A história real de quando Kanye West fez Taylor Swift e Beyoncé chorarem

O mundo todo viu o que rolou, quando o rapper tirou o microfone das mãos de Taylor no palco do VMA 2009. Agora você vai saber o que rolou nos bastidores...

Quando alguma coisa dá errado no trabalho, você tem duas opções: encarar de cabeça erguida ou ir para o banheiro da firma chorar e, logo depois, encarar a situação de cabeça erguida. É normal, faz parte da vida e, quando as lágrimas caem, é quase uma espécie de libertação. Há 10 anos, quando o mundo assistia chocado a um bêbado Kanye West irromper no palco do VMA, premiação da MTV, para tirar o microfone da Taylor Swift e dizer que quem merecia levar o prêmio de Melhor Videoclipe Feminino não era a até então cantora country, mas Beyoncé Knowles com o vídeo de “Single Ladies”, tanto Taylor quanto Bey optaram pela escolha número dois e foram chorar nos bastidores da premiação.

É isso o que revela uma extensa matéria da Billboard publicada recentemente para “comemorar” o aniversário de uma década do episódio que ficou marcado na história da cultura pop e reverbera até hoje – para se ter uma ideia da relevância do incidente, até o presidente dos Estados Unidos na época, Barack Obama, precisou emitir uma opinião e chamou – em off – o rapper de “imbecil”.  Para confeccionar o material (que VALE DEMAIS a leitura completa), a revista conversou com produtores, jornalistas e pessoas que assistiram de perto toda a m*rda sendo jogada no ventilador.

Segundo relata a reportagem, o clima geral era um misto de incredulidade, choque, revolta e até regozijo – “isso é absolutamente fantástico” teria dito alguém… Após Kanye ser convidado a se retirar da premiação (ele estava tão confiante que, mesmo após vaias, voltou para a cadeira onde estava sentado como se nada tivesse acontecido. A audácia!), a preocupação número 1 se voltou para saber como Taylor Swift estava, já que, cerca de 10 minutos depois, ela deveria subir ao palco novamente PARA SE APRESENTAR com a música “You Belong With Me”. Spoiler: ela estava em pedaços, como prova o depoimento de Van Toffler, ex-presidente da Viacom, empresa que controla a MTV:

“Tanto ela quanto a mãe estavam chorando, eu me desculpei de todas as formas possíveis e disse, ‘Me desculpe, eu não sabia. Eu sei que você vai performar no próximo bloco e me deixe pensar em uma forma de consertar isso’. […] definitivamente, eu não esperava ter que lidar com uma artista chorando e com a mãe dela — logo depois, ela tinha que ir literalmente para a 6ª Avenida, subir em um carro e cantar a música dela”.

Felizmente, a cantora agiu como profissional, secou as lágrimas, retocou a maquiagem (é sério!) e foi encarar a situação de cabeça erguida. “Eu me lembro dela estar determinada a arrasar. Ela realmente lidou com muita dignidade e profissionalismo. Talvez, depois do choque e tristeza, ela tenha rapidamente canalizado essa energia em determinação”, recorda Hamish Hamilton, diretor do VMA daquele ano.

Enquanto isso, Beyoncé – envolvida indiretamente na treta toda – também estava aos prantos. De acordo com Toffler, enquanto chorava ao lado do pai dela, Bey repetia: “Eu não tinha a menor ideia de que isso iria acontecer. Me sinto tão mal por ela…” E, justamente por causa dessa situação toda, o então presidente da Viacom teve uma ideia, uma bem Shakespeariana!

“Acho que foi uma das únicas vezes na história dos VMAs que a gente sabia quem deveria ganhar os prêmios e, em dado momento, eu indiquei para ela [Beyoncé] que provavelmente ela iria subir no palco ao fim da premiação para receber um troféu. E, bem, seria fofo se Taylor subisse junto para finalmente ter o momento dela… Precisei fazer isso para que ela ficasse [até o fim do show], e, talvez, esse seria um jeito de fechar esse arco. Eu jamais daria esse tipo de informação a um artista, mas eu tinha DUAS estrelas chorando”, revelou Toffler.

Dito e feito: ao fim desse icônico Video Music Awards (em paralelo a esse bafo todo, rolaram coisas realmente dignas de nota: Lady Gaga sangrou no palco, Janet Jackson e Madonna homenagearam Michael Jackson e Pink fez acrobacias malucas presa por um cordão de aço!), Beyoncé recebeu o astronauta de prata por ter feito o “Vídeo do Ano” e chamou Taylor para que ela, finalmente, pudesse agradecer sem ser interrompida.

Foi emocionante:

Porque é isso, no fim do dia, quando dá uma m*rda no trabalho – seja em um escritório ou se apresentando na maior premiação do planeta -, a gente pode até chorar, mas é necessário encarar toda a situação de cabeça erguida porque, só dessa forma, é possível triunfar.

Kanye foi um idiota mesmo, não tem desculpa o que ele fez, mas se tem uma coisa que o showbiz (e o capitalismo) ensina: é sempre possível tirar proveito de qualquer situação e, nessa noite, talvez Taylor tenha aprendido essa lição, já que 10 anos depois, tanto ela quanto o rapper continuam insistindo nessa narrativa – mesmo quando dizem que gostariam de ser excluídos dela.