Rock in Rio: os 22 shows mais importantes da história do festival

De Ney Matogrosso a Katy Perry, o Rock in Rio já abrigou shows épicos no Brasil, em Portugal, na Espanha e nos EUA

Falta menos de um mês para o início do Rock in Rio – vai de 15 a 24 de setembro no Rio de Janeiro e terá em seus palcos atrações como Lady Gaga, Justin Timberlake e Maroon 5 –, e um bom aquecimento para curtir muito o festival é lembrar os grandes shows de suas edições anteriores.

Leia também: Rock in Rio 2017: veja a programação completa por dia de festival

De Ney Matogrosso (que abriu a primeira edição, em 1985) a Katy Perry (que encerrou a edição mais recente, em 2015), passando por quem se destacou nas edições intermediárias brasileiras e nas versões portuguesas, espanholas e americana do festival, vem ver algumas apresentações inesquecíveis da história do Rock in Rio.

Ney Matogrosso, Rio de Janeiro, 1985

Ney Matogrosso foi escolhido para abrir a primeira edição do Rock in Rio – que, àquela altura, ninguém sabia que se tornaria um evento de sucesso e com “franquias” fora do Brasil. A música que ele escolheu foi “América do Sul”, e a performance, como é de se esperar quando o assunto é NeyMa, foi maravilhosa. O festival estava sendo transmitido para vários países do mundo e a primeira impressão não poderia ter sido melhor!

Queen, Rio de Janeiro, 1985

A banda de Freddie Mercury foi a grande atração internacional do primeiro Rock in Rio. O público testemunhou um desfile de hits da banda em seu auge e cantou junto faixa a faixa. Emocionado, Freddie mais ouviu a plateia do que cantou quando chegou a hora de “Love of My Life”. Ele e todos os outros integrantes sempre declararam que este foi um dos pontos altos da carreira do Queen. E teve fofoca também: Freddie teve um tórrido caso de amor com o motorista que levou a banda pra lá e pra cá no Rio de Janeiro.

A-Ha, Rio de Janeiro, 1991

O trio norueguês é queridíssimo do público brasileiro desde os anos 1980 – talvez só na Noruega a banda seja mais cultuada que aqui. Na segunda edição do Rock in Rio, isso ficou muito claro: foi o maior público do festival, com 198 mil pessoas na plateia. Eles tocaram todos os sucessos que tinham até então e gostaram tanto da experiência que colocaram o show na íntegra em seu canal no YouTube. É só clicar aí em cima para ver tudinho.

Guns N ‘Roses, Rio de Janeiro, 1991

Foi a primeira vez que a banda de Axl Rose se apresentou ao vivo no Brasil, e o momento era o melhor possível: eles estavam com tudo, tocando “Sweet Child O’Mine” e “Patience” sem parar nas rádios. E Axl, que hoje já não tem toda aquela voz, cantou muito! Acabado o show, eles bateram uma baita macarronada no camarim com a equipe de limpeza do festival. É que Axl havia pedido um jantarzão para a banda e os amigos, mas os amigos tinham ido embora. Sorte a do pessoal que estava trabalhando.

Prince, Rio de Janeiro, 1991

Acompanhado da banda The New Power Generation, o cantor e compositor fez um show brilhante, como foram todos de sua carreira. Os bastidores excêntricos de sua vinda ao Rock in Rio também deram o que falar. Até hoje não foi confirmado se ele pediu 500 ou 700 toalhas em seu camarim (!!!), mas é sabido que apenas 50 foram usadas. O resto acabou sendo distribuído entre as famílias dos organizadores do festival. Eles devem ter toalhas sem uso até hoje! E também comenta-se por aí que, além de dar notas de US$ 100 para meninos de rua, ele teve um casinho com uma garota de 16 anos.

Foo Fighters, Rio de Janeiro, 2001

O Foo Fighters demorooou para confirmar a vinda ao Rock in Rio porque o fim de semana escolhido para eles coincidia com o aniversário de Dave Grohl (o show foi em 13 de janeiro, o aniversário dele é no dia 14). Ele só topou quando mostraram que a banda era líder de preferência do público para ocupar o palco principal. Valeu a pena: além de o show ter sido incrível, Dave ganhou “Parabéns a Você” da plateia e um bolo de aniversário no palco.

Britney Spears, Rio de Janeiro, 2001

O show de Britney Spears no Rock in Rio de 2001 foi parte da turnê de “Ooops!… I Did It Again”. Ela estava com tudo, tinha recém sido nomeada a “princesa do pop” e o show foi uma mega produção. Dizem as más línguas que foi tudo playback. Ela sempre negou. Veja o vídeo e tire suas próprias conclusões.

Neil Young, Rio de Janeiro, 2001

Lenda viva do rock, o canadense Neil Young fez um show épico na terceira edição do Rock in Rio. Tinha muito marmanjo chorando sem o menor problema na pista enquanto ele apresentou com perfeição músicas como “Hey Hey My My”.

Paul McCartney, Lisboa, 2004

Causou estranheza o Rock in Rio virar franquia e manter o nome em outros países, mas agora isso já está mais que superado. O grande nome da primeira edição europeia do festival, em Lisboa, foi Paul McCartney.

Sepultura, Lisboa, 2004

O Brasil marcou presença no primeiro Rock in Rio Lisboa com shows de Sepultura e Gilberto Gil. O Sepultura deixou os portugueses de queixo caído. Até hoje é um dos shows mais comentados por lá quando se fala em Rock in Rio.

Ivete Sangalo, Lisboa, 2006

Bem menos hardcore que o destaque brasileiro da edição anterior, em 2006 Ivete Sangalo arrasou no Rock in Rio Lisboa. E daí que o festival é de rock? O público gostou bem de levantar poeira com Ivete.

Roger Waters, Lisboa, 2006

O ex-Pink Floyd e um dos maiores nomes da história do rock fez um show impecável na segunda edição do Rock in Rio Lisboa. Além de músicas da carreira solo, ele naturalmente tocou os hits do Pink Floyd. Essa abertura com “The Wall” é de arrepiar!

Amy Winehouse, Lisboa, 2008

Amy levou seu vozeirão e seu show a Portugal e foi o grande destaque da terceira edição do Rock in Rio Lisboa. Ela tropeçou e caiu no palco, bebeu um pouquinho aqui e outro tantinho ali, mas fez uma apresentação memorável.

Shakira, Madri, 2008

Se dois anos antes Ivete Sangalo já havia quebrado a hegemonia do rock como destaque no Rock in Rio Lisboa, nesta primeira edição do Rock in Rio Madri o grande nome foi… Shakira! Mas tudo bem, porque esta foi a primeira vez que o festival se assumiu como um evento dedicado à diversidade musical. Todo mundo já tinha entendido, mores!

Lenny Kravitz, Madri, 2008

Representando o rock raiz, o rock arte, Lenny Kravitz fez o grande show do estilo neste primeiro Rock in Rio Madri.

Xutos e Pontapés, Lisboa, 2010

Em casa, a Xutos e Pontapés fez uma apresentação que ficou para a história tanto da banda portuguesa quanto do do Rock in Rio Lisboa. Diante de uma pista lotadaça, eles cantaram todos seus sucessos e tiveram o reconhecimento merecido.

Rihanna, Madri, 2010

Em sua primeira participação em uma edição de Rock in Rio, Riri era a atração mais aguardada e foi a mais amada. Cantou todos seus sucessos e ainda fez cover de Michael Jackson (“Don’t Stop the Music”). O show está inteirinho aí em cima. Aproveite!

Coldplay, Rio de Janeiro, 2011

De volta ao aconchego do Brasil, o Rock in Rio de 2011 teve um dos shows mais inspirados da carreira do Coldplay. Em êxtase, Chris Martin declarou seu amor ao Rio de Janeiro pichando um enorme “I ❤ Rio” no palco.

Stevie Wonder, Rio de Janeiro, 2011

Além de ser perfeito apenas pelo fato de ser de Stevie Wonder, o show teve momentos inesquecíveis. Um foi a participação de Janelle Monaé. E o maior foi quando a filha de Stevie, Aisha Morris, subiu ao palco para cantar “Garota de Ipanema” com o pai. Curiosidade: Stevie escreveu o hit “Isn’t She Lovely”, em 1975, para comemorar o nascimento de Aisha.

Taylor Swift, Las Vegas, 2015

A primeira edição norte-americana do Rock in Rio foi estrelada por Taylor Swift, que apresentou o show da 1989 World Tour. De bônus, teve o já clássico dueto com Ed Sheeran em “Tenerife Sea”.

Queen + Adam Lambert, Rio de Janeiro, 2015

Trinta anos depois do show maravilhoso da primeira edição do festival, o Queen voltou ao Rock in Rio – desta vez com Adam Lambert nos vocais (Freddie Mercury morreu em 1991). Houve quem amasse, houve quem ficasse ~ofendido~ com o fato de Lambert estar no lugar de Mercury, mas vale lembrar que foi uma escolha da própria banda, né? De toda forma, “por respeito”, como ele mesmo declarou, Lambert preferiu não cantar “Love of My Life”. A repetição deste momento mágico ficou sob a responsabilidade da voz de Brian May.

Katy Perry, Rio de Janeiro, 2015

O último show da edição mais recente do Rock in Rio foi parte da turnê Fireworks de Katy Perry. Foi um show colorido e animado – e em que Katy não conseguia de jeito nenhum falar o nome Rayane, da fã que subiu ao palco, lembra?

 

☆ Descubra o significado de VÊNUS no seu Mapa Astral ☆