Como usar um pêndulo

Aprenda a usar o pêndulo, ferramenta da radiestesia que mede radiações

A radiestesia não é privilégio de pessoas especiais. Qualquer um pode estudar o assunto
Foto: Claudia Alcione Perereira

A radiestesia alia o poder de concentração ao uso dos pêndulos, instrumentos sensíveis a qualquer tipo de radiação, frequência e energia. Essa ciência, que surgiu na Idade Média, é utilizada como recurso para detectar a presença de ondas eletromagnéticas nocivas à saúde, para localizar veios d’água subterrâneos, achar objetos perdidos e também para obter respostas sobre situações da vida, como num oráculo.

O pêndulo – por definição, uma massa suspensa por um fio – oscila apontando repostas às questões formuladas pelo praticante. Quanto maior for o poder de concentração e mais objetiva a pergunta, mais precisa será a resposta do pêndulo.

Para a identificação de desequilíbrio energético numa casa, por exemplo, o radiestesista pergunta: “Há energia negativa neste ambiente?” Em caso positivo, ele busca o local de origem dessa vibração, repetindo o questionamento a cada metro. Encontrada a fonte, ela pode ser contrabalanceada com uso de gráficos geométricos, pois a radiestesia acredita que as formas influenciam no reequilíbrio dos locais.

Da mesma maneira, podem ser identificados objetos que não são benéficos: “Móveis e paredes absorvem energia”, explica Marcelo Sgambati, radiestesista de São Paulo. Ela pode ser neutralizada com pintura nova das paredes ou, no caso dos objetos, limpando com água, sal grosso e vinagre.

Entenda as respostas do seu pêndulo

A radiestesia não é privilégio de pessoas especiais. Qualquer um pode estudar o assunto e, com um pouco de treino, conseguir respostas corretas. O especialista Sgambati sugere exercícios simples.

1. Primeiro, relaxe. Inspire, segure o ar e expire, contando até seis a cada etapa. Repita algumas vezes. Depois, deite de costas, inspire e retese ao máximo todos os músculos, como se estivesse fazendo mui-ta força. Segure um pouco, solte o ar e os músculos de uma vez. Repita quatro vezes ou até se sentir relaxado.

2. O significado de cada movimento do pêndulo é convencionado. Para se acostumar com as quatro oscilações básicas, faça o pêndulo “obedecer” ao seu comando. Pegue-o na mão (geralmente, na esquerda) e deixe-o parado. Tente movimentar o pêndulo para a direita apenas com a força do pensamento. Quando girar, pense no sim, várias vezes. Faça isso de cinco a dez minutos, pelo menos por sete dias seguidos.

3. Para apurar a sensibilidade, escolha aleatoriamente dez cartas de baralho, vire-as com a figura para baixo e, apontando para cada uma, pergunte se é de naipe vermelho. Cada resposta certa vale 10%. “O ideal é começar a fazer outras perguntas ao pêndulo quando os acertos forem superiores a 60%”, explica Marcelo. “Com o passar do tempo o índice pode ir aumentando. Com três meses de prática, cheguei em 100%”, diz o especialista.