11 motivos por que fazer terapia pode ser incrível

Vem, o divã está esperando por você.

 

1. Você será outra pessoa.

A pessoa que sair da sala do analista/ terapauta não vai ser a mesma que entrou. A gente garante! É, claro, mudanças não acontecem do dia para a noite, elas levam tempo. Mas se você tiver paciência e, principalmente, vontade de se abrir com alguém ~desconhecido~, irá descobrir um universo novo e fabuloso dentro de você – só é necessário um empurrãozinho.

2. E, aos poucos, aprende a não andar em círculos.

Já reparou que de tempos em tempos parece que você comete os mesmos erros? Mudam os lugares, mudam as pessoas, mas os erros continuam lá, IGUAIS. Isso não é exclusividade sua, não, “diferentona”. É meio que um padrão comportamental do ser humano. E aí que entra a mágica da análise/ terapia! Ela ajuda você a identificar esses momentos e a não cair mais uma vez na mesma cilada.

Leia Mais: Entenda porque fazer terapia não é um sinal de fraqueza

3. Você fica mais corajosa.

Fazer análise/ terapia envolve várias batalhas. A primeira delas é reconhecer que, talvez, você precise da ajuda de um profissional. A segunda e mais cruel é desistir na metade do caminho, ou pior: desistir bem no comecinho da jornada. Muita gente não tem paciência de esperar pelos resultados que, claro, variam de pessoa para pessoa, mas um outro tantão de gente larga por medo. Sim. O autoconhecimento assusta e é ainda mais assustador quando se entra em contato com partes de si mesma que não são nada agradáveis. Ficar e abraçar sua “esquisitice interior” (todo mundo tem, tá?) é um baita sinal de coragem.

4. Você fica mais forte.

A análise/ terapia vai ensinar que ter medo é normal, afinal, todo mundo tem. Mas existem dois tipos: o que paralisa e o que empurra você para frente. Autoconhecimento é força e é coragem. Você nunca mais vai congelar de medo.

5. E não vai se sentir culpada por só falar de si mesma.

Blá, blá, blá, blá, blá… Ai, às vezes você não quer ouvir ninguém, só quer falar dos SEUS problemas, da SUA vida, das SUAS vontades. E, claro, seus amigos não são obrigados a isso porque a amizade é troca, aliás, qualquer relacionamento é. E veja só que maravilha, a análise/ terapia dá a você a oportunidade de por 50 minutos semanais falar só de si mesma e, de quebra, ainda evoluir como pessoa.

6. Às vezes, você vai ficar muito frustrada (mas é bom!).

Sabe aquela coisa jedi de “a força está dentro de você”? Com a terapia / análise é meio parecido, porque as respostas sempre vão estar dentro de você! Muitas vezes a gente procura conselhos de amigos esperando que eles tragam as soluções para nossos problemas – mesmo que no fim a gente faça aquilo que queria desde o início. Só que o papel do terapeuta/ analista não é esse, ele mostra caminhos e você mesma encontra as respostas. Isso pode ser frustrante, mas é um exercício incrível de amadurecimento.

Leia Mais: Como lidar de modo positivo com o stress do dia a dia

7. E, ei, não é “coisa de louco”, não.

Por algum motivo as pessoas espalharam a ideia de que terapia/ análise é coisa de “louco”, coisa de quem tem sérios problemas psicológicos. NÃO. É coisa de quem quer se conhecer, saber suas potencialidades e, principalmente, defeitos. Qualquer um pode fazer! 🙂

8. Pode caber, sim, no seu bolso.

Essa não pode ser uma desculpa para não fazer. Porque pode ser caro, sim, mas pode sair de graça também! A Clínica Psicológica da Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, oferece atendimento individual gratuito ou de acordo com a condição financeira da pessoa. O mesmo vale para o CEP (Centro de Estudos Psicanalíticos). Dá uma olhadinha na sua cidade!

9. Você vai dividir suas emoções e segredos com alguém que realmente pode te ajudar.

O seu terapeuta/ analista não é um estranho. É uma pessoa que estudou pra caramba para estar ali. Ele “manja dos paranauê”. Sim, muitas vezes ele vai irritar você dizendo coisas que, definitivamente, você não queria ouvir. Isso porque ele não está sendo pago para passar a mão na sua cabeça, ele está sendo pago para ajudar você resolver seus problemas. 

10. As coisas vão ficar ruins antes de ficar boas, mas tudo bem.

Como dito no item 3, você vai estar em contato profundo consigo mesma e, às vezes, vai se deparar com tudo de pior que existe em você. E, bem, algumas outras vezes você vai sair tão cansada da sessão que vai parecer que acabou de passar por uma aula de spinning. Esses são os melhores dias: você conseguiu se abrir para um “total desconhecido”. Isso assusta, você vai sentir vontade de desistir, vontade de correr, vai achar que não existe luz no fim do túnel. Até que um dia tudo fica bem.

11. E você pode deitar num divã! 🙂

Mas só se você quiser! A ideia da terapia/ análise é uma só: deixar você confortável na sua pele. 

☆ Será que seu signo tem a ver com o signo do crush? Entenda o que é e do que fala a sinastria ☆