Livro “Joana Princesa” leva o universo trans aos contos de fadas

Joana nasceu João e seu maior sonho era ser uma garota como as outras.

Era uma vez uma princesa que, ao nascer, recebeu o nome de João. Algum tempo depois, a criança pediu para que seus pais a chamassem de Joana. Assustados e confusos, o rei e a rainha não sabiam o que fazer para reverter a situação e até consultaram a bruxa do reino. Enquanto isso, Joana apenas sonhava em ser uma garota igual a todas as outras. Para realizar seu sonho, ela parte em uma grande aventura em busca do Arco-Íris Mágico que, segundo a lenda, pode transformar rapazes em garotas.

Ilustração de Marina Tranquilin Ilustração de Marina Tranquilin

Ilustração de Marina Tranquilin (/)

Assim é “Joana Princesa”, o primeiro conto de fadas brasileiro a abordar a temática transexual. De maneira muito terna e cheia de pequenas metáforas, a autora Janaína Leslão busca desmistificar esse tema tão delicado. “É um texto leve e que chega a cada leitor de uma forma diferente, a depender de sua capacidade de compreensão do mundo e do tema”. Além de falar sobre os conflitos internos de Joana e sobre a aceitação familiar, o livro também aborda a inclusão dessas crianças no ambinete escolar. 

Ilustração de Marina Tranquilin Ilustração de Marina Tranquilin

Ilustração de Marina Tranquilin (/)

Essa é a sugunda vez que Janaína leva a temática LGBT para os contos de fadas. “A Princesa e a Costureira”, livro anterior da autora, conta a história de uma princesa prometida em casamento que se apaixona pela costureira encarregada de fazer seu vestido de noiva. 

Ilustração de Marina Tranquilin Ilustração de Marina Tranquilin

Ilustração de Marina Tranquilin (/)

Escritora e também psicóloga, Janaína explica que sentiu a necessidade de lançar livros infanto-juvenis LGBTs depois de ter trabalhado com adolescentes sobre questões referentes a sexualidade, gênero e prevenção de DSTs. “Sentia dificuldade de encontrar materiais leves, em linguagem acessível, que abordassem finais felizes para pessoas que não se encaixavam nos padrões heteronormativos de nossa sociedade”, conta. O livro já está disponível nas livrarias e também pode ser adquirido através do site da Metanoia Editora.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s