Saiba mais sobre o novo documentário da Dior com Raf Simons

Tenso, emocionante e sincero, documentário retrata a chegada do estilista belga Raf Simons ao comando da maison Dior.

Estreia em agosto nos cinemas brasileiros Dior e Eu, dirigido pelo francês Frédéric Tcheng. O filme acompanha de perto a posse de Raf Simons como diretor criativo da Dior, em 2012. Para quem não se lembra, o posto havia ficado vago após a demissão de John Galliano, em março de 2011. Além da tensão habitual por assumir um cargo tão importante na moda – algo ainda mais desafiador para um estilista tido como minimalista –, o que torna o filme ainda mais interessante é que, logo nas primeiras cenas, descobrimos que Simons tem uma missão praticamente impossível a cumprir: desenvolver sua primeira coleção de couture em oito semanas. É em meio a essa tensão que o enredo se desenrola, mostrando as dificuldades de adaptação tanto do estilista quanto da equipe do ateliê da maison, que tem dezenas de profissionais, alguns deles com mais de 40 anos de casa. Há ainda a cobrança para que Simons supere as expectativas do público e da mídia. Esse é o cardápio do documentário, que abre as portas do secretíssimo ateliê da Dior e ainda leva o espectador à intimidade de um dos estilistas mais discretos do mercado. Emocionante ver as lágrimas de Simons pouco antes do derradeiro desfile, mostrando um lado sensível por trás da passarela.     

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)