Como usar o cartão de crédito sem se dar mal (ele pode ser seu amigo!)

Saiba como ter um cartão de crédito e como fazê-lo funcionar para lhe ajudar nas finanças. Bônus: o que fazer se a fatura estiver fora do controle.

Pagando o mínimo da fatura do cartão de crédito todos os meses – e não deixando de gastar um pouquinho aqui e ali –, a analista de sistemas Patrícia Barbosa chegou ao fim do limite e a uma dívida com a financeira que não poderia liquidar de uma vez. Teve o cartão bloqueado e a dívida cresceu no mês seguinte.

“Fiquei desesperada, é claro! Então entrei em contato com eles e falei ‘Me ajuda! Eu quero pagar, mas não tenho condições nem do mínimo mais’”, lembra. A solução apresentada foi o parcelamento em 15 vezes, e até rolou um descontinho nos juros. Agora, ela tem outra relação com o cartão: “Estabeleci um valor máximo de cartão por mês, que já entra na minha planilha de contas como gasto fixo. Acompanho a fatura pelo app e, quando chega no valor mensal, ele vai para uma gaveta e esqueço que tenho cartão de crédito.”

As medidas tomadas por Patrícia – estabelecer um limite mensal para a fatura do cartão e acompanhar os gastos em tempo real por site ou app – são algumas das principais dicas dadas tanto pela especialista em finanças e investimentos Luciana Ikedo quanto pela economista e consultora particular de finanças Livia Brochedo. “Manter o controle com frequência evita sustos com a chegada da fatura”, diz Luciana. Para Livia, “a visualização do número é importante; tem mais impacto ver R$ 500 escrito na tela do que ouvir ‘sua próxima fatura já está em quinhentos reais”.

Entenda as compras parceladas no cartão de crédito

Outro ponto importante é controlar compras parceladas que vão sendo feitas ao longo dos meses no cartão de crédito. “Comprar parcelado no cartão é ótimo por permitir que tenhamos coisas mais caras, que não conseguiríamos comprar à vista, mas pode dar uma falsa sensação de estar gastando pouco”, nota Livia.

Ela destaca, ainda, algo que quase sempre passa batido quando fazemos compras parceladas no cartão: “O valor total do produto já é descontado do limite do cartão – ou seja, se o limite é de R$ 2.000 e algo de R$ 500 é comprado em cinco vezes de R$ 100, o limite disponível passa a ser R$ 1.500, não R$ 1.900. Muita gente esquece disso e leva um susto quando o limite acaba ‘de uma hora para outra’.”

Não consegue pagar a fatura? Negocie!

Pagar a fatura em dia é fundamental para manter uma boa relação com o cartão de crédito e não cair nos juros altos cobrados pelas financeiras. Mas entendemos que nem sempre é possível fazer esse pagamento. O que fazer quando isso acontece?

“O melhor é ligar na operadora e parcelar o valor total com parcelas que caibam no orçamento e não atrapalhem os meses seguintes. As taxas de juros são mais vantajosas do que as aplicadas no saldo residual quando se paga apenas o mínimo da fatura”, recomenda Luciana.

Carteira cheia de cartões de crédito? Melhor não!

Luciana explica que, quando o orçamento é limitado – ou seja, quando você não é a Paris Hilton, com cartão de crédito ilimitado -, o melhor é ter um único cartão de crédito e nele concentrar gastos específicos:

– Combustível ou pagamento de corridas de carro de aplicativo;

– Supermercado;

– Gastos em farmácia.

“Ter muitos cartões geralmente leva ao descontrole”, diz Livia, com base na observação das clientes que atende – mulheres que estão com a situação financeira muito desorganizada e pedem a ajuda dela para colocar tudo em ordem.

Gastos como compras de miudezas (brincos, tiaras, essas coisas), esmaltes e outros supérfluos devem ser feitos no cartão de débito, para não perder o controle. E as contas essenciais – luz, água, telefone, internet, condomínio e gás, por exemplo – devem sair direto da conta, seja por pagamento dos boletos ou por débito automático.

Faça o cartão de crédito trabalhar a seu favor

A maioria dos cartões hoje em dia oferece alguma recompensa para seus usuários: programa de vantagens, milhas para voos, desconto no ingresso do cinema, descontos em lojas parceiras, seguro-viagem gratuito quando as passagens são compradas no cartão de crédito e muito mais.

Anuidade grátis também tem sido um chamariz para novos clientes ou um benefício para manter os clientes atuais.

Fique de olho nesses extras ao escolher seu cartão.

Veja também

Como conseguir um cartão de crédito?

Tudo muito lindo, mas nem todo mundo já tem um cartão de crédito. Pensando em você, que faz parte dessa turma, pedimos para Luciana e Livia nos contarem como é o caminho das pedras para ter um cartão para chamar de seu.

Livia começa destacando aqueles que são ativamente oferecidos e aos quais vale a pena dar uma chance. “As lojas e supermercados que têm cartão próprio normalmente estendem a abrangência desse cartão para uso em outros estabelecimentos, com a operação de uma financeira externa. É o jeito mais simples de ter um cartão de crédito”, afirma.

Mas se você não tem cartão de loja ou supermercado, pode solicitar o seu diretamente às financeiras. “Elas aprovam as solicitações de cartão de crédito com base em um score. As regras desse score não são divulgadas claramente, até para que se evite fraude, mas sabemos de alguns fatores que ajudam a aumentar o score”, conta Luciana.

Os fatores são:

– Ser pontual nos pagamentos gerais (até de conta de água e de telefone);

– Já estar inserido no sistema bancário, seja em banco convencional ou digital;

– Ter um comprovante de renda ajuda na aprovação do limite; não precisa ser holerite ou declaração de imposto de renda, mas a própria movimentação bancária – importante para quem não tem emprego com registro em carteira de trabalho.

A especialista diz que os bancos digitais têm parâmetros mais modernos para a aprovação dos pedidos de cartão de crédito e costumam ser mais acessíveis, inclusive para quem está ingressando agora no mercado de trabalho. Consulte as condições de cada um, escolha o que melhor se encaixa no seu perfil e tenha o cartão de crédito como um aliado.

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆