21 dias sem carne, você consegue?

Sociedade Vegetariana Brasileira propos desafio com dicas de orientação nutricional e receitas

A Sociedade Vegetariana Brasileir lançou um desafio na internet: prove que você consegue ficar 21 dias sem comer carne e produtos de origem animal. Quem aceita o convite precisa se inscrever pelo site e recebe por email, ao longo de todo período, informações de especialistas e nutricionistas sobre nutrição vegana, além de várias receitas com sugestões de pratos para serem feitos. 

//platform.instagram.com/en_US/embeds.js

De acordo com a SVB, mais de 20 mil pessoas já se inscreveram no desafio para tentar um modo de vida mais sustentável e ético. Segundo a Sociedade, cada pessoa que adere à campanha economiza 47.628 litros de água (mais de um ano de banhos diários), 420 kg de grãos (suficiente para alimentar dois veganos por um ano), 56 metros quadrados de floresta desmatada (pelo menos três árvores) e 189 kg de CO2 (equivalente a dirigir até o México de carro a gasolina), além de muitas vidas, claro.

+ O que acontece quando você tira carne vermelha do seu prato?

//platform.instagram.com/en_US/embeds.js

O músico Junior Lima foi uma das celebridades que aceitou participar, convidado pela apresentadora e protetora Luísa Mell. A atriz Giovanna Lancellotti também topou o desafio. A ideia do número de dias vem de pesquisas que afirmam que é possível mudar um hábito em 21 dias. O desafio tem parceria com o portal Veggo, e apoio da Ampara Animal e do Instituto Luisa Mell.

//platform.instagram.com/en_US/embeds.js

O bacana da campanha e sua proposta é a abordagem amigável que se assemelha à campanha Segunda Sem Carne. Ou seja, a ideia é conscientizar as pessoas através do exemplo, das receitas e benefícios.

Propor que as pessoas tentem ficar 21 dias sem carne é inovador, já que, para aceitar, é preciso estar disposto a refletir sobre o que se come e de que forma a alimentação pode ser melhorada.

Investir na informação sobre nutrição e receitas de pratos sem carne é extremamente relevante, na medida em que num primeiro momento, a grande maioria das pessoas acredita na falácia de que “precisamos” comer carne para estar bem nutrido. Compreendido esse mito inicial, é preciso superar a dificuldade de pensar cardápios sem a tradicional equação “arroz + feijão + carne”.

Concomitantemente a tudo isso, também é preciso ir além na conscientização e levar em conta a compaixão. Os animais são seres sencientes, capazes de sentir dor e solidão, não comer carne é também respeitar o valor de uma vida e entender toda a cadeia de maus-tratos sofridas por eles na indústria de produção da carne. Informe-se! Por você, pelos planetas e pelos animais.