Clique e assine com até 75% de desconto

Leandra Leal e seus segredos de felicidade

Feliz da vida, a atriz Leandra Leal dá dicas para tornar cada dia melhor

Por Redação M de Mulher Atualizado em 20 jan 2020, 17h21 - Publicado em 22 set 2010, 21h00

“Nascemos para ser felizes”, diz Leandra Leal
Foto: Danilo Borges

Apesar de ter um ritmo frenético e reconhecer que ainda precisa promover mudanças efetivas na sua rotina – como parar de fumar e praticar a meditação com mais frequência -, a atriz Leandra Leal não se distancia das coisas que acredita serem essenciais na vida: a espiritualidade, a busca pela felicidade e o autoconhecimento.

Por isso, a estrela conta com exclusividade como cultiva esses sentimentos que fazem a vida mais leve e gostosa.

1. Buscar o equilíbrio

“Mesmo sem ser adepta de uma religião, já que não sigo doutrinas, sou religiosa, elevo meu estado de espírito meditando e rezando. Faço orações todos os dias. Meu objetivo é atingir o equilíbrio emocional e energético. Acredito muito em energia. Ainda estou aprendendo a meditar, mas já posso sentir os benefícios.”

2. Fazer o que se gosta

“Além de procurar estar com os meus amigos sempre que é possível, trabalhar me traz muito prazer. Não sou escrava, justamente por isso eu me sinto bem. Me permito fazer o que eu gosto e quero, sem me envolver em nada que não concordo. Praticar exercícios físicos me traz bem-estar – meu corpo é meu instrumento de trabalho, ele precisa estar preparado, condicionado e cheio de disposição. Ter condicionamento me traz energia e eu gosto disso.”

3. Enfrentar os imprevistos com coragem

“Ninguém está a salvo de situações inesperadas que são embaraçosas, mas para sair viva dessas enrascadas que caem sobre nós o tempo todo, aprendi que o melhor é enfrentá-las. E, claro, procurar tirar uma lição delas para aplicar em uma situaçãosemelhante. Assim diminuímos o risco de nos aborrecer.”

Continua após a publicidade
Leandra Leal e seus segredos de felicidade

Lidar com as perdas faz parte da vida
Foto: Danilo Borges

4. Conhecer a si mesma

“O autoconhecimento é o caminho para a felicidade e a realização. Quando a gente se conhece é fácil lidar com a vida, saber o que queremos. Focamos assim energia no que vale a pena. Sou uma pessoa que me abalo, mas não me acomodo no estado de tristeza. Acho que o natural é ser feliz. Nasci para isso e para encontrar generosidade no mundo. Sou muito virginiana, movida a objetivos e metas. Sempre acho que é possível realizar, seja o que for. Apesar das barreiras, acredito nas coisas, nos projetos, nas mudanças. Esse é o segredo do sucesso – ficamos comprometidos.”

5. Aprender com as perdas e desapegar-se

“Elas são inevitáveis, e ocorrem para todos, por isso é extremamente importante aprender a lidar com as perdas. Ao longo da vida perdemos muita coisa, de diversos níveis e naturezas, faz parte do processo dinâmico de estar vivo. Ter passado por isso ainda criança (ela perdeu o pai aos 6 anos, mais tarde o padrinho muito querido e os avós), sem ter bagagem e repertório para enfrentar, foi difícil mas acabou me trazendo grandes lições. Hoje eu consigo ver que lidar com a atribulação é uma das coisas que deixa o ser humano mais forte, mais preparado para a batalha. Mundo perfeito não existe, quem acredita nisso está limitado a andar sem rumo, não pode nem torcer para um time, porque o time é derrotado. Aprendi que uma perda pode implicar em um ganho, ainda que seja uma bela lição para a vida. Lidar com a morte, por exemplo, dá um upgrade no sistema. Quem perde pai e mãe tem outro nível de desapego, acaba desenvolvendo um desprendimento saudável que se estende para outras áreas da vida. Quando passamos por isso entendemos que cada um nasce para ser só e que o nosso sofrimento ninguém vai viver por nós – a gente até atravessa esses momentos difíceis de mãos dadas com alguém, mas é clara a mensagem de que nascemos, vivemos e morremos sozinhos.”

6. Ser sincera

“Sou muito verdadeira e honesta nas minhas relações, talvez por isso acredite que a melhor maneira de resolver malentendidos ou situações desconfortáveis é com uma boa conversa. Não tenho o menor problema em me expor, em mostrar minha fragilidade ou mesmo admitir um erro – faço isso e muito mais, principalmente se for para deixar a situação clara e evitar ressentimentos. Acredito que essa postura é imprescindível no ambiente de trabalho, nas relações de amizade e afetivas, sem a menor dúvida, pois é a única alternativa para evitar uma interpretação errada e a invasão de um limite que deve ser respeitado.”

7.Cultivar o bom humor

“O melhor antídoto para situações constrangedoras é tentar ver o lado engraçado. Eu tenho muito bom humor, principalmente comigo. Sou capaz de rir de mim mesma e isso dá uma certa leveza para tudo. Minhas amigas até dizem que sou um pouco lesa por isso, mas não me importo. Se eu der um furo assumo a gafe e peço desculpas com a maior tranquilidade, sem dramas. Afinal, todos nós erramos, não é verdade?” 


 

Continua após a publicidade
Publicidade