Como encontrar motivação para fazer o que detestamos

Que tal colocar o desânimo de lado e descobrir maneiras eficientes de recarregar suas baterias?

Não tem jeito: tem coisas que a gente simplesmente precisa fazer, por mais detestáveis que possam parecer. Seja resolver burocracias, lidar com problemas que estão sendo “empurrados com a barriga” há um tempão, começar um novo curso ou até mesmo começar aquela bendita dieta.

Por isso, conversamos com o Master Coach William Ferraz, que é especialista em Inteligência Emocional do Instituto IDEAH de São Paulo e nos contou alguns segredinhos fundamentais para que a gente consiga encontrar motivação e inspiração para realizarmos essas tarefas. A partir de conhecimentos de Programação Neurolinguística (PNL), o especialista elencou algumas dicas que podem ser aplicadas diariamente por qualquer mulher, nas mais diversas situações. Confira!

O que te impede?

Antes de qualquer coisa, é necessário avaliar se a tarefa em si é realmente o seu problema ou se existe alguma limitação externa que desmotive tanto você. “Pode ser que um trauma de infância ou até mesmo uma situação anterior te deixou incomodada e, por isso, seu inconsciente envia mensagens para que você não saia da sua ‘zona de conforto’ e realize uma simples tarefa”, explica William.

Observe

Segundo o especialista, é fundamental enxergar a realidade como ela é. Para isso, é necessário usar a imaginação e supor que você é apenas uma observadora e que está fora da situação. “Dessa forma, você conseguirá retirar os sentimentos que estão associados com tal atividade, enxergando apenas a ação”, pontua.

Sem comparações

Deixe de lado o hábito de comparar o seu resultado com o de outras pessoas, principalmente quando ele é positivo. “É natural que desejemos sempre fazer o melhor. Portanto, a comparação pode motivar, mas também pode ser um fator que inibe, por você pensar na possibilidade de não realizar tal tarefa de forma tão eficiente. Portanto, faça comparações somente de você mesma e apenas com o seu melhor”, ensina.

Faça o contraponto

Que tal pensar intensamente em tudo o que você sente quando está realizando algo que adora, que tem facilidade e que te traz satisfação? “O simples fato de trazer essa situação para o presente pode mudar a fisiologia do seu corpo, incluindo a liberação de hormônios, por exemplo. Isso poderá facilitar o desenvolvimento de uma situação que desafia sua desmotivação”, sugere.

Questione-se

O que acontecerá de positivo se você concluir essa tarefa? Quais pessoas serão favorecidas? Qual será a contribuição para o trabalho geral de um grupo? “Assim, você perceberá um objetivo maior e, talvez, até uma intenção positiva que pode te auxiliar na realização de tal tarefa”, aconselha.

Cuide da sua autoestima

Segundo William, essa é a mais importante das dicas! “Durante duas semanas, pratique o autoelogio. Faça isso de forma regrada e, todos os dias, elogie algo da sua própria imagem ou algum comportamento ou habilidade que gosta de ter. Pode comentar sobre o seu sorriso, cabelo, uma curva do rosto, uma facilidade que tem para algo, uma habilidade, algo que faça bem… vale tudo!”, conclui.

E você? Como se motiva para fazer o que detesta? Conta pra gente! 😉

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆