Conheça e veja os clipes de 45 músicas fundamentais da carreira de Madonna

De “Everybody” a “Bitch, I’m Madonna”, o que há de mais importante para entender a obra da diva pop sessentona.

Madonna é a rainha pop de nosso tempo e, leonina que é, sabe disso e faz questão de deixar claro que tem esse conhecimento. Dá uma olhada na foto que ela postou hoje no Instagram, em comemoração aos seus 60 anos:

“Caso alguém tenha esquecido”, escreveu na legenda – na foto, ela segura uma faixa em que se lê “A Rainha”.

Ninguém esqueceu, rainha! 

Se o assunto move as pessoas, Madonna está lá: moda, cinema, estética, comportamento, sexo… Não há limites para ela.

Veja também

E não podemos esquecer, é claro, do seu campo principal: a música. Madonna é a mulher que mais vendeu discos na história (mais de 300 milhões de cópias) e ocupa a quarta colocação no ranking de artistas que mais venderam álbuns – à frente dela estão apenas os Beatles, Michael Jackson e Elvis Presley.

Para continuar comemorando os 60 anos desta diva, vamos relembrar, ouvir e ver os clipes das 45 músicas fundamentais de sua carreira. Aumenta o volume e vem!

Everybody

O primeiro single, lançado antes mesmo de o primeiro álbum (Madonna, 1983) estar pronto.

Holiday

O primeiro hino de Madonna nas boates gays de Nova York. Por algum motivo que não entendemos, este vídeo foi pouquíssimo divulgado. Nele, ela dança com seu irmão Christopher e com a amiga Erica Bell.

Lucky Star

O vídeo é uma espécie de versão bem finalizada do clipe de Holiday, aqui em cima. Inclusive ela é acompanhada novamente pelo irmão Christopher e pela amiga Erica Bell.

Borderline

Primeira música dela a entrar no top 10 da Billboard (na décima posição).

Material Girl

O estouro de sucesso no mundo todo, o começo da dominação do planeta. Hoje, ela declara que de-tes-ta a música e não a canta por dinheiro nenhum.

Like a Virgin

A primeira vez que Madonna chegou ao topo da parada da Billboard, a primeira vez que a Igreja Católica não gostou dela como artista.

Into the Groove

A música que marcou a primeira vez que Madonna se arriscou como atriz de cinema de verdade, em “Procura-se Susan Desesperadamente”.

Crazy For You

Segunda vez que ela chegou ao topo da parada da Billboard. A música está na trilha do filme “Em Busca da Vitória”, que inclusive tem uma cena em que Madonna aparece ao fundo a cantando.

Papa Don’t Preach

A primeira vez que Madonna CAUSOU, com letras maiúsculas. Embora os fãs tenham amado a música desde sempre, muita gente odiou. Muitos a acusaram de incentivar a gravidez de adolescentes e pediram que as mulheres a boicotassem, o Papa João Paulo II pediu o boicote dos católicos à cantora, foi bomba por todos os lados. Enfim, ela está belíssima no clipe.

Open Your Heart

Madonna performática em grau máximo, um clipe com estética caprichadíssima. E ela já declarou que esta é uma de suas músicas favoritas, então tem que entrar na lista!

La Isla Bonita

Madonna nunca escondeu sua paixão por tudo que seja latino, e esta música foi sua primeira declaração de amor musical ao público hispânico.

Live to Tell

Outro topo de parade da Billboard. Está na trilha sonora de “Caminhos Violentos”, estrelado por Sean Penn, marido de Madonna na época (e, dizem, grande amor da vida dela). Por isso que ele aparece bastante no clipe.

Like a Prayer

A Igreja Católica provavelmente nunca ficou TÃO pistola com Madonna quanto na época de Like a Prayer. O clipe tem tudo que poderia ativar a brabeza do pessoal católico: ela seduz um santo, dança música “mundana” na igreja, passa por um exorcismo de leve, sobe ao céu, volta (alusão a Jesus?)… E ainda trata de racismo de uma forma contundente.

Express Yourself

Resumidamente: ame-se em primeiro lugar, girl! E o clipe é uma superprodução cheia de homens deliciosos, ops, trabalhadores, prevendo um estilo que Madonna colocaria no palco em suas turnês seguintes. Uma obra-prima!

Vogue

Uma homenagem à Nova York dos anos 1980, em que Madonna se criou como artista e fez seus melhores amigos. A dança era o hit das pistas de dança dos clubes gays que ela frequentava na época, e ela transformou isso em uma das músicas mais importantes de sua carreira e da história do pop.

Justify My Love

Esta é a Madonna sexual que todos conhecemos e amamos desde os anos 1990. A música é… sexy, não tem outra palavra para descrevê-la. O clipe tem fetiche, tem romance, tem tudo.

Sooner or Later

A música, da trilha sonora de “Dick Tracy” (em que ela interpretou a vilã Breathless Mahoney), levou Madonna ao palco da cerimônia do Oscar e ganhou a estatueta de Melhor Canção Original.

Erotica

Aí Madonna escancarou sobre sexo de vez, e o fez lindamente. A música é uma espécie de trilha sonora do livro “Sex”. No clipe, ela interpreta a dominatrix Dita, uma homenagema à personagem de Dita Parlo no filme “L’Atalante”, de 1934.

Fever

Versão contemporânea do clássico de Otis Blackwell imortalizado na pegada jazzística de Peggy Lee, uma das maiores influências artísticas de Madonna.

Rain

Primeiro flerte de Madonna com a estética japonesa, o clipe é maravilhoso! E a música tem todo um clima épico.

Deeper and Deeper

Anos 1970, diversão, sensualidade, uma homenagem a Nico (vocalista do Velvet Underground, musa do Studio 54, musa de Andy Wahrol e modelo) nas cenas da sessão de fotos. Que música, que clipe!

Secret

Música de trabalho de Bedtime Stories, um álbum mais introspectivo, que deu uma acalmada no pique em que vinham as músicas de Erotica. Mas nem por isso ela deixou de estar sensualíssima no clipe. E que voz!

Human Nature

Entendam: Madonna não vai pedir desculpas por falar de sexo, por expor o que as pessoas querem esconder. A mensagem é passada em clima sadomasô, com uma montagem de cenas incrível.

Take a Bow

De volta à latinidade, desta vez como uma espanhola sofrida no ambiente das touradas. A música também chegou ao topo da parada da Billboard.

Bedtime Story

No mesmo álbum que as três músicas acima, Bedtime Story é dançante e parece abrir caminho para o que viria no disco seguinte. Madonna controla cada aspecto de sua carreira, provavelmente foi de caso pensado mesmo. O clipe é meio futurista, meio psicodélico, totalmente Madonna.

Ray of Light

De volta à eletrônica, Madonna decidiu acompanhar o clima das raves que dominaram os anos 1990 e o começo dos anos 2000. O clipe, totalmente rave (dá até para se imaginar tomando um energético enquanto assiste), ganhou praticamente todos os prêmios do VMAs de 1998.

Nothing Really Matters

Se Madonna não tivesse milhões de outros afazeres, poderia dar palestras sobre como suportar críticas, críticas e mais críticas ao longo dos anos. Mas ela prefere falar sobre isso em música, como nesta aqui: “Nothing really matters to me, but making myself happy” (Nada realmente importa para mim, a não ser me fazer feliz). Também é a volta da estética japonesa.

Frozen

Pensou que a Madonna mística tinha sumido? Pensou errado! Frozen é uma música em que ela fala sobre os verdadeiros valores da vida. O clipe é emocionante de tão perfeito e ela já disse que é uma de suas músicas de que mais tem orgulho.

Music

Que universo faltava Madonna explorar em 2000, do alto de seus 42 anos de idade e 17 anos de carreira? O country! Claro, ela pegou leve e só incorporou os elementos estéticos e algo musical aqui e ali. Music é super dance, mas com o figurino cowgirl chic. Arrasou! Ah, um detalhe: o motorista da limusine e DJ do clipe é o ator Sasha Baron Cohen, caracterizado como Ali G., um de seus personagens mais famosos na Inglaterra.

Don’t Tell Me

Aqui o country tem um pouquinho mais de espaço no meio da batida dance, e a própria Madonna está mais cowgirl rústica. Uma graça de clipe!

What It Feels Like for a Girl

Madonna produziu pessoalmente cada detalhe deste clipe, esteticamente perfeito e com uma mensagem forte: não tentem invisibilizar uma mulher só porque ela está ficando mais velha, ok?

Die Another Day

Música título do filme “007 – Um Novo Dia Para Morrer”, em que Madonna faz uma ponta como Verity, uma instrutora de esgrima.

American Life

O clima pós ataques ao World Trade Center em 2001 levaram Madonna a relexões políticas profundas que resultaram neste álbum de 2003, repleto de críticas sociais. Houve quem achasse pesado demais, mas quem disse que Madonna está aqui para ser light?

Hollywood

Já BASTANTE familiarizada com o showbiz, ela resolveu falar sobre os lados bons e ruins de Hollywood. Apesar de ser um sucesso nas pistas de dança e nos shows, foi a primeira música de Madonna que não entrou no top 100 da Billboard. Ué?

Hung Up

O ano era 2005, Madonna estava com 47 anos e a chamaram de velha. O que ela fez? Colocou um collant, mostrou o corpão, fez um cabelão à la Farrah Fawcett em “As Panteras” e lançou esta música com direito a sample de “Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)”, do ABBA. E chega de ageísmo!

I Love New York

Uma declaração de amor à cidade que Madonna escolheu para viver e começar sua carreira e toda essa história que estamos celebrando hoje.

Jump

Voltamos à estética japonesa, só que agora na Tóquio contemporânea. Tem Madonna com todo o gás do mundo e muito parkour, prática urbana que começou a ganhar destaque naquela época (idos de 2005-2006). Curiosidade: quase tudo que está escrito nas placas de publicidade do vídeo foi gerado em computador, e o que se lê é basicamente “Madonna” e “Jump” em japonês.

4 Minutes

Olá, Timbaland! Olá, Timberlake! Bem-vindos ao reino de Madonna na música de trabalho do álbum Hard Candy.

Give It 2 Me

Pharrell Williams, que teve a honra de produzir quase todo o álbum Hard Candy, participa desta música, uma das que mais funcionam em pista de dança do trabalho mais recente de Madonna.

Beat Goes On

Até Kanye West teve a honra de participar de Hard Candy. O resultado ficou bem legal, impossível ficar parada enquanto ouve!

Give Me All Your Luving

Para apresentar MDNA ao público, Madonna escolheu esta música super para cima, com as participações incríveis de M.I.A. e Nicki Minaj. E olha a estética à la Marilyn Monroe de volta! ❤

Girl Gone Wild

Sabe o que a Madonna quer que você faça? Que você DANCE MUITO. Teve crítico que ficou ~surpreso~ com o lançamento desta música, por achar que ela não retomaria o pique de Music e Hung Up com mais de 50 anos de idade. Parece que conheceram Madonna ontem…

Turn Up the Radio

Uma música sobre o poder da música. Se a Rainha manda a gente aumentar o volume, a gente aumenta e dança, ok?

Livin For Love

A Madonna dançante, dona da coisa toda, que domina um palco cheio de dançarinos, nunca fica fora de moda. Há quem ache a cenografia deste clipe meio pesada, mas encare como teatro e tudo bem!

Bitch I’m Madonna

Esta é a música de Madonna de que Madonna mais gosta. A top 1 da própria diva. Só isso já é motivo para entrar nesta lista. E a música é uma delícia, o clipe é divertido, tem a Nicki Minaj e um monte de gente legal.