Cheia de frescor, Lila é a cantora que a MPB precisava

Saiba um pouco mais de umas das apostas na música em 2016.

Quando Lila, nova aposta quentíssima da MPB, subir ao palco do Coala Festival, em São Paulo, no sábado (03), será a primeira vez dela enfrentando um público tão grande. “É estranho. Costumo fazer shows para poucas pessoas. De repente, vou cantar para mais de três mil. Vou ficar do lado de gente que admiro muito, como a Karol (Conka) e a Céu. É muito louco e estou honrada”, contou, em entrevista por telefone. 

Leia Mais: Mahmundi: a nova cantora brasileira que você precisa ouvir AGORA

Não, ela não é nenhuma artista iniciante, longe disso! Aos 34 anos, a amapaense radicada no Rio de Janeiro, tem um extenso currículo no mundo da música: já, por exemplo, gravou CDs com de bossa nova e com temática infantil para o mercado internacional. Além de, também, ter tocado por sete anos surdo no Bangalafumenga, tradicional bloco do Carnaval carioca. Mas foi só em 2015 que resolveu “se jogar” em uma carreira solo, quando lançou o EP “Lila”.

“Pode não parecer, mas é necessária muita coragem para se expor desse jeito, colocar o seu na reta. Demorei um tempo, é verdade, mas não me arrependo. Minhas experiências anteriores fizeram eu ser quem sou hoje”, avalia.

Pois a espera valeu a pena, o disco – com apenas seis músicas – é uma joia da nova MPB. Rendeu uma indicação no Prêmio Multishow como artista revelação e a inclusão do nome dela na lista de apostas do Spotify. “É o trabalho que tem mais de mim. E foi um processo muito profundo porque, quando decidi gravá-lo, não tinha nada e não sabia aonde ia dar. Tive que olhar de dentro para fora e me conectar com minhas raízes. Foi uma descoberta incrível e tenho muito orgulho dela”.

Próximos passos

Ao lado do produtor Leo Justi, conhecido como um dos precursores do gênero “heavy baile”, uma proposta de funk com uma pegada modernosa, Lila pretende, em breve, lançar o single “Não é Não”, que, como o título sugere, vem com uma mensagem de empoderamento. “É uma música feminista que fala sobre os abusos sofridos pelas mulheres. É um tema sério e algo que há muito tempo tenho vontade de fazer, trazer para o meu trabalho essa luta pela igualdade dos gêneros.

Ela ainda promete para este ano um clipe para “Strobo”, canção querida dos fãs presente no EP. Sobre álbum novo, nada de mistério: “Acho que no ano que vem. Quero que cada vez mais pessoas escutem a minha música, quero passar a minha mensagem para todo tipo de gente. Gostaria de ser uma representante a altura da nossa MPB e levá-la para todos os cantos. 

Bem, ser a única artista independente no Coala Festival já é um começo incrível. Lila vai longe.