Elimine as comidas brancas para turbinar a dieta

"Sequei 35 kg com a dieta sem comida branca. Transformei meu corpo ao trocar o arroz, o açúcar e as farinhas brancas por suas versões integrais", conta Débora Soares dos Santos

Débora Soares dos Santos, 33 anos, atendente, São José dos Campos, SP
Foto: Alan Teixeira

“Emagrecer não é fácil pra ninguém. Imagine pra mim, que trabalho há cinco anos como atendente numa doceria! Até porque, para vender bem, é preciso provar todos os doces e guloseimas. E eu nunca me fiz de rogada: em vez de beliscar uma pontinha do bolo, por exemplo, devorava logo um pedação. E é lógico que não saí impune dessa comilança: comecei a engordar sem parar! Depois da gravidez, então, minha situação desandou de vez e ultrapassei a barreira dos 100 kg! Minha vida ia ladeira abaixo. Não conseguia enxergar uma luz no fim do túnel. Até que o destino resolveu me dar uma forcinha, me “presenteando” com uma doença. Isso mesmo: graças a uma doença, consegui emagrecer e transformar minha vida!

A comida era minha válvula de escape
A obesidade não era novidade pra mim. Na adolescência, comecei a ganhar peso e, aos poucos, fui me tornando uma menina gordinha. Então passei a fazer atividades físicas e, aos 17 anos, fiquei com um corpo perfeito. Só que, em 2008, comecei a trabalhar numa loja de doces e… Já viu, né?

Para piorar, depois de ter minha filha, em 2009, entrei em depressão. Não por causa da minha princesinha, mas porque estava enorme de gorda! Isso sem falar que meu casamento ia mal, eu quase não tinha amigos e não saía de casa por vergonha do meu corpo. A comida era minha válvula de escape.

Tive que extrair a vesícula
No final de 2011, tive pedra na vesícula. Passei no médico e ele disse que eu teria de emagrecer para fazer a cirurgia de retirada do órgão. Procurei uma nutricionista e me matriculei na academia, pois precisava secar o quanto antes. Em três meses de dieta e atividades físicas, consegui perder 6 kg e cheguei a 99 kg, o bastante para poder operar. Depois da cirurgia, fiquei sem poder comer coisas gordurosas. Era o estímulo que faltava pra eu emagrecer de vez!

Pra começar, tive de mudar completamente minha alimentação. No meu trabalho, na doceria, por exemplo, passei a experimentar os doces apenas com uma pontinha do garfo. Também cortei frituras, salgados, tortas, doces e refrigerante, que eu bebia demais! Passei a dar preferência a sucos naturais e bebidas de soja, que são ótimas para a saúde.

Mas a mudança mais importante que fiz foi trocar os alimentos brancos por itens integrais e orgânicos. Nada de arroz branco e macarrão normal, que é feito com farinha branca. Só arroz e massas integrais! Também substituí o açúcar branco pelo mascavo.

Os exercícios aliviavam a gula
Confesso que me sentia muito mal no início. Ficar sem comer o que sempre amei me deixava muito ansiosa. Chegava a suar frio de tanta vontade de me enfiar dentro da geladeira e devorar tudo! Porque comer é bom, né, gente? Foi nesse momento que a atividade física se mostrou fundamental para o sucesso do meu emagrecimento. Gastava energia na academia, fazendo musculação, corrida, jump e dança do ventre. Isso me deixava mais calma, me ajudava a controlar a gula e me animava a continuar na dieta.

Despachei a depressão e me separei
Esse processo me fez muito bem. Ao começar a perder peso, mandei embora a depressão! Além disso, eu e meu marido nos separamos – ele não acompanhou minha evolução. Senti que era o momento de me reinventar como mulher!

E foi assim, com muito foco e força de vontade que, após um ano de dieta, consegui eliminar 35 kg e me livrar daquela gordura que atrasava minha vida. Virei uma mulher feliz, realizada e com a autoestima renovada! E meu ex, quando me viu magra, tentou voltar comigo. Não quis nem saber! Para merecer essa nova Débora, tem que valer muito a pena!”

Alimentos integrais reduzem a gordura abdominal

Elimine as comidas brancas para turbinar a dieta

As farinhas brancas perdem feio para as integrais quando o objetivo é se alimentar de forma mais saudável e emagrecer
Foto: Getty Images

O branco é a cor da paz, mas, para quem quer perder peso, ele pode piorar a guerra contra a balança. É que as chamadas farinhas brancas perdem feio para as integrais quando o objetivo é se alimentar de forma mais saudável e emagrecer. “No processo de fabricação de farinhas, perde-se mais da metade das vitaminas B e E, ácido fólico, cálcio, fósforo, zinco, cobre e ferro. Já as versões integrais preservam a maior parte dos micronutrientes e fibras”, explica a nutricionista Fúlvia Gomes Hazarabedian. E, quanto mais fibras, melhor para a saúde e para a dieta! “As calorias dos itens integrais e dos alimentos com farinha branca são bem similares, mas os primeiros, por possuírem mais fibras, promovem uma absorção mais gradativa e lenta do alimento, o que prolonga a sensação de saciedade”, diz a nutricionista Maristela Strufaldi. Além disso, quando se opta pela versão integral dos alimentos, a produção do hormônio insulina fica mais equilibrada, reduzindo o depósito de gordura abdominal! Os alimentos integrais também dão mais disposição e vitalidade. “Em resumo, a troca da farinha branca pela integral em preparações como bolos, pães ou panquecas e a substituição de produtos industrializados como massas, pães, arroz e biscoitos por suas versões integrais é muito mais benéfica à saúde”, finaliza Fúlvia.

Cardápio inserido
div#cardapio_wrap div,div#cardapio_wrap span,div#cardapio_wrap div#cardapio_wraph1, div#cardapio_wraph2, div#cardapio_wraph3, div#cardapio_wrap p, div#cardapio_wrap a, div#cardapio_wrap em, div#cardapio_wrap img,
div#cardapio_wrap strong, div#cardapio_wrap b, div#cardapio_wrap u, div#cardapio_wrap i, div#cardapio_wrap center, div#cardapio_wrap table, div#cardapio_wrap tr, div#cardapio_wrap td{margin:0;padding:0;border:0;font-size:100%;font:inherit;vertical-align:baseline;}
body{line-height:1;}
table{border-collapse:collapse;border-spacing:0;}

div#cardapio_wrap{font-family:Arial,sans-serif;overflow:hidden;width:620px;}
div#cardapio_wrap div#cardapio_header{background-color:#404042;display:table;height:38px;text-align:center;text-transform:uppercase;width:100%;}
div#cardapio_wrap div#cardapio_header span{color:#fff;display:table-cell;font-size:18px;font-weight:bold;vertical-align:middle;}
div#cardapio_table{display:table;overflow:hidden;width:620px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column{background-color:#f6f6f6;display:table-cell;padding-bottom:20px;vertical-align:top;width:205px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle{border-left:2px solid #fff;border-right:2px solid #fff;background-color:#eeeeee;margin:0 2px;width:206px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item{float:left;width:204px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h3{color:#000;display:block;font-size:14px;font-weight:bold;letter-spacing:0px;margin:15px 0 11px;text-align:center;text-transform:uppercase;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.bottom div.cardapio_item h3{margin-top:0;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item p{color:#6f6f6f;display:block;font-size:13px;line-height:19px;margin:0 auto;width:90%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h4{color:#6f6f6f;display:block;font-size:13px;font-weight:bold;margin:15px auto 0;text-align:left;width:90%;}

@media only screen and (max-width: 620px), only screen and (max-device-width: 620px){
div#cardapio_table,div#cardapio_wrap{width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column{background-color:#fff;display:block;float:left;margin:0 0 3px;padding-bottom:0;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle{background-color:#fff;display:block;margin:0 0 3px;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle div.cardapio_item{background-color:#eeeeee;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item{background-color:#f6f6f6;float:left;padding-bottom:20px;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h3{margin:15px auto 11px;text-align:left;width:90%;}
}

br.clear{clear:both}

O cardápio da Débora

Café da manhã

· 1 copo de bebida de soja sem sabor ou 1 copo de leite desnatado (puro ou com café ou com uma colher se sobremesa de cacau em pó) ou 1 copo de iogurte desnatado/light + 1 fatia de pão de forma integral ou ½ pão francês ou 3 bolachas de água e sal ou 3 torradas + 1 fruta

Dica da nutricionista:

Um copo de leite ou de bebida de soja são ótimas opções de proteína pela manhã.

Lanche da manhã

· 1 fruta ou 1 copo de suco de fruta natural

Almoço

· 2 colheres (sopa) de arroz integral ou de batata ou de macarrão integral + 3 colheres (sopa) de feijão ou ervilha ou lentilha + 1 pedaço pequeno ou 2 colheres (sopa) de peito de frango ou peixe ou carne magra + 1 pires de legumes + 1 prato de sobremesa de verduras

Dica da nutricionista:

Boas opções de carnes magras são maminha, alcatra ou fraldinha.

Lanche da tarde

· 1 fruta ou 1 copo de suco de fruta + Um dos alimentos do café da manhã

Jantar

· Igual ao almoço, porém com 2 colheres (sopa) de feijão OU 1 lanche com 2 fatias de pão integral, salada, 1 fatia de queijo branco e 1 fatia de peito de peru

Lanche da noite (opcional)

· 1 copo de bebida de soja OU 1 iogurte OU 1 copo de suco de frutas OU 1 xícara de chá com duas bolachas de água e sal

(Cód. Conteúdo: 747266)

 

A importância de Mercúrio no seu Mapa Astral – escute já!