A seleção feminina nos lembrou (de novo) por que o Brasil é o país do futebol

Vocês são foda, garotas. <3

A sexta-feira (12), no futuro, será conhecida como o dia que o Brasil voltou a ser o país do futebol.

Leia Mais: 11 ginastas extremamente gostosos para objetificar de joelhos na Rio 2016

Sim, Marta e companhia já estão há um bom tempo na estrada e enchendo o país de orgulho, mas ontem foi diferente: essas garotas nos lembraram como é demais torcer por um time que dá tudo de si em campo.

A vitória ainda tem um gostinho melhor por ter acontecido justamente no Mineirão, palco de uma das maiores vergonhas pelo qual o país passou no esporte, quando a seleção masculina perdeu por 7×1 da Alemanha.

Elas  jogaram com garra, sabe, com técnica, com vontade de orgulhar o país delas. Parecia até final de campeonato, não ~apenas~ um jogo que valia vaga na semifinal. E nessa montanha-russa de emoções surgia outra heroína: a goleira Barbara.

A pernambucana de 28 anos fez do ditado “todo grande time começa com uma grande goleira” uma verdade. Quando tudo parecia perdido, depois de Marta (que é humana) errar, ela mostrou a força de uma guerreira, acertou o canto e defendeu a cobrança da Gorry.

Como se isso já fosse suficiente, brilhou de novo e pegou o pênalti da Kennedy. Pronto! A vontade de todo brasileiro que estava assistindo ao jogo era só uma, abraçar essa mulher. Ou melhor: abraçar TODAS elas.

Mas o que dá mais orgulho mesmo é saber que elas fizeram tudo isso sem salários milionários, grandes investimentos ou cobertura midiática. Elas fizeram isso por amor ao futebol, para esfregar na cara de todos o quanto elas são maravilhosas. O jogo foi lindo e elas precisam, sim, de maior visibilidade..

Na próxima terça-feira, às 13h, o Brasil enfrenta a Suécia no Maracanã. Vale uma vaga para a final. Se estamos na torcida? ÓBVIO!

“Jogue como uma garota”!