8 coisas que você provavelmente não sabe sobre ‘De Volta para o Futuro’

É bom viver no futuro :)

“De Volta para o Futuro”, clássico definitivo da ficção científica, completou 30 anos em 3 de julho de 2015. Durante anos, com frequência e precisão dignas de um culto apocalíptico, a internet tem dado muitas datas para o ~Dia da Volta do Futuro~, época visitada por Marty e companhia em “De Volta para o Futuro Parte II” (1989).  Mas hoje, 21 de outubro de 2015 (às 16h29, para ser mais exato), é DE VERDADE o dia em que Marty McFly chega ao futuro! 

Reprodução/Tumblr Martymcflyinthefuture Reprodução/Tumblr Martymcflyinthefuture

Reprodução/Tumblr Martymcflyinthefuture (/)

Em homenagem a essa data, vamos relembrar o filme que inventou seu próprio conceito de viagem no tempo – se você assistir a ele 88 vezes seguidas, vai viajar 10.208 minutos no futuro –, mas mesmo os fãs mais apaixonados podem não saber o que aconteceu antes mesmo da estreia nos cinemas.

A seguir estão algumas curiosidades sobre “De Volta para o Futuro” que todo grande fã de DeLorean deveria saber.

1. Michael J. Fox quase não interpretou Marty McFly.

Reprodução/Universal Studios Reprodução/Universal Studios

Reprodução/Universal Studios (/)

A lista de atores testados para o papel tem vários nomes famosos. Fox foi o primeiro a receber a proposta de interpretar Marty, mas a recusou por estar muito ocupado com a série de TV “Caras & Caretas” (Family Ties). Johnny Depp, John Cusack e Ralph Macchio também tentaram conseguir o papel – e, ao contrário do que dizem boatos, Corey Hart não fez testes.

Após várias avaliações, a equipe de produção reduziu os competidores para dois atores, C. Thomas Howell e Eric Stoltz. E o vencedor foi… Stoltz.

2. Na verdade, filmaram a maior parte do longa com outro ator principal.

Reprodução/James Dittiger/Showtime Networks Reprodução/James Dittiger/Showtime Networks

Reprodução/James Dittiger/Showtime Networks (/)

A produção começou com Stoltz como McFly, mas depois de seis meses de filmagens, ficou claro que o filme não estava dando certo.

Segundo o produtor executivo Steven Spielberg, o diretor Robert Zemeckis “não sentiu que a comédia estava funcionando o suficiente”. “Custou ao estúdio milhões de dólares”, disse Zemeckis, que admitiu ter errado ao escolher Stoltz. Ainda assim, a Universal concordou fazer refilmagens com Fox, que finalmente havia aceitado o papel, apesar de já ter uma agenda cheia.

3. Originalmente, Marty seria um personagem muito mais sombrio.

Em uma das primeiras versões do roteiro, o roteirista e produtor Bob Gale disse que “[Marty] estava tão deprimido por causa de sua vida bagunçada, que iria cometer suicídio”.

Isso foi tirado como parte de uma tentativa de tornar o filme mais divertido.

Substituir Stoltz com Fox também serviu para reforçar o aspecto cômico do roteiro. E a inclusão da fala “Quando eu te beijo, parece que estou beijando meu irmão” ajudou a atenuar a esquisitice da subtrama de incesto entre Marty e sua irmã, Linda (Wendie Jo Sperber).

Reprodução/Tumblr Princess--morgana Reprodução/Tumblr Princess–morgana

Reprodução/Tumblr Princess–morgana (/)

4. Filmar – e refilmar – foi incrivelmente difícil.

Por causa do cronograma cheio de Fox, a maior parte das cenas tiveram que ser filmadas à noite.

“Tudo que me lembro era de nunca ver a luz do dia”, disse Zemeckis à Empire. “A maior dor de cabeça eram as cenas à mesa do jantar no início, com todo mundo usando maquiagem”, disse Gale sobre o cronograma das filmagens.

Reprodução/Tumblr Awkward-elevator Reprodução/Tumblr Awkward-elevator

Reprodução/Tumblr Awkward-elevator (/)

“Nós ensaiávamos as filmagens principais à noite, com todos os personagens nela. Então, Bob [Zemeckis] começava a trabalhar no dia seguinte sem Michael. Tínhamos um dublê para fazer as falas dele, todos os atores tinham que fazer as cenas sem o Michael lá [no set].”

Depois, na montagem, as aparições do protagonista foram incluídas nas cenas com os outros atores.

5. As restrições de orçamento fizeram De Volta para o Futuro ser um filme melhor.

Reprodução/Tumblr Jadeprarie Reprodução/Tumblr Jadeprarie

Reprodução/Tumblr Jadeprarie (/)

Segundo Zemeckis, o fim do filme iria acontecer em Nevada, com necessários 1.21 gigawatts de energia para viagem no tempo, providenciadas por um local de testes nucleares.

No entanto, “porque o estúdio já havia excedido o orçamento em US$ 5 milhões, tivemos que pensar em uma ideia diferente”, explicou o diretor.

“Em vez de irmos para outra locação, colocamos o relógio no tribunal. Foi muito melhor, mais bem escrito: tudo se passou na cidade de Hill Valley; manteve-se a figura do relógio em cena; foi simplesmente muito melhor.”

6. DeLorean não é um carro-máquina de viagem no tempo qualquer.

Reprodução/Tumblr Kaatherine Reprodução/Tumblr Kaatherine

Reprodução/Tumblr Kaatherine (/)

Nas primeiras revisões de roteiro, a máquina do tempo de Doc deveria ser uma “câmara do tempo” feita com uma geladeira. Zemeckis e Gale decidiram usar o carro DeLorean por causa de seu visual estranho e futurista.

O criador do automóvel, John DeLorean (1925-2005), talvez tenha sido o maior fã do filme.

Apenas nove mil DeLoreans foram fabricados antes da produção terminar em 1982. Após isso, o criador foi preso sob acusações de tráfico de drogas, o que causou o fim de seu negócio de automóveis. Ele foi absolvido depois.

“Ele nos escreveu uma carta depois do filme estrear: ‘Obrigado por manter meu sonho vivo'”, disse Gale ao Los Angeles Times.

“Provavelmente metade das pessoas que têm DeLoreans hoje compraram o carro porque viram De Volta para o Futuro.”

7. Ronald Reagan deu a De Volta para o Futuro um selo de aprovação presidencial.

O filme tem uma pequena piada interna sobre a possibilidade de Reagan tornar-se presidente dos Estados Unidos, na cena em que a versão jovem do Doutor Brown não consegue acreditar que o ator um dia poderia ser comandante do país.

Reprodução/GettyImages Reprodução/GettyImages

Reprodução/GettyImages (/)

Em vez de se ofender, Reagan se divertiu tanto com a cena que pediu ao seu projecionista que a exibisse de novo.

Reagan ainda citou o filme em 1986, em seu discurso no Congresso dos EUA: “Como dizem no filme De Volta para o Futuro, ‘Aonde nós vamos não precisamos de estradas'”.

8. O aniversário de 30 anos poderia ter sido de “O Astronauta de Plutão”.

Embora seja difícil de imaginar De Volta para o Futuro sem seu título clássico, nem todo mundo foi fã dele durante a produção.

Sid Sheinberg, executivo dos estúdios Universal, tentou – mas sem sucesso, como você já deve ter concluído – mudar o nome do filme. A sugestão dele? Spaceman from Pluto – algo como “a astronauta de plutão”, em português –, que faria conexão com as piadas de Marty sobre ser um alienígena.

Spielberg cancelou a ideia, para o alívio de Zemeckis e Gale – e uma geração de cinéfilos.

Sheinberg, no entanto, fez outra mudança importante no filme: Einstein, o cachorro de Doc, originalmente seria um chimpanzé. Depois de dizer que nenhum filme com um macaco teria sucesso financeiro, o executivo mudou o papel para um cachorro.

Esta matéria foi originalmente publicada no Brasil Post.