Bono diz que a música atual está muito “de menininha”

Referindo-se ao cenário musical de hoje como "girly", ele diz que os homens não têm mais a liberdade de expressar raiva através do rock.

Para uma matéria que será publicada em janeiro de 2018, o Bono, vocalista do U2, decidiu comentar sobre como o cenário da música mundial mudou, e a opinião dele é bem clara: a indústria está muito “de menininha”.

 “Eu acho que a música ficou muito “de menininha” [em inglês ele usou a palavra girly]. E tem coisas boas nisso, mas o hip-hop é o único lugar, no momento, para que homens jovens expressem sua raiva – e isso não é bom.” diz o cantor.

Bono, comenta ainda sobre sua adolescência e a necessidade de colocar para fora toda a raiva que sentia. “Quando eu tinha 16 anos, tinha muita raiva dentro de mim. Você precisa encontrar um lugar para essa raiva e para guitarras, seja com uma bateria – tanto faz.”

Leia também: A nova geração de músicos que canta a representatividade

Para fechar, ele lembra da necessidade da raiva para o desenvolvimento musical. “No final, o que é rock & roll? A raiva está no cerne disso. Algumas grandes obras do rock & roll tendem a ter isso, e é por isso que o Who foi uma banda tão grande. Ou Pearl Jam. Eddie tem essa raiva.”

Então, parece que Bono acha que as mulheres não têm a raiva necessária para fazer rock – ou que ele compreende como rock. Mas, na verdade, com as altas taxas de feminicídio e o machismo sendo um problema cotidiano, parece que ele não conhece várias mulheres que representam toda a raiva feminina, então listamos algumas aqui:

1. The Runaways

Primeiro grupo de meninas roqueiras a fazer sucesso, elas até ganharam o próprio filme e são muito famosas pela música “Cherry Bomb”.

2. Jannis Joplin

Dona de uma voz poderosa e única adorada por todos, é uma das percursoras do rock. Nos anos 1960, ficava lado a lado com outros grandes nomes, como Jimmi Hendrix.

3. Nina Simone

Nina Simone é um ícone e, tanto suas canções quanto sua história são de puro poder. Numa época em que o racismo era lei nos Estados Unidos,  ela levantou a voz e cantou músicas que mostram o que é ser uma mulher negra.

4. Shirley Manson 

A vocalista da banda Garbage canta desde 1994 rock de todos os estilos, e procura sempre mostrar sua militância dentro e fora das canções.

Leia também: Nicole Kidman: está bonito ver o retorno triunfal da atriz

5. Rita Lee

A roqueira mais famosa do Brasil não podia ficar de fora da lista. Rita Lee é um ícone quando se fala de rock nacional.

5. Amanda Palmer 

A cantora, que já foi integrante da banda The Dresden Dolls, é um belo exemplo de mulher com raiva – como demonstrou em uma música composta para o Daily Mail. O jornal fez uma matéria sobre o peito dela – que apareceu sem querer durante um show – e Amanda respondeu a isso de um jeito maravilhoso.

6. Patti Smith

Patti Smith é uma cantora completa, porque além de fazer música ela é poeta, com vários livros publicados e músicas importantes do movimento Feminist Punk.

7. Tamar-kali

A cantora americana mistura de hard rock e soul e se torna um exemplo com sua voz poderosa.

8. Bjork

A cantora e compositora islandesa  não poderia estar fora da lista, afinal, nas músicas dela a realidade se confunde com o clima hipnotizante das suas canções.

9. Pitty

Não dá para esquecer de outra representante do rock nacional, que procura sempre levantar o espírito feminino e realmente falar dos problemas.

10. Peggy “Lady Bo” Jones

Ela é considerada a mãe da guitarra elétrica e, mesmo assim, não é lembrada na história. De qualquer forma, ela tem uma importância enorme para o rock.

Ao dizer que rock agora está muito “de menininha”, Bono não ofende só as mulheres, mas qualquer pessoa que faz música do gênero e não se identifica com o padrão de “homem jovem enfurecido”. Segundo ele, essas pessoas estão diminuindo a qualidade do rock.

Isso claramente não acontece, pois o rock se dividiu em vários subgêneros exatamente para abraçar tantas causas e realidades. Sem contar que ninguém tirou dos homens a liberdade de extravasar raiva através da música, né?

Mas há coisas que mesmo nomes antigos precisam aprender.

Taylor Momsen

 (The Pretty Reckless/Giphy)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s