Detalhes da canonização da Irmã Dulce feita pelo Papa Francisco

A cerimônia foi realizada na manhã deste domingo (13) em missa no Vaticano.

Uma cerimônia de canonização, na manhã deste domingo (13), na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Papa Francisco proclamou Irmã Dulce como santa. Ela é a primeira mulher nascida no Brasil que teve milagres reconhecidos. 

O local estava lotado de fiéis. De acordo com o Vaticano, 50 mil pessoas participaram da cerimônia. Além da Santa Dulce dos Pobres, outros quatro beatos também foram canonizados pelo Papa Francisco. São eles: o teólogo e cardeal inglês John Henry Newmann, a religiosa italiana Giuseppina Vannini, a religiosa indiana Mariam Thresia Chiramel Mankidiyan e a catequista suíça Margherita Bays.

Depois de um canto de entrada, o Papa abriu a celebração e, em seguida, houve um canto de “invocação do Espírito Santo” (um pedido a Deus que o ajude a tomar uma decisão certa). A Igreja também invocou todos os outros santos. Depois, aconteceu a leitura da fórmula de canonização.

Em latim, o Papa declarou: “Em honra da Santíssima Trindade, pela exaltação da fé católica e para incremento da vida cristã, com autoridade de nosso senhor Jesus Cristo, os santos apóstolos Pedro e Paulo, depois de haver refletido longamente, ter invocado a ajuda divina e escutado o parecer de muitos irmãos do episcopado, declaramos e definimos santos os beatos: John Henry Newman, Giuseppina Vannini, Mariam Thresia Chiramel, Dulce Lopes Pontes e Marguerite Bauys”.

Antes da missa, a cantora baiana Margareth Menezes, o padre Antonio Maria e o sanfoneiro cearense Waldonys cantaram a música oficial da canonização.

A cerimônia foi acompanhada por autoridades brasileiras como o vice-presidente, Hamilton Mourão, o governador da Bahia, Rui Costa, o prefeito de Salvador, ACM Neto, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. O príncipe Charles, do Reino Unido, também marcou presença na missa, já que um dos santos canonizados é britânico.