Eduardo Kobra homenageia Anne Frank em novo mural, na Holanda

A obra mais recente do grafiteiro traz a garota judia, cujas palavras sobre o nazismo impressionam leitores do mundo inteiro até hoje, marcada na cidade em que ela ficou escondida.

Conhecido como Eduardo Kobra, o paulistano Carlos Eduardo Fernandes Leo tem 40 anos de vida e quase 28 de carreira. Ele já coloriu os muros de mais de 20 países, incluindo a França, a Inglaterra, a Suécia, o Japão e os Emirados Árabes.

View this post on Instagram

🇧🇷

A post shared by Eduardo Kobra (@kobrastreetart) on

Entre cores vibrantes, ele costuma retratar personalidades importantes em suas obras. Já pintou, por exemplo, as feições de Albert Einstein, Bob Dylan, Chico Buarque, Nelson Mandela e Oscar Niemeyer.

Em seu último trabalho – feito em Amsterdã, capital da Holanda -, Kobra resolveu homenagear ninguém menos do que Anne Frank.

Famosa pela publicação de seu diário, Anne foi uma garota judia que viveu os horrores do nazismo. Ela morreu aos 15 anos, em um campo de concentração. O Diário de Anne Frank relata principalmente o período em que a jovem viveu escondida em uma fábrica abandonada, na capital holandesa. Hoje, o local é um museu em homenagem à Anne e aos judeus que sofreram durante a Segunda Guerra.

À obra que retrata esta garota incrível, Kobra resolveu dar o nome de “Let me be myself”, ou, em tradução livre, “Deixe-me ser eu mesma”

Além deste mural, Eduardo Kobra é atualmente responsável pelo que o Guinness Book considera o maior grafite do mundo: o mural “Etnias“, que está no Boulevard Olímpico, no Rio de Janeiro. Vale a pena conhecer! wink

 

 

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆