Conheça a história de Mae Jemison, a 1ª astronauta negra da NASA

Multitalentosa, ela hoje estuda os usos da tecnologia espacial na vida comum da Terra.

Entrar no programa de formação de astronautas da NASA não é exatamente fácil. Conseguir se destacar e fazer parte de uma missão que vá ao espaço é mais difícil ainda. Alcançar esse feito sendo uma mulher negra, com todas as dificuldades que mulheres e pessoas negras enfrentam nos estudos e no mercado de trabalho, então, é um feito digno de aplausos.

Quem venceu todas as barreiras pela primeira vez foi a norte-americana Mae Jemison. Em 1992, a bordo da missão STS-47 do ônibus espacial Endeavour, ela se tornou a primeira astronauta negra da NASA – e da história.

Vem conhecer a história desta heroína da vida real, porque ela merece!

Mulher de múltiplos talentos

Assim como muitas pessoas em todo o mundo, Mae sonhava em ser astronauta desde pequenininha. Mas, antes de chegar à NASA, ela estudou e se aventurou por áreas bem diferentes do espaço sideral.

Mae Jemison com seu uniforme de astronauta da NASA

Mae Jemison com seu uniforme de astronauta da NASA (NASA/Divulgação)

Nascida em 17 de outubro de 1956 na cidade de Decatur, no Alabama, ela tinha 3 anos quando a família se mudou para Chicago, no Illinois. Seu pai era um faz-tudo e sua mãe, professora primária. Mae é a caçula de três irmãos.

Em 1977, se formou em Engenharia Química em Stanford como destaque entre os alunos que tinham bolsa de estudos. Paralelamente, tirou um bacharelado em Estudos da Arte Africana e Afro-Americana.

Quatro anos depois, em 1981, finalizou um doutorado em Medicina. Enquanto preparava sua tese, conseguiu fazer um estágio em Cuba, integrando um grupo de pesquisa estudantil dos EUA.

Como médica, nos anos 1980 foi voluntária em um campo de refugiados cambojanos na Tailândia e integrou a força de paz dos EUA em Serra Leoa e na Libéria. Escreveu manuais de autocuidados, desenvolveu diretrizes para o trabalho voluntário na área de saúde de seu país e participou das pesquisas para a criação da vacina contra a hepatite B.

De volta aos EUA, Mae passou a trabalhar tanto como médica quanto como engenheira na Califórnia. Lembrou do sonho de infância e decidiu se inscrever no programa de formação de astronautas da NASA. Em 1987 foi uma das 15 pessoas selecionadas entre mais de 2 mil candidatos.

Representatividade importa, SIM

Dois pioneiros do espaço foram o incentivo para que Mae decidisse tentar ser astronauta, e os dois entraram para a história em 1983.

Uma foi Sally Ride, primeira mulher astronauta a participar de uma missão espacial da NASA, em junho de 1983. O outro foi Guion Bluford, primeiro astronauta negro da NASA a fazer parte de uma equipe de tripulação de um ônibus espacial, em agosto daquele ano.

Sally Ride, a primeira mulher que conseguiu ser astronauta na NASA

Sally Ride, a primeira mulher que conseguiu ser astronauta na NASA (NASA/Divulgação)

Juntando os dois, Mae pensou: “Ok, então eu posso ser a primeira mulher E negra a ir ao espaço pela NASA”. Nove anos depois, conseguiu.

Muito treinamento antes de entrar em um ônibus espacial

Um ano depois de entrar na NASA, Mae recebeu o título de Astronauta Especialista Científica de Missões. Mas conseguir ir ao espaço exigiu muito esforço depois disso.

Nos quatro anos seguintes à formatura, ela trabalhou para a agência espacial inicialmente na equipe de apoio de lançamentos no Kennedy Space Center, na Flórida. Depois foi para o laboratório de verificação de softwares dos ônibus espaciais no Shuttle Avionics Integration Laboratory, no Texas. A última parada antes de entrar no Endeavour foi no Grupo de Apoio à Ciência da NASA.

A missão espacial, finalmente

Do dia 12 ao dia 20 de setembro de 1992, Mae orbitou a Terra dentro do ônibus espacial Endeavour. A missão STS-47 foi uma parceria entre EUA e Japão e durou 190 horas, 30 minutos e 23 segundos.

Mae Jemison sendo preparada para a missão STS-47

Mae Jemison sendo preparada para a missão STS-47 (NASA/Divulgação)

A função da astronauta foi investigar células ósseas durante o voo. A Endeavour decolou e aterrisou no Kennedy Space Center.

Vida nova depois da NASA

Seis meses depois da STS-47, em março de 1993, Mae pediu demissão da NASA. Foi surpreendente, mas o motivo era nobre: ela decidiu abrir o Jemison Group, um conglomerado de empresas de pesquisa de usos da tecnologia espacial no dia a dia das pessoas comuns (=nós, os não-astronautas).

Naquele mesmo ano, a astronauta e empresária teve seu momento de atriz em um episódio de “Star Trek: Next Generation” – série de que sempre foi fã, naturalmente. Ela interpretou a Tenente Palmer, da Equipe de Operações. Isso que é ser multitalentosa MESMO!

Mae Jemison como a Tenente Palmer em “Star Trek: Next Generation”

Mae Jemison como a Tenente Palmer em “Star Trek: Next Generation” (YouTube/Reprodução)

Além de tudo o que conquistou pessoalmente, Mae construiu um legado gigantesco em vida: abriu caminho para que outras astronautas negras, como Stephanie Wilson, Yvonne Cagle, Joan Higginbotham e Jeanette Epps, também se destacassem na NASA. Talvez neste exato momento uma menina negra tenha o firme propósito de um dia ser astronauta e saiba que poderá realizar seu sonho, porque Mae Jemison conseguiu antes. Isto não tem preço.

☆ Tudo sobre o misterioso signo de Escorpião ☆