As princesas da Disney estavam na Marcha das Mulheres em L.A.

Um grupo de meninas de 13 anos se juntou e provou que princesas também protestam.

No último sábado (20) aconteceu a segunda edição da “Marcha Das Mulheres“, nos Estados Unidos inteiro, protesto organizado contra o atual presidente do país, Donald Trump, contra o machismo e o assédio.

Entre os diversos cartazes e palavras de ordem, um grupo de meninas de apenas 13 anos se destacou por causa de uma ideia genial. Elas se vestiram como as amadas princesas da Disney para mostrar o que está errado e pelo que elas lutam contra.

Ava Rothenberg (Bela Adormecida), Glory Chase (Bela), Naiobi Benjamin (Ariel), Jacqueline Marks (Elsa), Daisy Kaplan (Leia) e Gwyneth Williams (Sininho) se uniram para mostrar que não é por serem princesas que elas são mais fracas, ou “donzelas em perigo”, muito pelo contrário, elas são poderosas e enfrentam o machismo com tudo que podem.

Com cartazes “reescrevendo”, de certa forma, as histórias das personagens, elas criaram frases de apoio às mulheres da marcha e contra o assédio.

Leia também: Meninas se tornam roqueiras em acampamento brasileiro empoderador

Confira o que cada cartaz delas quer dizer:

Glory Chase (Bela), Naiobi Benjamin (Ariel)

 (Brianna Sacks/Twitter)

“Esse é um belo problema”, em relação ao filme da “Bela E A Fera”, que em inglês é “Beauty And The Beast”. “Mulheres jovens e espertas, cansadas de nadar, preparadas para se levantar”, traz em relação a Ariel que troca a cauda por pernas.

Jacqueline Marks (Elsa), Daisy Kaplan (Leia)

 (Brianna Sacks/Twitter)

“Eu não vou deixar isso ir”, brincando com a música do filme da Elsa “Let It Go”, “Não toque nos meus bolinhos “, em inglês, buns possui várias conotações, inclusive com o estilo do cabelo da Leia.

Gwyneth Williams (Sininho)

 (Brianna Sacks/)

“Pózinho mágico não vai consertar isso”, fazendo uma brincadeira sobre o pó mágico usado pela Sininho.

Além dos cartazes nas fotos, ainda há o cartaz sobre a Bela Adormecida, que diz “stay woke“, ou seja, “mantenha-se acordada”, porque em inglês woke também é um gíria utilizada para indicar que uma pessoa é desconstruída.

Veja também

Infelizmente, como sempre acontece na internet, algumas pessoas criticaram a atitude das garotas, mas elas responderam lindamente.”Para todos que decidiram falar coisas horríveis (sobre nós). Nós temos 13 anos então por favor não nos ofenda ou diga que não sabemos pelo que estamos marchando, ou sendo racista com minhas amigas. Isso nos machuca, e honestamente, vai viver a sua vida, porque atacar meninas de 13 anos é não ter uma. Nosso amor sempre vencerá o ódio, não importa como”, respondeu Gwyneth, uma das garotas em um post no Instagram do Buzzfeed.

Leia também: Fotógrafo e estilista transformam princesas da Disney em rainhas

Em um vídeo no Twitter da fotógrafa Brianna Sacks, Daisy, vestida de Leia, comenta como ela amou ver todas as estrelas de Hollywood de preto, para  ela foi “realmente maravilhoso e empoderador todas as mulheres de preto no Globo de Ouro“, e complementa sobre a marcha: “ver todas essas pessoas aqui segurando um cartaz ou apenas caminhando, faz a diferença”. 

Essas meninas provam que não tem idade para lutar por aquilo que você acredita, e mostram como devem ser respeitadas e escutadas. Essas princesas deram uma bela lição de girl power.

WOMENS MARCH

 (Giphy/Giphy)