Vamos dar a merecida atenção à seleção masculina de vôlei do Brasil?

Além de ser um time de primeira, nossa seleção tem jogadores gatos demais. Confira o time titular de beleza que montamos

Tudo bem que 2018 é um ano em que as atenções esportivas estão voltadas para o futebol – Copa do Mundo é Copa do Mundo, né, gente? –, mas não tem como deixarmos a seleção masculina de vôlei do Brasil de lado. Geração após geração, o time é sempre cheio de gente bonita.

Atualmente jogando um bolão na Liga das Nações, nossos atletas provam mais uma vez que talento e beleza podem andar juntinhos, sim. É só ligar a TV na hora das partidas para ver gatos e mais gatos de amarelo em quadra!

Foi uma tarefa árdua, mas selecionamos um time titular de beleza com nossos jogadores. Vamos a eles!

Bruno Rezende – levantador

 (FIVB/Divulgação)

Ele já nasceu com DNA de vôlei vitorioso (é filho de Vera Mossa e de Bernardinho), mas provou que é mais do que seus sobrenomes. Multicampeão com clubes brasileiros, com o Modena (Itália) e com a seleção, Bruninho aos poucos conquistou seu lugar e a braçadeira de capitão. Essa garra levanta o time em qualquer situação.

Obrigada pelo convite, Bruninho!

Isac Viana – meio-de-rede

 (FIVB/Divulgação)

Do alto de seus 2,08m – isso mesmo, são dois metros e oito de jogador e gato –, Isac tem sido decisivo nas vitórias do Brasil na Liga das Nações. Quando não está com a seleção, ele joga pelo Sada Cruzeiro (MG) ou curte viagens e paisagens incríveis, que posta sempre no Instagram.

Isso que é um belo dia de folga.

Wallace de Souza – oposto

 (FIVB/Divulgação)

Da mesma forma que brilha nas quadras brasileiras com o Funvic Taubaté, Wallace é um destaque na seleção brasileira de vôlei. Além de ótimo jogador, ele arranca suspiros da torcida com seu jeitão meio rústico-barbudo-fortão.

Quem gostaria de receber esse olhar do Wallace?

Otávio Henrique – meio-de-rede

 (FIVB/Divulgação)

O jogador foi ganhando seu espaço aos poucos e hoje não dá mais para pensar na nossa seleção de vôlei sem Otávio. Sempre muito compenetrado durante as partidas, ele esbanja simpatia e sorrisos nas entrevistas de fim de jogo. A gente adora!

Bem sério e gato o Otávio em quadra, né?

Murilo Endres – líbero

 (FIVB/Divulgação)

Veteraníssimo da nossa seleção de vôlei, o jogador de 37 anos agora é nosso líbero. Antes, como atacante de ponta, ele foi campeão de tudo – da Superliga aos Jogos Olímpicos, passando pela Liga Mundial e por Mundial de Clubes. Que bom que podemos continuar contando com seu talento e sua beleza em quadra.

A energia e a beleza são as mesmas quando Murilo joga pelo clube ou pela seleção. Eba!

Lucas Saatkamp – meio-de-rede

 (FIVB/Divulgação)

Lucão é outro meio-de-rede gigante, com 2,09m de altura. Gaúcho que já passou por clubes do Rio e de São Paulo (onde joga atualmente), o jogador faz toda a diferença com sua experiência em quadra. E ainda é bonito de olhar.

Opa, o uniforme do Grêmio é para horas de folga, né, Lucão?

Evandro Guerra – Oposto

 (FIVB/Divulgação)

Para completar nossa seleção, o aguerrido Evandro, que traz “guerra” – no bom sentido – até no sobrenome. Sua vibração é contagiante tanto para os jogadores quanto para a torcida, e a força de seu ataque desmonta os adversários. Pontos e mais pontos para o Brasil.

É só pedir que a gente vibra, Evandro! Principalmente quando é pela seleção.

A importância de Mercúrio no seu Mapa Astral – escute já!