As cápsulas de fibras aliviam a prisão de ventre e ajudam a emagrecer

A leitora Elaine perdeu 37 kg com o auxílio das cápsulas de fibras. Elas aliviam a prisão de ventre e a retenção de líquidos, ajudando a emagrecer. Quer seguir o cardápio? Associe as fibras à ingestão de pelo menos 2,5 litros de água por dia.

Elaine Cristina Damasceno, 27 anos, promotora de vendas, Santos, SP, tem 1,64 m e foi dos 104 kg para os 67 kg
Foto: Guto Seixas // Arquivo pessoal

“Nossa, ela tá forte, né?” Esse foi um dos comentários que ouvi quando cheguei à minha cidade, Boa Esperança, em Minas Gerais, depois de um ano sem aparecer por lá. Eu tinha ido passar o Natal de 2011 na casa da minha mãe e estava no auge da minha gordura. Foi muito triste perceber os olhares de reprovação da minha família. De reprovação e pena. Logo eu, que sempre fui tão vaidosa… Estava irreconhecível! Com 104 kg, nem a mais impecável das maquiagens, nem o melhor corte de cabelo seriam capazes de esconder o tamanho do meu corpo e da minha infelicidade. Ir à cidade em que nasci sempre foi motivo de alegria para mim. Por isso, foi muito dolorido me sentir tão desconfortável no meio das pessoas que me viram crescer. Cheguei a sentir raiva de mim. Mas esse baque me acordou. Prometi para mim mesma que, no Natal do ano seguinte, a história ia ser diferente: eu voltaria linda e magra para Boa Esperança!
 

Engordei 30 kg na gravidez e não consegui perder mais

 
Sou de família mineira e nossa mesa era farta de doces, bolos, pães de queijo e outras delícias engordativas. Desde criança, aprendi a comer em grandes quantidades. Com 11 anos, eu já pesava 63 kg. Era a gordinha do colégio. Aos 15, usava manequim 44. Não tinha nenhum paquera, mas em compensação tinha um monte de apelidos: baleia assassina, porquinha-da-índia, boto-cor-de-rosa… Minha mãe dizia que eu não era gorda. Ela sempre tinha uma desculpa para me consolar. Achava normal eu ser fofinha.
 
Cansada de ser alvo de piadinhas, depois dos 16 anos, passei a fazer várias dietas absurdas. Vivia no efeito sanfona. Até que, aos 22 anos, com 70 kg, engravidei do meu namorado na época. “Ah, agora não preciso mais me controlar. Grávida pode tudo”, pensei. E liberei geral: no rodízio de pizza, por exemplo, devorava 11 pedaços sem culpa! Conclusão: em agosto de 2009, ganhei a Luiza e mais 30 kg. Na fase de amamentação, que eu poderia ter aproveitado para emagrecer, continuei comendo compulsivamente e não consegui me livrar dos quilos extras…
 
Por um tempo, fingi que nada estava acontecendo. Como não me pesava, não tinha noção de que estava obesa. Até começar a ir às lojas e não encontrar mais roupas que me servissem. Manequim 48 não se encontra em qualquer lugar, né? Com o excesso de peso também tive problemas de pressão alta. Um desastre…
 

Emagreci para ser um exemplo para minha filha

 
Me tornei uma pessoa triste. Achava que em dez anos estaria morta ou cheia de problemas de saúde, mas não fazia nada para mudar a situação. Até que, naquele Natal de 2011, na cidadezinha onde cresci, vi um filminho passar pela minha cabeça. Lembrei de toda uma infância e adolescência sendo vítima de constrangimentos e julgamentos por ser gordinha. Não queria que minha filha tivesse a mesma história que a minha. Eu precisava ser um exemplo para ela.
 
E foi assim que nasceu em mim uma mulher que nem eu mesma sabia que existia. Eu estava determinada a provar para todo mundo que eu não era uma coitada e que era capaz, sim, de emagrecer!
 

Eliminei 4 kg no primeiro mês e me empolguei!

 
Em janeiro de 2012, quando acabaram as festas de fim de ano, comecei a dar os primeiros passos, sem contar para ninguém. Comprei revistas de dieta, pesquisei na internet e vi muitos vídeos de ex-gordinhas para me motivar. Mergulhei nesse universo porque sabia que a maior mudança tinha que ser psicológica.
 
Fui bem radical mesmo, cortei tudo: farinha branca refinada, pizza, embutidos, massa, doce, refrigerante, fritura. Passei a comer a cada três horas e aumentei a quantidade de alimentos integrais, frutas e verduras. Apostei em alimentos sem conservantes e diminui bastante as porções.
 
Desde o primeiro dia, comecei a caminhar durante uma hora. No primeiro mês, já vi resultado e fiquei superanimada: menos 4 kg! Ao todo, estipulei uma meta de 40 kg, sem tempo determinado, porque dessa vez eu queria fazer tudo direitinho para não sofrer com o efeito sanfona depois.
 

Chegava a ficar 7 dias sem ir ao banheiro!

 
Só que ainda tinha uma pedra no sapato da qual não me livrei nem com a mudança na alimentação: meu intestino preguiçoso. Acredita que eu chegava a ficar sete dias sem ir ao banheiro? Era um sufoco! Aí, alguns meses depois, uma amiga me indicou a cápsula de fibras, à base de aveia e beterraba. Tomava duas no café da manhã, duas no almoço e duas no jantar. Aí, gata, meu emagrecimento deslanchou! Quando seu intestino funciona bem, ele consegue eliminar as toxinas, o que é essencial para perder peso. Corpo intoxicado não emagrece!
 
Minha barriga também desinchou horrores quando passei a ir ao banheiro todos os dias. Além disso, as cápsulas prolongavam a sensação de saciedade e eu não me descontrolava na refeição seguinte. O que é megaimportante quando você aumenta o consumo de fibras é aumentar a ingestão de líquidos. Por isso, passei a tomar pelo menos 1 litro de chá verde e 2,5 litros de água por dia. Com a reeducação alimentar, o intestino funcionando direitinho e fazendo minhas caminhadas, vi meu objetivo, mês a mês, se tornando realidade!
 

Recebi muitos elogios quando voltei à minha cidade natal

 
No Natal de 2012, voltei à Boa Esperança bem mais magra, com 82 kg. Recebi muitos elogios! Foi ótimo, mas eu ainda não estava como queria.
 
No Natal de 2013, infelizmente não pude ir à minha cidade, mas não vejo a hora de chegar o Natal deste ano! Ainda está longe, mas sei que todos vão ficar de queixo caído quando me virem desfilar meus 67 kg muito bem distribuídos em um manequim 38!
 
Hoje sou uma mulher mais segura, não tenho problemas de saúde, me sinto linda, compro a roupa que eu quiser e sou infinitamente mais feliz! Tem uma frase que traduz perfeitamente essa minha história: “O que você ganha ao atingir seu objetivo não é tão importante quanto o que você se torna ao conquistá-lo”. Esse é o caminho, minha amiga!
 
Cardápio inserido
div#cardapio_wrap div,div#cardapio_wrap span,div#cardapio_wrap div#cardapio_wraph1, div#cardapio_wraph2, div#cardapio_wraph3, div#cardapio_wrap p, div#cardapio_wrap a, div#cardapio_wrap em, div#cardapio_wrap img,
div#cardapio_wrap strong, div#cardapio_wrap b, div#cardapio_wrap u, div#cardapio_wrap i, div#cardapio_wrap center, div#cardapio_wrap table, div#cardapio_wrap tr, div#cardapio_wrap td{margin:0;padding:0;border:0;font-size:100%;font:inherit;vertical-align:baseline;}
body{line-height:1;}
table{border-collapse:collapse;border-spacing:0;}

div#cardapio_wrap{font-family:Arial,sans-serif;overflow:hidden;width:620px;}
div#cardapio_wrap div#cardapio_header{background-color:#404042;display:table;height:38px;text-align:center;text-transform:uppercase;width:100%;}
div#cardapio_wrap div#cardapio_header span{color:#fff;display:table-cell;font-size:18px;font-weight:bold;vertical-align:middle;}
div#cardapio_table{display:table;overflow:hidden;width:620px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column{background-color:#f6f6f6;display:table-cell;padding-bottom:20px;vertical-align:top;width:205px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle{border-left:2px solid #fff;border-right:2px solid #fff;background-color:#eeeeee;margin:0 2px;width:206px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item{float:left;width:204px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h3{color:#000;display:block;font-size:14px;font-weight:bold;letter-spacing:0px;margin:15px 0 11px;text-align:center;text-transform:uppercase;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.bottom div.cardapio_item h3{margin-top:0;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item p{color:#6f6f6f;display:block;font-size:13px;line-height:19px;margin:0 auto;width:90%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h4{color:#6f6f6f;display:block;font-size:13px;font-weight:bold;margin:15px auto 0;text-align:left;width:90%;}

@media only screen and (max-width: 620px), only screen and (max-device-width: 620px){
div#cardapio_table,div#cardapio_wrap{width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column{background-color:#fff;display:block;float:left;margin:0 0 3px;padding-bottom:0;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle{background-color:#fff;display:block;margin:0 0 3px;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle div.cardapio_item{background-color:#eeeeee;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item{background-color:#f6f6f6;float:left;padding-bottom:20px;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h3{margin:15px auto 11px;text-align:left;width:90%;}
}

br.clear{clear:both}

O cardápio da Elaine

Café da manhã

1 fatia de pão integral + 1 colher (sobremesa) de requeijão light + 1 fatia (média) de queijo branco + 50 ml de café com adoçante + 1 fruta (1/2 mamão papaia ou 1 maçã) + 2 cápsulas de fibras

Almoço

Salada de folhas e legumes à vontade + 2 colheres (sopa) de arroz integral + 1 filé médio de frango ou carne ou peixe grelhado + 1 fruta OU 200 ml de gelatina diet + 2 cápsulas de fibras

Dica da nutricionista:

Comece a compor o prato pelas saladas, buscando preencher 50% com hortaliças. Para uma alimentação saudável, inclua 1 porção de leguminosas (feijão, ervilha, grão de bico) por dia, de preferência no almoço. Opte por carnes brancas, cozidas ou grelhadas. Para a sobremesa, fruta é a melhor opção. A gelatina, mesmo diet, é rica em corantes e conservantes, que devem ser evitados. Uma alternativa é fazer a gelatina com sucos naturais, usando a incolor para dar a textura.

Lanche da tarde

1 fruta OU 250 g de salada de frutas (maçã, banana e mamão)

Jantar

Igual ao almoço OU 400 ml de shake (pó comprado pronto batido com leite desnatado ou semidesnatado) + 2 cápsulas de fibras

Dica da nutricionista:

É importante observar as composições dos shakes, pois, na maioria das vezes, eles não ofertam os nutrientes necessários. Podem ser substituídos por refeições mais leves, como vitaminas de frutas, sopas, sanduíches naturais e saladas.

Durante o dia todo

1 litro de chá verde + 2,5 litros de água

(Cód. Conteúdo: 781368)

 
 

Como consumir

A especialista recomenda consumir 30 gramas por dia de fibras, para um adulto. Isso pode ser alcançado por meio de uma alimentação rica em frutas, hortaliças e sementes. “Para uma pessoa que está em processo de reeducação alimentar e que ainda não atinge as quantidades de fibras através da alimentação, vale apostar nas versões em cápsulas ou em pó (lata ou sachê), antes das grandes refeições”, orienta Tamyres.

As cápsulas de fibras aliviam a prisão de ventre e ajudam a emagrecer

Fotos: Divulgação

1. Cápsula de fibras, SempreBom, na Casa Cariri, 90 cápsulas, R$ 20,90*

2. Cápsula de fibras, Unilife VItamins, na Natuforma, 90 cápsulas, R$ 20,90*

As cápsulas de fibras aliviam a prisão de ventre e ajudam a emagrecer

Fotos: Divulgação

3. Fibras em sachê, Fíber Mais Nestlé, na FarmaDelivery, 10 sachês, R$ 24,14*

4. Fibras em pó, Jasmine, na VerdeNutri, 300g, R$ 16,55*

*Preços pesquisados em abril/2014

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s