Os 20 destinos de viagem favoritos dos jovens urbanos e criativos

Tem representante brasileiro na lista! Você consegue adivinhar que lugar do país mereceu entrar para o ranking?

A chamada geração dos yuccies, ou Young Urban Creatives (jovens criativos urbanos, em tradução livre), aaaaaama viajar e está sempre de olho nos destinos onde há arte, cultura de rua, vida noturna, restaurantes bacaninhas, pegada sustentável, efervescência de startups e gente cosmopolita. Os yuccies são aquela galera que adora exposições artísticas, peças vintage e comida orgânica, mas que não desliga do 4G e almeja lançar algum app revolucionário o quanto antes. Algo como os novos hipsters.

Pensando nesse público que cresce e acumula milhas, a escocesa Skyscanner (buscador global de passagens aéreas), em parceria com o portal Mashable, realizou um levantamento para identificar quais são os bairros mais yuccies do momento. Para isso, recrutou jovens viajantes ao redor do globo numa transmissão via Periscope que durou 24 horas em tempo real. A lista tem representantes de todas as partes do mundo e há um certo bairro paulistano na 14º posição. Antes de fazer as malas, dá uma olhada nessas dicas!

1. Plagwitz, em Leipzig

Essa simpática cidade alemã está longe de receber tantos visitantes quanto Berlim e Munique, mas já é uma queridinha dos yuccies. Leipzig é o centro cultural da ex-Alemanha Oriental e hoje possui uma cena criativa intensa. O bairro Plagwitz, antiga área industrial, reúne jovens empreendedores e designers vanguardistas. Há espaços culturais abertos em prédios recentemente revitalizados, como a The Baumwollspinnerei, uma antiga fábrica de algodão que hoje abriga exposições.

2. Savamala, em Belgrado

View this post on Instagram

Kaa, bejb #BelgradoMio

A post shared by Fahira Fazlić (@zlicc) on

A capital da Sérvia é outra cidade marcada pelo recente renascimento cultural. O bairro de Savamala é um excelente exemplo deste movimento: lá surgem cada vez mais oficinas artísticas, galerias e pontos de encontro, e também há várias startups aparecendo. Vale a pena conhecer Savamala durante o festival de Mikser (que rola sempre no verão europeu) e aproveitar uma refeição 100% orgânica no badalado restaurante Gnezdo.

3. Vesterbro, em Copenhague

Já faz algum tempo que a Escandinávia tornou-se a região europeia mais vanguardista do momento. Não é à toa que as metrópoles do norte exportam streetstyle para o mundo todo! Na capital dinamarquesa há bicicletas, galerias, cafés charmosos e livrarias por toda a parte, especialmente em Vesterbro. A combinação perfeita entre o clima clássico de uma tradicional capital do norte e o ritmo frenético de um centro urbano que não para de lançar tendências.

>>> Você sabe quanto custa dar uma volta ao mundo? 

4. Eilandje, na Antuérpia

Localizada entre Bruxelas e Amsterdam, Antuérpia é a mais moderna das cidades belgas e também um centro cultural em expansão. A região mais efervescente é Eilandje, onde funcionava a antiga área industrial do porto. O símbolo do bairro é o MAS (Museum Aan de Stroom), uma incrível peça de arquitetura às margens do Rio Escalda, que abriga mais de meio milhão de obras de arte.

5. Hornstull, em Estocolmo

Assim como Copenhague, a capital da Suécia também se destaca entre as metrópoles escandinavas. A cidade agrada aos mais diferentes tipos de viajantes e Hornstull é a região favorita dos yuccies. É lá que se concentram as startups e os cafés mais alternativos, além de um incrível mercado de pulgas aos domingos. O bairro também abriga a badalada boate Trädgården, que só abre durante o verão.

6. Witte De Withstraat, em Rotterdam

Se engana quem acredita que Rotterdam ainda vive à sombra da capital holandesa, Amsterdam. Já faz tempo que a cidade é reconhecida por seu potencial vanguardista, especialmente na arquitetura e nas artes. O bairro Witte De Withstraat fica no coração da cidade e abriga lugares imperdíveis como o a galeria TENT e o restaurante Bazar, além das lojas de estilistas, designers e artistas locais.

7. Nevsky Prospect, em São Petesburgo

A segunda maior cidade russa é uma mistura perfeita entre antigo e moderno. O centro histórico da cidade é imponente e clássico, ao passo que a região de Nevsky Prospect é repleta de arte contemporânea, lojas moderninhas e jovens criativos. O espaço artístico Taiga está entre os mais badalados da região, que não fica muito distante do mega tradicional museu Hermitage, um dos mais antigos e icônicos da Europa.

>>> Aproveite as férias para fazer cursos de idiomas no exterior

8. Islington, em Londres  

A capital inglesa é um centro yuccie por excelência, mas de tempos em tempos novas regiões da cidade são eleitas como as mais cool. Islington é o bairro queridinho do momento e vem ganhando novos cafés, boates e bares a toda hora. Morar lá está ficando cada vez mais caro, mesmo assim, a região ainda mantém suas características originais de bairro residencial e acolhedor.

9. SoMa, em São Francisco

O conceito de startup basicamente nasceu em São Francisco e SoMa (abreviação de South of Market Street, Sul da Rua do Mercado) hoje concentra os jovens que fazem a coisa acontecer por lá. A região abriga diversos coworkings badalados, além de incríveis espaços culturais como o SFMOMA (museu de arte moderna), Yerba Buena Center of the Arts, 111 Minna Gallery e o Camerawork SF.

10. Sternschanze, em Hamburgo

View this post on Instagram

Man in a mirro… lamp!

A post shared by ⭕️ lars. ⭕️ (@schabernack) on

A cidade que descobriu os Beatles continua sendo uma incubadora criativa que atrai jovens talentos. O bairro de Sternschanze é o centro da explosão cultural que fervilha em Hamburgo e conta com muitas galerias independentes, cafés com pegada vintage, coworkings, restaurantes turcos e lojas de móveis com design exclusivo (cujo destaque vai para a LUV, que merece uma visita).

11. Zona Tortona, em Milão

View this post on Instagram

Mr. Octopus. #cenesgrammaticate

A post shared by Alessia Bossi (@theuniqueorn) on

A cidade mais trendsetter da Itália é um prato cheio para quem ama design e moda. Em Tortona dá para apreciar a contemporânea cena artística da cidade, em especial no espaço Fuorisalone e no MUDEC (Museu das Culturas). Nessa região também estão alguns dos cafés, bares e restaurantes mais bacanas da cidade, como o Al Fresco, que combina um belíssimo jardim + gastronomia italiana + gente bonita.

12. Woodstock, Cidade do Cabo

Tem destino yuccie na África também! E a Cidade do Cabo desponta como a queridinha, por conta da cena cultural em expansão no bairro de Woodstock. O local é conhecido por ser região fértil para galerias independentes, mas recentemente também passou a abrigar empresas focadas em desenvolvimento digital. Arte e tecnologia pertinho de praias belíssimas: tá aí uma combinação de sucesso!

13. Greenpoint, Nova York

É lógico que NY não ficaria de fora da lista e Greenpoint, no Brooklyn, desponta como a região do momento. É lá que se reúnem os gurus do marketing, os trendsetters da social media, os artistas em ascensão e alguns dos restaurantes do momento. A colonização polonesa é marca registrada do bairro, o que torna tudo mais pitoresco. Em meio a açougues e padarias que estão ali há gerações surgem muros grafitados e estúdios de yoga a todo momento!

>>> Três destinos baratos na Europa

14. Vila Madalena, em São Paulo

O bairro mais boêmio de São Paulo é também o mais yuccie da América Latina! Murais e grafites, pequenas galerias, bibliotecas, centros culturais, bares e restaurantes badalados são alguns dos principais atrativos da região. De acordo com os gringos que realizaram a pesquisa, a Vila Madalena está repleta de jovens criativos que emanam uma energia contagiante, o que torna a região ainda mais cool.

15. Cihangir, em Istanbul

Desde que o mundo é mundo, Istambul é conhecida como uma cidade que inspira arte e criatividade. Como outros tantos destinos da lista, essa é uma daquelas metrópoles que casam tradição ancestral com vanguardismo. Cihangir é a região mais cool de lá e abriga o maior número de startups, além de diversos bares, boates e butiques e restaurantes (com destaque para o Journey, que conta com ambiente moderninho e comida mediterrânea caseira).

16. Confluence, em Lion

View this post on Instagram

S p e a k e r 🔉🎶

A post shared by A i t o r G a l c e r á (@aitorgalcera) on

Acredite se puder, mas Paris não entrou para a lista e Lion é a única cidade francesa no ranking. E o hotspot é em La Confluence, antiga área industrial que virou um moderno centro criativo eco sustentável. Os destaques vão para 2 prédios curiosíssimos: Le Cube Vert (sede da Euronews) e Le Cube Orange (onde funcionam escritórios de arquitetura e design). Já os eventos e festas mais badalados rolam na Sucrière, antiga fábrica de açúcar que foi revitalizada como espaço cultural.

17. Sant Antoni, Barcelona

Ainda há muitas características da tradicional cultura espanhola em Sant Antoni, mas o bairro hoje é dominada por gente jovem. A região preserva uma atmosfera pacata, mas a cena cultural está borbulhando e empreendimentos vanguardistas surgem a cada pouco. Dentre os pontos de encontro favoritos dos yuccies, o destaque vai para os cafés Tarannà e Cometa.

>>> Checklist básico para um mochilão

18. Alexandria, em Sidnei

Sidnei é um daqueles lugares que emana inovação e ainda proporciona bons momentos sob o sol. A cidade é moderníssima e sua atividade artística está entre as mais interessantes do mundo! Nesse cenário, o bairro de Alexandria é o queridinho do momento. É lá que se encontram os artistas mais promissores e os restaurantes mais bacanas. Um dos destaques vai para o café The Grounds, que realiza workshops para os aspirantes a barista.

19. Nakameguro, em Tóquio

Polo tecnológico por excelência, a capital japonesa é uma das metrópoles mais criativas do mundo e também possui uma cena artística única. Nakameguro é um daqueles bairros que ainda preservam uma atmosfera calma e descontraída, quase alheia ao clima workaholic da cidade. Lá estão concentradas livrarias retrô, lojas de design, butiques de estilistas locais, brechós e cafés moderninhos (como o imperdível Ofr).

20. Design District (D3), em Dubai

Entre os arranha-céus e os resorts luxuosos, o chamado Design District (ou D3) é a região que mais atrai artistas e jovens criativos em geral. É lá que estão as galerias mais bacanas e os restaurantes mais moderninhos. O D3 está em plena ebulição, pois se prepara para receber a EXPO 2020, a mega feira que reunirá grandes líderes mundiais e trendsetters para discutir temas como tecnologia, urbanismo, sustentabilidade, ciências, cultura e economia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s