley (Patrick Stewart) é recebido em sua festa de despedida da entidade, após anunciar sua aposentadoria. Vários “Bosleys” aparecem em transmissão simultânea para comemorar e ali desenrola-se um discurso sobre a imensidão que a companhia de Charlie conseguiu atingir.

'As Panteras' Elizabeth Banks e Patrick Stewart são chefões em ‘As Panteras’.

Elizabeth Banks e Patrick Stewart são chefões em ‘As Panteras’. (Sony Pictures/Divulgação)

O público toma maior noção disso quando vários locais ao redor do mundo aparecem como cenários da trama. No longa antigo, a sede do poder de Charlie era centralizado num só local e não havia tantos ambientes assim a serem mostrados.

4- Há mais cenários – e eles são de tirar o fôlego

Impressionantemente, esse novo reboot traz como cenário várias cidades ao redor do mundo (mas o filme não foi realmente gravado em todos eles) – incluindo o Brasil. Visualmente, é prazeroso e dá vontade de fazer as malas para conhecer de perto todas aquelas culturas.

Com várias capitais sendo mostradas durante a trama, a pluralidade e a ascensão de “Bosleys” ao redor do globo é mais perceptível ainda. Além disso, o ritmo do filme ganha corpo e parece que economiza 30 minutos de suas duas horas de duração.

E, é claro, cada local mostrado no filme tem uma importância para a construção do clímax e da reta final da trama.

'As Panteras' De Brasil a Istambul: reboot combina a adrenalina de espiã com belos cenários.

De Brasil a Istambul: reboot combina a adrenalina de espiã com belos cenários. (Sony Pictures/Divulgação)

5- O trio de espiãs é mais divertido

Um trio perfeito, sim! Kristen, Ella e Naomi são cheias de carisma e entretém facilmente o espectador, deixando até um gostinho de “quero mais”. A personagem de Naomi é aquela com que o público provavelmente irá se identificar mais, por ela ser a pessoa mais “comum” do trio de combatentes. Toda desajeita, como mostra o trailer do filme, ela mergulha de cabeça nessa missão e protagoniza cenas hilárias.

Ella faz a agente mais experiente e é toda dona de si. Kristen é a Pantera engraçada e “descolada do rolê” – e igualmente muito talentosa no que faz.

'As Panteras' Kristen Stewart, Ella Balinska e Naomi Scott entregam personagens divertidas e inteligentes.

Kristen Stewart, Ella Balinska e Naomi Scott entregam personagens divertidas e inteligentes. (Sony Pictures/Divulgação)

Nós amamos o trio do filme antigo, composto por Lucy, Drew e Cameron, mas há algo nessa nova geração de Panteras que faz com que a gente torça por elas logo de cara. Tudo bem que existe um grande hype acerca desse filme, mas logo no início somos conquistados pela empatia das jovens atrizes em cena. Seja pela conversa delas ou pela agilidade na hora de quebrar tudo (literalmente).