A poderosa mensagem escondida no genial vídeo da Katy Perry

"Chained to the Rhythm", lançado nesta sexta-feira, 10, é o novo single da cantora.

Esqueça as perucas coloridas de “California Girls” ou as mensagens de autoaceitação de “Firework” ou “Roar”, veja bem, Katy Perry não abandonou as cores pastel ou a sonoridade chiclete, mas na nova música dela “Chained to the Rhythm”, lançada nesta sexta-feira, 10, ela abraça um tom político.

Leia Mais: A mensagem escondida por trás do penteado de Janelle Monáe

Com influências do reggae e uma levada disco, a faixa oitentista foi composta pela própria cantora, ao lado de Sia, e conta com a participação de Skip Marley, neto de Bob, e produção de Max Martin. Aparentemente inofensivo, à primeira vista, o single parece ser mais uma daquelas ~farofas~ genéricas para dançar na balada, muito pelo contrário. A canção, na verdade, usa de muita ironia para criticar a apatia política e o conformismo dos norte-americanos.

“Tão confortáveis, estamos vivendo em uma bolha, não conseguimos enxergar o problema”, canta ela na abertura do som. O refrão já é mais direto: “Aumente o som, é a sua música favorita, dance com a batida. Aumente o som, coloque para repetir. Tropeçando por aí feito um zumbi”.

Dirigido pela parceira de longa data da artista Aya Tanimura o incrível lyric video da música também segue a linha ativista. Na história, um hamster chamado Mr. Parsons assiste hipnotizado e passivamente outro ratinho na TV, enquanto basicamente se alimenta de refeições feitas por outras pessoas. Uma clara referência ao personagem homônimo do livro “1984”, clássico de George Orwell lançado em 1948.

A obra, que voltou à lista de mais vendidos dos Estados Unidos após declarações preocupantes do governo de Donald Trump, imagina um futuro distópico no qual a sociedade é vítima de um regime totalitarista (disfarçado de democracia, tá?) representado pela imagem do “Grande Irmão” (Sim, o nome do reality show “Big Brother” foi inspirado aí!). No romance, Parsons é uma daquelas pessoas que vivem à mercê de interesses dos outros, sem senso crítico.

Assista ao vídeo

Com esse lançamento, Katy Perry, uma das grandes apoiadores de Hillary Clinton, candidata derrotada à presidência dos Estados Unidos, cumpre a promessa feita aos fãs no ano passado de voltar com uma mensagem poderosa. “É engraçado, às vezes, pessoas que não concordam comigo dizem ‘cale a boca e cante’. Pois eu vou fazer isso de uma forma completamente nova”, escreveu no Instagram em dezembro.

E não é que ela fez? Porque pop music pode ser somente sobre ir para a balada dançar, mas pode ser também sobre retratar o tempo no qual vivemos.