Dieta dissociada: perca até 10 kg no mês

Conheça a dieta dissociada que permite comer carboidratos e proteínas, mas separadamente

Carboidrato e proteína são permitidos, mas não juntos
Foto: Getty Images

Secar 10 kg em um mês – eis a promessa da Dieta Dissociada. Apesar do nome do regime soar pouco convidativo, trata-se de uma técnica simples, cujo princípio básico é não misturar na mesma refeição proteínas (carnes e derivados de leite) e carboidratos (pães e batatas) e, assim, sem restringir o consumo desses dois grupos alimentares nem obrigá-la a contar calorias, emagrecer sem sacrifícios. Quem garante? O endocrinologista e criador do método, João César Castro Soares. A seguir, o cadápio ideal e tudo o que você precisa saber para colocar o método em prática e afinar, fácil, a silhueta.

Regras da dieta

– Consuma os alimentos ricos em carboidrato apenas durante o dia. Atenção: 18h é o horário limite para ingerir esse grupo alimentar.

– Reserve o período da noite para se deliciar com proteínas.

– Jamais misture proteínas e carboidratos na mesma refeição.

– Exemplos de carboidrato: Pães, bolos, bolachas, biscoitos, macarrão, massas em geral, cenoura, batata, arroz, milho, beterraba e salgadinhos.

– Exemplos de proteína: Carnes em geral (pode ser vermelha ou branca), leite, queijos, soja, requeijão, iogurte, kani kama, presunto e outros frios.

Atenção: os empanados – como nuggets – são proibidos!

Dieta dissociada: perca até 10 kg no mês

Perca até 10 kg em um mês
Foto: Getty Images

Mistura perigosa à vista!

A combinação de proteínas e carboidratos num mesmo prato aumenta a liberação de insulina, hormônio responsável por inativar a lípase – enzima encarregada da metabolização das moléculas de gordura.

“Quando não consegue quebrar essas moléculas de forma eficaz, o corpo as estoca em excesso, aumentando o volume do tecido adiposo”, lembra o endocrinologista João César Castro Soares. Na prática, isso significa barriga mais saliente, culotes saltando e pneuzinhos à vista.

O truque do carboidrato

O consumo de alimentos ricos em carboidrato – especialmente os feitos com farinha refinada – elevam rapidamente os níveis de açúcar (glicose) no sangue. O problema: essa atividade estimula a liberação de insulina que, em grande quantidade, aumenta o apetite. Mas é possível fugir desse efeito. Como? Ingerindo carboidratos com moderação e apenas durante o dia, quando há tempo para o corpo queimar as calorias extras. Ah, e reserve as proteínas, que dão mais saciedade, para o jantar.