Como identificar amizades tóxicas – e como agir depois de reconhecê-las

Sabe aquela pessoa que diz que lhe adora, mas sempre lhe deixa para baixo? Abra os olhos: pode ser um veneno na sua vida.

Já cantou Milton Nascimento: amigo é coisa pra se guardar debaixo de sete chaves, dentro do coração. E alertam os especialistas: amigo é pessoa que nos apoia e faz de tudo para nos ver sempre bem, seja o momento da vida bom ou ruim. Se não for assim, não pode ser chamado de amizade verdadeira. É um caso de amizade tóxica e é bom ficar atenta.

“Qualquer relação que produza sofrimento é tóxica”, crava a psicóloga Gabriela Malzyner. Em relação especificamente a amigas e amigos, ela diz: “Quando essa pessoa faz com que você sofra e deposita em você elementos que você não reconhece, essa amizade é tóxica.”

Gabriela e Carla Albuquerque, psicóloga que atende pelo GetNinjas, nos contaram quais são os principais indícios de que uma amizade pode ser tóxica. Confira:

Amigos que criticam demais

Os comentários giram sempre em torno de um comportamento seu “que não é legal”, um hábito ou trejeito seu “que é ridículo” (a forma como você ri ou anda, por exemplo), as roupas que você usa “que não têm condições”. “As críticas depreciativas de uma amizade tóxica podem ser explícitas ou disfarçadas como sarcasmo ou passivo-agressividade”, explica Carla.

Críticas de amigos e amigas têm que ser construtivas, que foquem em ajudá-la a melhorar em algum aspecto, e são bem-vindas.

Amigos que são os donos da razão

Eles ou elas estão certos/as, você sempre está errada. Suas opiniões não são levadas em consideração se forem diferentes.

Amigos que nunca elogiam

Quando fazemos algo muito bem feito, algo que é admirado e até premiado, esperamos que nossos amigos vibrem conosco e nos elogiem. Mas amizades tóxicas não permitem isso, e é capaz até que pessoas com esse perfil tentem diminuir sua conquista.

Amigos que fazem você se sentir culpada

Toda relação está sujeita a falhas de comunicação; é natural do ser humano que mesmo pessoas bem próximas deem uma pisadinha na bola aqui e ali. Mas, para amigos e amigas tóxicos, a culpa nunca é deles, sempre sua. E fazem questão de jogar isso na sua cara o máximo possível. Em pouco tempo, você se sente culpada por tudo, até pelo que eles fazem.

Amigos interesseiros

Aqueles que só lhe procuram quando precisam de alguma coisa, seja uma roupa emprestada, dinheiro ou uma informação não são amigos de verdade, são amizades tóxicas.

Amigos que lhe expõem ao ridículo

Em rodas de conhecidos e até com desconhecidos, eles contam histórias em que você deu vexame ou passou por uma situação ruim; postam fotos péssimas suas em redes sociais e ainda dão um jeito de dar uma zoada na legenda e/ou nos comentários. Tóxicos até o último fio de cabelo.

Amizade tóxica - Amigos que lhe expõem ao ridículo

 (AntonioGuillem/Thinkstock)

Amigos que competem para diminuir seus problemas ou conquistas

Tem gente que parece acreditar que a vida é uma gincana de desgraças. Você está preocupada com um exame e desabafa: “Abri antes de ir ao médico e vi que dois resultados estão fora daqueles parâmetros esperados, tomara que não seja nada” e ouve como resposta: “Nossa, nos últimos exames que fiz, TODOS os meus resultados estavam fora dos parâmetros, fiquei um ano em tratamento por causa disso”.

Vale também para conquistas. Você está superfeliz: “Fui promovida e vou ter um aumento de R$ 300 no salário” e a pessoa prontamente comenta: “Na minha última promoção, meu aumento foi de R$ 1200”.

Amigo que é amigo dá atenção à sua colocação, boa ou ruim, e consola ou comemora junto. Usar um exemplo da própria vida para lhe consolar? Tudo bem. Usar um exemplo para se transformar no centro da história ou ser “melhor”? De jeito nenhum! Tóxico!

Tenho uma amizade tóxica. Como deixei isso acontecer?

Ao ler as pistas acima, pode ser que você tenha identificado uma amizade tóxica em sua vida. Para começar, não se sinta culpada por ter deixado isso rolar. “Muitas amizades acabam se mantendo por conforto. Podem ser amizades de anos, que sempre estiveram ali e se tornaram inquestionáveis. Existe um mal estar em relação àquela pessoa, mas como são sinais muito subjetivos, não passa pela cabeça romper o vínculo”, afirma Carla.

Gabriela destaca que não é incomum alguém achar que “o jeito certo de aprender” é por meio de humilhação. “Mas ser humilhado e depreciado por alguém que se diz amigo não é certo”, observa.

Quanto a isso, Carla opina: “Algumas pessoas acham normal certas atitudes tóxicas por conta de um histórico de vida nas relações afetivas.”

Tenho uma amizade tóxica. O que faço agora?

Antes de ir falar com a pessoa, converse com você mesma; uma autorreflexão é necessária e talvez seja legal pensar em procurar ajuda na terapia.

“Tem que avaliar por que você topa ter uma amizade que traz sofrimento. Isso é um sinal de saúde mental fragilizada, de autoestima em baixa”, nota Gabriela.

Depois da autoanálise, Carla considera importante ter uma conversa com esse amigo ou amiga. “Se a amizade tem uma importância e envolve sentimentos grandes, um diálogo sincero e aberto pode ajudar a retomar a amizade saudável”, acredita. “Toda mudança de comportamento dá trabalho e não acontece de uma hora para a outra, então pode ser necessário conversar mais de uma vez.”

O limite da tolerância com uma amizade tóxica

Ele existe e é o seu bem-estar: amizades tóxicas que se tornam crônicas podem fazer muito mal para a saúde mental e se transformarem em problemas físicos.

“Caso o comportamento alheio não evolua conforme as primeiras conversas, é hora de se proteger dessa amizade ou até se afastar completamente, se possível”, orienta Carla. “Estabelecer limites, falar ‘não’ mais vezes, deixar-se menos vulnerável ajuda. Uma das características da amizade tóxica é precisar ficar dando explicações, e você deve parar de fazer isso aos poucos, até conquistar seu espaço perante a outra pessoa”, finaliza a psicóloga.