Ah, não! Michelle nunca irá concorrer à Presidência, diz Obama

O Presidente dos Estados Unidos afastou a possibilidade de uma candidatura dela em 2020.

Muito mais do que ~apenas~ a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama é uma advogada talentosa, formada em duas das mais importantes faculdades do mundo, Princeton e Harvard. Carismática, durante os oito anos da gestão do marido, Barack, não se acomodou e lutou por causas como o direito das mulheres, saúde pública e contra o bullying sofrido por crianças. Sem dúvida, seria uma ótima candidata à presidência e, talvez, uma maravilhosa Chefe de Estado.

Leia Mais: Estas fotos raras do Obama provam como ele vai deixar saudade

A internet pensa a mesma coisa. E, após a derrota de Hillary Clinton, deu início uma campanha online pela candidatura dela em 2020. Infelizmente, isso parece um sonho distante. “Michelle nunca irá concorrer à presidência. Ela é a pessoa mais talentosa que eu conheço. Você pode ver como ela é incrivelmente adorada pelo povo norte-americano. Mas eu costumo brincar que ela é muito sensível para querer estar na política”, disse Barack Obama em recente entrevista à Rolling Stone.

Barack Obama e Michelle Obama brincando com os mascotes, Sunny and Bo. Barack Obama e Michelle Obama brincando com os mascotes, Sunny and Bo.

Barack Obama e Michelle Obama brincando com os mascotes, Sunny and Bo. (Pete Souza/Official White House)

De acordo com ele, por um tempo, ambos deverão ficar longe dos holofotes. “Eu vou dormir por algumas semanas assim que eu sair da Casa Branca e levar minha esposa para merecidas férias. Depois disso, no primeiro ano longe do cargo, devo me dedicar a escrever um livro, além de pensar como nós iremos treinar e empoderar uma nova geração de líderes”, revelou Obama.

Na longa entrevista, ele também comentou estar desapontado com a eleição de Donald Trump, por acreditar como Hillary teria sido uma ótima primeira mulher presidente, e prometeu continuar presente na vida pública do país. “Precisamos repensar [por causa da derrota] sobre como contamos nossa história, nossa mensagem e como, a partir de tecnologia e das redes sociais, podemos alcançar as pessoas por todo o país, não somente em São Francisco ou Manhattan. Mostrar por que as mudanças climáticas importam ou conscientizar sobre as desigualdades sociais. Por isso, vou continuar muito ativo e Michelle também. Foi isso o que nos trouxe até aqui, a crença de que quando trabalhamos junto das pessoas em todas as esferas, a mudança acontece”, explicou.