Deputada britânica defende ensino sobre sexo nas escolas desde cedo

Jess Phillips acredita que é por meio do autoconhecimento que a violência contra a mulher pode ser combatida.

Jess Phillips. Esse é o nome da deputada trabalhista britânica que trouxe uma pauta importante, mas ainda polêmica (infelizmente!), para o centro das discussões. Em uma entrevista ao The Hotbed, podcast que discute sexo com sinceridade, a representante da região Birmingham Yardley, no centro da Inglaterra, ressaltou a relevância de discutir sexualidade nas escolas, especialmente entre meninas.

“Nós deveríamos falar para as garotas sobre orgasmos durante a educação sexual. Eu não estou sugerindo ensinar crianças a se masturbarem. Estou sugerindo que nós conversemos com elas sobre as coisas que elas farão de qualquer forma”, explicou.

A política acredita que é dessa forma que as mulheres aprenderão a não se contentar com o mínimo, mas a desejar o melhor para si quando o assunto for sua vida sexual.

“As expectativas das mulheres devem ser maiores. Temos que começar a exigir mais”, afirmou. 

Com a experiência de ter crescido em um lar em que a discussão sobre sexo sempre foi feita sem tabus, Jess defende que é pelo caminho do autoconhecimento que a violência contra a mulher pode ser combatida.

“Libertar as mulheres e acabar com a violência é destruir a cultura que desequilibra o poder do homem e da mulher. Vamos parar de fazer as pessoas se sentirem envergonhadas!”, pontuou.

Para transformar isso em algo palpável, a deputada está empenhada em uma campanha que propaga a ideia de, até 2020, todas as escolas secundárias, isto é, com ensino voltado a jovens de dez a 18 anos, tenham educação sexual como obrigatória.