Starbucks vai bloquear quem usa o Wi-Fi deles para ver pornografia

Ainda que a ação da empresa seja admirável, ela já deveria ter ocorrido em 2016, junto com o posicionamento de outras marcas famosas.

Nesta quinta-feira (29), a Starbucks anunciou o uso de uma nova ferramenta que proibirá clientes de acessarem qualquer tipo de pornografia ou conteúdo explícito por meio da sua rede de internet, como divulgou o site “Business Insider”.

Com implantação prevista para 2019, a importância dessa ação está além da relevância de fazer um filtro do tipo de material procurado pelo Wi-Fi da empresa. Ela é essencial para o combate da produção e do consumo de pornografia infantil.

O posicionamento da marca veio após a pressão feita pela “Enough is Enough”, organização sem fins lucrativos que luta para tornar a internet um ambiente mais seguro para as crianças.

Uma petição foi assinada por mais de 26.000 pessoas para que a rede de cafeterias cumprisse com o que prometeu em 2016. Caso não assim fizesse, isso significaria dar brechas para pedófilos, como explicou Donna Rice Hughes, CEO da ONG.

Ao quebrar seu compromisso, a Starbucks está mantendo as portas abertas para criminosos sexuais condenados e outros para fugir do radar da lei e usar serviços públicos gratuitos de Wi-Fi para acessar pornografia infantil ilegal e pornografia pesada”, afirmou Donna. 

Ainda em 2016, outras grandes empresas tiveram a preocupação em fechar suas redes de acesso à internet para a pornografia, como McDonald’s, Subway, entre outras.