Aproveite as férias para fazer cursos de idiomas no exterior

Por mais que você já tenha estudado a língua no Brasil, cursar o idioma onde ele é falado é uma experiência muito rica

Se você sempre teve vontade de aprender uma segunda língua ou quer melhorar os seus conhecimentos, que tal pegar o mês de férias e fazer um curso no país onde esse idioma é falado? Com uma experiência dessas, você tem a certeza de estar investindo em você mesma e ao mesmo tempo conhecendo um lugar diferente.

Pode parecer bobagem repetir isso, mas é incrível como estudar um idioma no Brasil é muito diferente de aprendê-lo no país em que ele é falado. Meu curso de alemão no Brasil foi o suficiente para aprender o básico, mas só depois que cheguei na Alemanha, pude comprovar que eu ainda tinha muito a melhorar. Expressões de linguagem, gírias, piadas… Tem tanta coisa que faz parte de um idioma, mas que nem sempre é ensinada nas escolas. 

Veja algumas dicas para escolher um bom curso de idiomas no exterior e ter a certeza de estar investindo bem o seu dinheiro:

– A escolha do país nem sempre precisa ser a mais óbvia. Você quer aprender inglês, então uma boa idéia seria fazer o curso nos Estados Unidos, Canadá, Inglaterra ou na Irlanda, certo? Mais ou menos. De fato, há muitos cursos bons nesses países, mas devido à grande popularidade (geralmente são a primeira escolha dos estudantes), eles também são mais caros. Que tal considerar um destino menos convencional, como África do Sul ou Malta? Nos dois países, você encontra escolas de ótima qualidade e com preços mais em conta, até porque o custo de vida nesses locais também é mais baixo. Então, ao invés de passar dias tentando achar um apartamento em Londres (o que não é nada fácil), e ainda ter que pagar um curso caro em libras, pesquise as possibilidades de estudar em outros países fora do circuito mais óbvio. 

– Antes de fazer a escolha final, peça a recomendação de outros internautas. O Facebook pode ser o seu grande amigo na hora de selecionar o melhor curso de idiomas. É possível achar comunidades de brasileiros em uma determinada cidade ou país. E se você não achar por lá, utilize redes sociais de viajantes, como Internations ou Couchsurfing. É só postar uma pergunta, pedindo a recomendação de uma escola de qualidade e aguardar. Sempre tem alguém preparado para dar a melhor dica.

– Confira se a escola é reconhecida. Não faz diferença se você vai fazer um curso de duas semanas ou de dois meses: a escola precisa ter certificados de reconhecimento de instituições que se comprometem com o ensino de qualidade de um idioma. Um curso de Espanhol certificado pelo Instituto Cervantes, por exemplo, deveria estar entre as suas primeiras escolhas. Outra dica interessante é olhar cursos de universidades. Aqui na Alemanha, por exemplo, as maiores universidades possuem centros de idiomas. É a garantia de ganhar um certificado de uma instituição respeitada.

– A escola oferece serviços de acomodação ou pelo menos ajuda com a busca por moradia? Como fica a questão do visto? Quais são os materiais didáticos? As quatro habilidades (falar, ouvir, ler e escrever) são ensinadas no curso ou o foco é uma só? Os professores daquele curso tem uma formação adequada? Você precisa responder todas essas dúvidas antes de pagar a taxa de matrícula. Vale ligar para a sede da escola por Skype, mandar email ou até fazer perguntas via redes sociais. Informação nunca é demais!

Como diz o ditado, o aluno faz a escola. É claro que se o curso for de ótima qualidade, mas você não levar as aulas a sério, você vai jogar dinheiro fora. Se quiser mesmo investir em um curso de línguas enquanto passa uma temporada fora, é preciso dedicação. Mas o esforço sempre vai valer!