Cientistas transformam poluição em tinta sustentável para canetas

Embora não tenha a intenção de salvar o mundo, a iniciativa é um exemplo de projeto sustentável - e é incrível.

A Índia é um dos países mais poluídos do mundo e é onde vive o cientista Anirudh Sharma. Impressionado com tanta agressão ao meio ambiente, ele desenvolveu pesquisas no Massachussets Institute of Technology (MIT), onde criou um projeto sustentável (e impressionante) ao lado de sua equipe.

Por meio de um tipo de filtro, o Kaalink, que é colocado nos escapamentos dos veículos, a invenção é capaz de captar a poluição em suas menores partículas. Então, quando o dispositivo avisa que o processo está completo, o resíduo já está quase pronto para virar tinta.

Assim, a Air-Ink, como foi chamada, pode ser usada em canetas ou latas de spray. E são necessários apenas 45 minutos de emissão de poluentes capturados pelo aparelho para produzir o suficiente para encher um cartucho de uma caneta. Demais, né?

De acordo com Anirudh, o objetivo não é que a Air-Ink salve o mundo, mas a expectativa é que ela ajude a reduzir um pouco a poluição. “O que estamos fazendo neste momento é redefinir um poluente que deixa pessoas doentes, que está destruindo o nosso ambiente e que existe em nosso entorno”, explicou em entrevista à CNN.

Depois de ser aprovada em um financiamento coletivo, a novidade será comercializada em escala mundial.

Confira como é a produção da Air-Ink (em inglês)