5 musicais clássicos que serviram de inspiração para ‘La La Land’

Para dirigir o filme do momento, Damian Chazelle conta ter sido fortemente influenciado por clássicos de Hollywood e do cinema francês.

Depois de levar seis troféus na última edição do Globo de Ouro, La La Land se consolidou como um sucesso e uma das maiores apostas pro Oscar. O filme, que estreou nos cinemas brasileiros na última quinta-feira (19), faz com que todo e qualquer espectador saia do cinema cantarolando. É que, além da história e de seus personagens, ele conta com um fator bem especial: seus atos musicais elaborados.

 (Divulgação/Black Label Media)

Apesar de ter sido muito popular no passado, faz um tempinho que musicais não dão as caras no cinema mundial – ou que, quando dão, não chamam muita atenção. O que mais destaca o filme de Damian Chazelle é a forma brilhante como ele encaixa as músicas na narrativa.

Em entrevista ao Deutsche Welle, ele conta que sua maior inspiração é Jacques Démy, importante diretor da Nouvelle Vague. Ele foi o único do movimento que explorou o potencial dos musicais, e dois de seus filmes compõem a lista das cinco maiores (e mais evidentes) influências de La La Land.

1. Duas Garotas Românticas

A primeira cena de La La Land traz, de cara, um número musical. Saindo de seus carros e já começando a cantar e dançar, os atores compõem um quadro semelhante ao que Démy usou para começar este filme de 1967, Duas Garotas Românticas.

2. Rua 42

Além de Démy, o diretor Lloyd Bacon também influenciou as primeiras cenas de La La Land. Em Rua 42, de 1933, os atos musicais envolvem muitos dançarinos e são bastante complexos.

3. Ritmo Louco

O começo do romance entre Mia e Sebastian, personagens de Emma Stone e Ryan Gosling, evoca sem dúvida alguma os eternos Ginger Rogers e Fred Astaire.

4. Os Guarda-Chuvas do Amor

Para Damian Chazelle, este é o ~maior musical que você respeita~. Também dirigido por Démy, o filme estreou em 1964 e tem como protagonistas Catherine Deneuve e Nino Castelnuovo.

5. Sinfonia de Paris

A última e mais evidente referência de La La Land é este filme norte-americano de 1951. Com Gene Kelly, de Cantando na Chuva, e Leslie Caron, o longa inspira os momentos finais do filme de Chazelle.